Mar­ro­cos a no­va po­tên­cia ma­gre­bi­na

Africa21 - - Aos Leitores - CAR­LOS PINTO SAN­TOS

Bas­ta­ram 16 anos pa­ra Mar­ro­cos se trans­for­mar no pri­mei­ro in­ves­ti­dor na Áfri­ca Oci­den­tal e o se­gun­do em to­do o con­ti­nen­te ape­nas atrás da Áfri­ca do Sul. O gran­de obrei­ro das no­vas re­la­ções com o con­ti­nen­te afri­ca­no é o mo­nar­ca Moha­med VI, che­ga­do ao tro­no em 1999, que de­sen­vol­veu uma es­tra­té­gia cu­jo ob­je­ti­vo é afir­mar Mar­ro­cos co­mo uma no­va po­tên­cia re­gi­o­nal afri­ca­na. Uma eta­pa cru­ci­al pa­ra es­ta am­bi­ção deu-se a 30 de ja­nei­ro de 2017 na Ci­mei­ra da União Afri­ca­na (UA), pon­do fim a um «di­vór­cio» que se pro­lon­gou du­ran­te 33 anos. Moha­med VI ad­mi­tiu que o aban­do­no da en­tão Or­ga­ni­za­ção de Uni­da­de Afri­ca­na (OUA) le­va­do a ca­bo pe­lo seu pai, Has­san II, já não se jus­ti­fi­ca­va. O atu­al rei, pon­do de la­do a es­tra­té­gia da «ca­dei­ra va­zia», so­li­ci­tou a pre­sen­ça na ci­mei­ra em Adis Abe­ba. O pe­di­do foi apro­va­do por uma cla­ra mai­o­ria de 39 dos 54 Es­ta­dos-mem­bros da UA. Co­mo é sa­bi­do, a cau­sa do au­to­e­xí­lio de Mar­ro­cos foi a ad­mis­são em 1984 da Re­pú­bli­ca Ára­be Sa­rauí De­mo­crá­ti­ca (RASD). Na mis­si­va que en­vi­ou em ju­lho à União Afri­ca­na, su­bli­nha­va que «é di­fí­cil acei­tar que uma na­ção pe­re­ne e an­ces­tral se­ja com­pa­ra­da a uma en­ti­da­de que não dis­põe de ne­nhum atri­bu­to de so­be­ra­nia» da­do que a RASD não era re­co­nhe­ci­da co­mo Es­ta­do pe­las Nações Uni­das, pe­la Or­ga­ni­za­ção de Co­o­pe­ra­ção Is­lâ­mi­ca nem pe­la Li­ga Ára­be. Por sua vez, a Fren­te Po­li­sá­rio acu­sa Mar­ro­cos de ser res­pon­sá­vel pe­lo blo­queio e ame­a­ça vol­tar à luta ar­ma­da. Qu­an­do ane­xou em 1976 a an­ti­ga pos­ses­são es­pa­nho­la fron­tei­ri­ça da Ar­gé­lia, Mar­ro­cos e Mau­ri­tâ­nia, e que dis­põe de enor­mes re­ser­vas de fos­fa­tos, Ra­bat fez de­la uma das su­as «pro­vín­ci­as do sul». As Nações Uni­das, pre­sen­tes no ter­re­no pa­ra fis­ca­li­zar o ces­sar-fo­go de 1991 en­tre Mar­ro­cos e a Fren­te Po­li­sá­rio, con­ti­nu­am a de­fen­der o prin­cí­pio da au­to­de­ter­mi­na­ção do po­vo sa­rauí e a re­a­li­za­ção de um re­fe­ren­do so­bre a ques­tão. Mas o pla­no de paz foi re­jei­ta­do por Ra­bat, que apre­sen­tou em 2007 uma pro­pos­ta al­ter­na­ti­va de au­to­no­mia do ter­ri­tó­rio sob so­be­ra­nia mar­ro­qui­na. As de­ze­nas de vi­a­gens de Es­ta­do, ou sim­ples­men­te de ne­gó­ci­os, que Moha­med VI con­ti­nua a efe­tu­ar têm re­sul­ta­do em pla­ta­for­mas eco­nó­mi­cas não ape­nas com Espanha e ou­tros paí­ses me­di­ter­râ­ni­cos, mas tam­bém com a Chi­na e a Rús­sia. Não são pou­cos os ana­lis­tas que con­si­de­ram que a es­tra­té­gia agres­si­va de Moha­med VI pa­ra se afir­mar co­mo «po­tên­cia emer­gen­te» be­ne­fi­cia em mui­to do (re­la­ti­vo) apa­ga­men­to da di­plo­ma­cia ar­ge­li­na, de­fen­so­ra his­tó­ri­ca da independência e so­be­ra­nia da RASD, de­vi­do à cri­se de su­ces­são do Pre­si­den­te Ab­de­la­ziz Bou­te­fli­ka, di­mi­nuí­do fi­si­ca­men­te por um AVC e cu­ja saú­de su­ge­re que po­de­ria não con­cluir o seu quar­to man­da­to que ex­pi­ra­rá em 2018.

car­los­pin­to­san­tos.afri­ca21@gmail.com

Opinions

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.