TAM­BÉM NA TUBERCULOSE

Folha 8 - - POLÍTICA -

Mo­çam­bi­que, Angola e Bra­sil es­tão en­tre os 20 paí­ses com mai­or in­ci­dên­cia de tuberculose no mun­do, es­ti­man­do-se que cada um te­nha re­gis­ta­do mais de 80 mil no­vos ca­sos da do­en­ça em 2015, re­ve­la um re­la­tó­rio da OMS. O re­la­tó­rio glo­bal so­bre a tuberculose, ho­je pu­bli­ca­do pe­la Or­ga­ni­za­ção Mundial de Saú­de (OMS), es­ti­ma que em 2015 te­nham sur­gi­do 10,4 mi­lhões de no­vos ca­sos de tuberculose no mun­do e aler­ta que, em­bo­ra a in­ci­dên­cia e a mor­ta­li­da­de es­te­jam a cair, é pre­ci­so ace­le­rar o rit­mo pa­ra se al­can­ça­rem os ob­jec­ti­vos da es­tra­té­gia pa­ra a eli­mi­na­ção da do­en­ça. Com ba­se em da­dos re­co­lhi­dos jun­to de 202 paí­ses e ter­ri­tó­ri­os, que re­pre­sen­tam mais de 99% da po­pu­la­ção mundial e dos ca­sos glo­bais de tuberculose, o re­la­tó­rio des­ta­ca os 20 paí­ses com mai­or nú­me­ro ab­so­lu­to de no­vos ca­sos, a que jun­ta os dez paí­ses que, não es­tan­do na lis­ta an­te­ri­or, têm mai­or pro­por­ção de no­vos ca­sos na sua po­pu­la­ção. En­tre os 20 pri­mei­ros sur­gem Mo­çam­bi­que, com 154 mil no­vos ca­sos em 2015, Angola, com 93 mil no­vos ca­sos, e o Bra­sil, com 84 mil no­vos ca­sos. A ta­xa de in­ci­dên­cia, o nú­me­ro de no­vos ca­sos em re­la­ção ao ta­ma­nho da po­pu­la­ção, é mui­to va­riá­vel en­tre paí­ses, in­do des­de me­nos de 10 no­vos ca­sos em cada 100 mil ha­bi­tan­tes até mais de 500. En­tre os paí­ses com mai­or ta­xa de in­ci­dên­cia es­tá Mo­çam­bi­que, com 551 no­vos ca­sos em cada 100 mil ha­bi­tan­tes, ta­xa só su­pe­ra­da pe­la Re­pú­bli­ca Popular De­mo­crá­ti­ca da Co­reia (Co­reia do Nor­te), com 561 no­vos ca­sos por 100 mil ha­bi­tan­tes, o Le­so­to, com 788, e a Áfri­ca do Sul, com 834. O re­la­tó­rio cru­za a lis­ta dos 30 paí­ses com al­ta in­ci­dên­cia de tuberculose com du­as ou­tras lis­tas: a dos 30 paí­ses com mais no­vos ca­sos de tuberculose mul­tir­re­sis­ten­te e a dos 30 paí­ses com mais no­vos ca­sos de tuberculose as­so­ci­a­da ao HIV. Há 48 paí­ses que es­tão pe­lo me­nos nu­ma das três lis­tas e 14 paí­ses que sur­gem nas três lis­tas, dois dos quais são de lín­gua por­tu­gue­sa: Mo­çam­bi­que e Angola. O Bra­sil es­tá em du­as – gran­de in­ci­dên­cia de tuberculose e gran­de in­ci­dên­cia as­so­ci­a­da ao HIV – e há ain­da ou­tro lu­só­fo­no que sur­ge ape­nas na lis­ta dos paí­ses com mais tuberculose li­ga­da ao VIH: a Gui­né-bis­sau. A OMS es­ti­ma que a Gui­né-bis­sau te­nha re­gis­ta­do 6.600 no­vos ca­sos de tuberculose em 2015 (369 em cada 100 mil ha­bi­tan­tes), dos quais 40% (2.900) em pes­so­as com HIV po­si­ti­vo. No to­tal, cer­ca de mil pes­so­as se­ro­ne­ga­ti­vas e 1.500 pes­so­as se­ro­po­si­ti­vas mor­re­ram na Gui­né-bis­sau em 2015 por cau­sa da tuberculose, ta­xas de mor­ta­li­da­de de 63 e 81 pes­so­as por cada 100 mil ha­bi­tan­tes, res­pec­ti­va­men­te. Em Angola, es­ti­mam-se 93 mil no­vos ca­sos de tuberculose em 2015 (uma ta­xa de 370 em cada 100 mil), dos quais 28 mil são HIV po­si­ti­vos (30%) e 4.100 são ca­sos de tuberculose mul­tir­re­sis­ten­te. No mes­mo ano mor­re­ram no país, por cau­sa da tuberculose, 11 mil pes­so­as com HIV ne­ga­ti­vo (45 em 100 mil ha­bi­tan­tes) e 7,2 com HIV po­si­ti­vo (29 em 100 mil ha­bi­tan­tes). O Bra­sil te­rá re­gis­ta­do 84 mil no­vos ca­sos de tuberculose em 2015: 52 mil homens, 24 mil mu­lhe­res e oi­to mil cri­an­ças, nu­ma ta­xa de in­ci­dên­cia de 41 no­vos ca­sos em cada 100 mil ha­bi­tan­tes. Des­tes, 13 mil (15%) são HIV po­si­ti­vo. Em 2015, 5,5 mil pes­so­as sem VIH e 2,2 com HIV po­si­ti­vo mor­re­ram no Bra­sil de­vi­do à tuberculose. Mo­çam­bi­que tem uma es­ti­ma­ti­va de 154 mil no­vos ca­sos de tuberculose em 2015, dos quais 83 mil são homens, 56 mil são mu­lhe­res e 15 mil são cri­an­ças, com me­nos de 15 anos. Mais de me­ta­de dos no­vos ca­sos (52%) são pes­so­as tam­bém in­fec­ta­das com o HIV. Es­tes nú­me­ros equi­va­lem a uma ta­xa de in­ci­dên­cia de 551 em 100 mil, uma das mais al­tas do mun­do. Em 2015, mor­re­ram em Mo­çam­bi­que 21 mil pes­so­as sem HIV e 34 mil pes­so­as com HIV. A OMS aler­ta, no en­tan­to, que os nú­me­ros es­ti­ma­dos não cor­res­pon­dem ne­ces­sa­ri­a­men­te a ca­sos no­ti­fi­ca­dos. Dos 10,4 mi­lhões de no­vos ca­sos es­ti­ma­dos, ape­nas 6,1 mi­lhões fo­ram de­tec­ta­dos e ofi­ci­al­men­te no­ti­fi­ca­dos em 2015, o que re­pre­sen­ta uma di­fe­ren­ça de 4,3 mi­lhões. Es­ta di­fe­ren­ça re­flec­te uma mis­tu­ra de sub­no­ti­fi­ca­ção de ca­sos de­tec­ta­dos (prin­ci­pal­men­te em paí­ses com gran­des sec­to­res pri­va­dos) e de sub­di­ag­nós­ti­co (es­pe­ci­al­men­te nos paí­ses com mai­o­res di­fi­cul­da­des de aces­so aos ser­vi­ços de saú­de). Dez paí­ses, in­cluin­do Mo­çam­bi­que, re­pre­sen­tam 77% da di­fe­ren­ça to­tal en­tre as no­ti­fi­ca­ções e as es­ti­ma­ti­vas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.