EUA: IMI­GRA­ÇÃO É “UM PRI­VI­LÉ­GIO, NÃO UM DI­REI­TO”, DIZ TRUMP A MERKEL

Folha 8 - - INTERNACIONAL -

Achan­ce­ler ale­mã foi re­ce­bi­da, a 17.03.2017, na Ca­sa Bran­ca pe­lo Pre­si­den­te nor­te­a­me­ri­ca­no. Foi a pri­mei­ra ci­mei­ra ame­ri­ca­na-ale­mã des­de a elei­ção de Do­nald Trump. Na con­fe­rên­cia de im­pren­sa, am­bos os lí­de­res con­si­de­ra­ram bas­tan­te pro­fí­cua a reu­nião. A pa­la­vra de or­dem pa­re­ce ter si­do a apro­xi­ma­ção e a cor­di­a­li­da­de, mes­mo se, du­ran­te a con­fe­rên­cia de im­pren­sa, Merkel se mos­trou al­go ten­sa e pru­den­te O pre­si­den­te nor­te-ame­ri­ca­no ga­ran­tiu à chan­ce­ler o seu “for­te apoio” ao Tra­ta­do da Ali­an­ça do Atlân­ti­co Nor­te - NATO e ape­lou a um comércio igua­li­tá­rio e jus­to. “Rei­te­rei à chan­ce­ler An­ge­la Merkel o meu for­te apoio à NATO as­sim co­mo a ne­ces­si­da­de dos nos­sos ali­a­dos da NATO pa­ga­rem a sua par­te do cus­to de de­fe­sa”, dis­se Trump. Merkel afir­mou que dis­se ao Pre­si­den­te que a Ale­ma­nha ne­ces­si­ta de cum­prir os objetivos de des­pe­sa da NATO. Os dois tam­bém de­ba­te­ram a Ucrâ­nia e o Afe­ga­nis­tão. Do­nald Trump agra­de­ceu à chan­ce­ler e ao Pre­si­den­te fran­cês, Fran­çois Hol­lan­de, os seus es­for­ços na Ucrâ­nia, su­bli­nhan­do a ne­ces­si­da­de de uma so­lu­ção “pacífica” para o país. Imi­gra­ção: “um pri­vi­lé­gio, não um di­rei­to”. O Pre­si­den­te re­fe­riu ain­da que, no que diz res­pei­to à imi­gra­ção, é pre­ci­so lem­brar que es­ta é “um pri­vi­lé­gio, não um di­rei­to”. Pe­lo que, de­pre­en­de-se, ca­da país se de­ve re­ser­var o di­rei­to de di­tar as su­as pró­pri­as po­lí­ti­cas e pri­o­ri­da­des so­bre o pro­ble­ma. “A se­gu­ran­ça dos nos­sos ci­da­dãos de­ve sem­pre vir em pri­mei­ro lugar. Sem dúvida al­gu­ma”, afir­mou Do­nald Trump, fe­li­ci­tan­do An­ge­la Merkel pe­la lu­ta an­ti-ter­ro­ris­ta da Ale­ma­nha. Du­ran­te a cam­pa­nha elei­to­ral Trump cri­ti­cou a chan­ce­ler pe­la sua po­lí­ti­ca de aco­lhi­men­to aos re­fu­gi­a­dos. Du­ran­te a con­fe­rên­cia de im­pren­sa Merkel deu ideia de di­fe­ren­ças de opi­nião so­bre o as­sun­to qu­an­do dis­se “es­te foi ob­vi­a­men­te um as­sun­to so­bre o qual tro­ca­mos idei­as”. Merkel pru­den­te “Ti­ve­mos uma con­ver­sa na qual ten­tá­mos abor­dar tam­bém as áre­as em que não es­ta­mos de acor­do, mas ten­ta­mos jun­tar as pes­so­as... En­con­trar um com­pro­mis­so que seja bom para am­bas as par­tes”, dis­se Merkel. “É di­fí­cil che­gar a com­pro­mis­sos mas foi para is­so que fo­mos elei­tos”, dis­se a chan­ce­ler, lem­bran­do que, tan­to ela co­mo Trump, têm idei­as e per­cur­sos po­lí­ti­cos mui­to di­fe­ren­tes. “Ti­ve­mos uma con­ver­sa pro­fí­cua em que, qu­an­do as nos­sas opi­niões di­ver- gi­ram, pro­cu­ra­mos en­con­trar as di­fe­ren­tes pers­pec­ti­vas e che­gar a so­lu­ções de com­pro­mis­sos que se­jam po­si­ti­vas para am­bos os la­dos,”ex­pli­cou. Não sou na­ci­o­na­lis­ta” Pe­ran­te uma per­gun­ta di­ri­gi­da à chan­ce­ler so­bre o mu­ro que Trump quer con­ti­nu­ar na fron­tei­ra com o Mé­xi­co, e a ale­ga­da po­lí­ti­ca iso­la­ci­o­nis­ta do Pre­si­den­te, es­te an­te­ci­pou­se e to­mou a pa­la­vra: “Se­rá que pos­so res­pon­der pri­mei­ro?”, per­gun­tou, pe­ran­te uma Merkel sur­pre­en­di­da que lhe pas­sou de­pois a vez com um sor­ri­so. “Eu não acre­di­to nu­ma po­lí­ti­ca de iso­la­ci­o­nis­mo, acre­di­to nu­ma po­lí­ti­ca jus­ta e os Es­ta­dos Uni­dos têm si­do tra­ta­dos de uma ma­nei­ra in­jus­ta por mui­to paí­ses ao lon­go dos anos”, ex­pli­cou Trump. “Is­so vai pa­rar. Mas eu não sou um na­ci­o­na­lis­ta, sou a fa­vor do comércio li­vre”. An­ge­la Merkel res­pon- deu de­pois que en­tre ela e Trump não fo­ram de­ba­ti­das “as ques­tões econô­mi­cas”, ten­do si­do abor­da­das ques­tões “de se­gu­ran­ça e de Paz”. E deu uma no cra­vo e ou­tra na fer­ra­du­ra. “Te­mos de ter uma glo­ba­li­za­ção aber­ta mas ob­vi­a­men­te jus­ta, a li­ber­da­de de cir­cu­la­ção den­tro da União Eu­ro­peia é uma ques­tão im­por­tan­te e é tam­bém um pi­lar”, re­fe­riu Merkel, lem­bran­do que du­ran­te vá­ri­os sé­cu­los e até não há mui­tos anos os paí­ses eu­ro­peus es­ta­vam em guer­ra uns com os ou­tros. “Mas te­mos tam­bém de nos pro­te­ger e de co­la­bo­rar com os nos­sos vi­zi­nhos, a imi­gra­ção tem de ser ge­ri­da, o trá­fi­co de se­res hu­ma­nos tem de ser tra­va­do e os re­fu­gi­a­dos têm de ter opor­tu­ni­da­des nos paí­ses on­de são aco­lhi­dos e nos seus paí­ses de ori­gem”, con­ce­deu a chan­ce­ler ale­mã.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.