PAIGC re­cu­sa no­vo pri­mei­ro-mi­nis­tro

Da Gui­né-Bis­sau

Africa21 - - Aos Leitores -

O PAIGC, par­ti­do ven­ce­dor, com mai­o­ria ab­so­lu­ta, das úl­ti­mas elei­ções le­gis­la­ti­vas na Gui­né-Bis­sau, em 2014, re­jei­tou a no­me­a­ção de Uma­ro Sis­so­co, ge­ne­ral na re­ser­va de 44 anos, pa­ra o car­go de pri­mei­ro-mi­nis­tro do país fei­ta pe­lo Pre­si­den­te da República, Jo­sé Má­rio Vaz, pro­lon­gan­do as­sim a cri­se po­lí­ti­ca que man­tém o país pa­ra­li­sa­do há dois anos, por de­sen­ten­di­men­tos en­tre o mai­or par­ti­do na­ci­o­nal e o che­fe de Es­ta­do. Sis­so­co foi no­me­a­do na sequên­cia de um acor­do en­tre to­das as par­tes al­can­ça­do no pas­sa­do mês de ou­tu­bro na ci­da­de de Co­na­cri, sob me­di­a­ção da Co­mu­ni­da­de de De­sen­vol­vi­men­to dos Paí­ses da Áfri­ca Oci­den­tal (CEDEAO). No en­tan­to, o PAIGC ale­ga que, se­gun­do o re­fe­ri­do acor­do, o no­me do pri­mei­ro-mi­nis­tro de­ve ser con­sen­su­al. Ora, diz o par­ti­do, da lis­ta de três no­mes sub­me­ti­da pe­lo Pre­si­den­te aos subs­cri­to­res do acor­do, Uma­ro Sis­so­co é pre­ci­sa­men­te o úni­co que não é apro­va­do pe­lo PAIGC. O par­ti­do mais vo­ta­do nas úl­ti­mas elei­ções não tem dú­vi­das: a ati­tu­de de Má­rio Vaz sig­ni­fi­ca que a Gui­né-Bis­sau es­tá a ca­mi­nho de uma di­ta­du­ra. Em car­ta à CEDEAO, re­fe­re a or­ga­ni­za­ção: «O PAIGC con­vi­da a CEDEAO e to­da a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal a con­ti­nu­a­rem a acom­pa­nhar o po­vo gui­ne­en­se nes­ta lu­ta pe­la de­fe­sa das con­quis­tas de­mo­crá­ti­cas e da li­ber­da­de, opon­do-se fron­tal­men­te aos si­nais evi­den­tes de im­plan­ta­ção da di­ta­du­ra na Gui­né-Bis­sau».

Jo­sé Má­rio Vaz, Pre­si­den­te da Gui­né-Bis­sau

OSMAN SALEH MOHAMMED, mi­nis­tro dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros da Eri­treia

Áfri­ca de­ve di­zer não à aju­da hu­ma­ni­tá­ria e sim a par­ce­ri­as es­tra­té­gi­cas com be­ne­fí­ci­os mú­tu­os.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.