SAMAKUVA, SIM, NÃO, TAL­VEZ…

Folha 8 - - DESTAQUE -

AUNITA, bem co­mo ou­tros par­ti­dos da Opo­si­ção, pon­de­ra jun­tar-se ao pro­tes­to pro- gra­ma­do por al­guns sec­to­res da so­ci­e­da­de ci­vil an­go­la­na, pa­ra con­tes­tar a fal­ta de de­ci­são so­bre a pro­vi­dên­cia cau­te­lar con­tra a no­me­a­ção, pe­lo pai e Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, de Isa­bel dos Santos pa­ra a ad­mi­nis­tra­ção da pe­tro­lí­fe­ra So­nan­gol. A po­si­ção foi ex­pres­sa pe­lo lí­der da UNITA, Isaías Samakuva, qu­es­ti­o­na­do so­bre o as­sun­to durante uma con­fe­rên­cia de im­pren­sa re­a­li­za­da em Lu­an­da. A ac­ção cí­vi­ca es­tá pre­vis­ta pa­ra o dia 26 de No­vem­bro, em Lu­an­da, e o seu anún­cio foi fei­to em car­ta, sub­me­ti­da a 10 de Ou­tu­bro ao Go­ver­no da Pro­vín­cia de Lu­an­da, em que se re­fe­re tra­tar-se de uma ac­ção cí­vi­ca pa­cí­fi­ca, a re­a­li­zar-se en­tre as 15:00 e as 20:00.A 10 de Ju­nho, 12 ad­vo­ga­dos an­go­la­nos subs­cre­ve­ram uma pe­ti­ção, que deu en­tra­da no Tri­bu­nal Su­pre­mo, em Lu­an­da, co­lo­can­do em cau­sa a le­ga­li­da­de da de­ci­são de no­me­a­ção (oi­to di­as an­tes) da em­pre­sá­ria pe­lo seu pai e che­fe de Es­ta­do, Jo­sé Edu­ar­do dos Santos, e pe­din­do a sua sus­pen­são. “Acha­mos que é um fac­to im­por­tan­te, va­mos es­pe­rar que com es­te de­se­jo ma­ni­fes­ta­do os ór­gãos com­pe­ten­tes di­gam al­gu­ma coi­sa, por­que se não dis­se­rem nós es­ta­mos mes­mo, e nes­se ca­so vou di­zer eu, es­tou mes­mo de­ci­di­do a co­lo­car es­te as­sun­to ao Co­mi­té Per­ma­nen­te do nos­so par­ti­do com a pro­pos­ta de que a UNITA participe nu­ma ma­ni­fes­ta­ção des­sa”, re­fe­riu o Isaías Samakuva. No dia 25.10, o ad­vo­ga­do Da­vid Men­des in­for­mou que o Tri­bu­nal Su­pre­mo an­go­la­no acei­tou re­ce­ber a pro­vi­dên­cia cau­te­lar que pre­ten­de sus­pen­der a efi­cá­cia da posse de Isa­bel dos Santos co­mo pre­si­den­te da pe­tro­lí­fe­ra So­nan­gol, ten­do da­do oi­to di­as pa­ra o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e a em­pre­sá­ria se pro­nun­ci­a­rem. O lí­der da UNITA re­cor­dou que o gru­po par­la­men­tar da­que­le par­ti­do ha­via fei­to uma pe­ti­ção que não me­re­ceu res­pos­ta ne­nhu­ma.“de um la­do se-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.