ORIBUNDA

Folha 8 - - DESTAQUE -

não po­dia ter acon­te­ci­do. O ve­ne­ran­do juiz-pre­si­den­te dei­xou-se subs­ti­tuir por ór­gãos in­com­pe­ten­tes e por­tan­to é res­pon­sá­vel pe­lo que es­tá a acon­te­cer, em que dois me­ses e meio de­pois o ‘ha­be­as cor­pus’ ain­da não es­tá na pos­se do Tri­bu­nal Su­pre­mo”, apon­tou em Ju­nho o ad­vo­ga­do. O ca­so foi agra­va­do, in­sis­tia Luís Nas­ci­men­to, por­que fa­ce ao atra­so ini­ci­al a De­fe­sa che­gou a re­cla­mar di­rec­ta­men­te ao juiz-pre­si­den­te do Tri­bu­nal Su­pre­mo, em Abril, pe­lo fac­to de o “ha­be­as cor­pus” ter fi­ca­do re­ti­do na pri­mei­ra ins­tân­cia. “Is­to é gra­vís­si­mo, são dois me­ses e meio em que os ar­gui­dos, que de­fen­de­mos que me­re­cem a li­ber­da­de, es­tão de­ti­dos por­que um ór­gão de res­pon­sa­bi­li­da­de es­tá a vi­o­lar a lei. Is­to tu­do só po­der ser in­ten­ci­o­nal, com os au­tos do pro­ces­so a es­con­de­rem lá no meio uma pro­vi­dên­cia de ‘ha­be­as cor­pus’ pa­ra ser de­ci­di­da”, en­fa­ti­zou. Re­cor­de-se ain­da que, na úl­ti­ma ses­são do jul­ga­men­to, o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co do re­gi­me dei­xou cair a acu­sa­ção de ac­tos pre­pa­ra­tó­ri­os pa­ra um aten­ta­do ao Pre­si­den­te e ou­tros go­ver­nan­tes, apre­sen­tan­do uma no­va, de as­so­ci­a­ção de mal­fei­to­res, so­bre a qual os ac­ti­vis­tas não che­ga­ram a apre­sen­tar de­fe­sa. “Quem quer al­can­çar o car­go de Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e for­mar Go­ver­no, que crie, se não ti­ver, o seu par­ti­do po­lí­ti­co, nos ter­mos da Cons­ti­tui­ção e da Lei, e se can­di­da­te às elei­ções. Quem es­co­lhe a via da for­ça pa­ra to­mar o po­der ou usa mei­os pa­ra tal an­ti-cons­ti­tu­ci­o­nais não é de­mo­cra­ta. É ti­ra­no ou di­ta­dor”, acu­sou Jo­sé Eduardo dos San­tos que, por si­nal, es­tá no po­der des­de 1979 sem nun­ca ter si­do no­mi­nal­men­te elei­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.