MPLA MENTE, DIS­SE A UNITA

Folha 8 - - DESTAQUE -

Ovi­ce-pre­si­den­te d a UNITA , Raúl Dan­da, con­tes­tou no dia 25.08 o anún­cio de vi­tó­ria do MPLA nas elei­ções ge­rais an­go­la­nas, exor­tan­do a Co­mis­são Na­ci­o­nal Eleitoral “a ter a co­ra­gem de di­vul­gar os re­sul­ta­dos pro­vi­só­ri­os re­ais” que vão che­gan­do aos par­ti­dos. A CASA-CE dis­se a mes­ma coi­sa. “Não sei de on­de o MPLA es­tá a ti­rar es­te re­sul­ta­do. Nós es­ta­mos a fa­lar da­que- le que é o re­sul­ta­do re­al, e que es­ta­mos à es­pe­ra que a CNE te­nha co­ra­gem de di­vul­gar. Não sa­be­mos por­que não o fez até ago­ra”, dis­se Raúl Dan­da. O MPLA anun­ci­ou nes­se dia que, com cin­co mi­lhões de votos es­cru­ti­na­dos em to­do o país, tem a “mai­o­ria qua­li­fi­ca­da as­se­gu­ra­da” e a elei­ção de João Lou­ren­ço pa­ra Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca. A in­for­ma­ção foi trans­mi­ti­da, cer­ca das 11:50, na se­de na­ci­o­nal do MPLA, em Lu­an­da, pe­lo se­cre­tá­rio do Bu­re­au Po­lí­ti­co, pa­ra as ques­tões po­lí­ti­cas e elei­to­rais, João Mar­tins, em de­cla­ra­ções aos jor­na­lis­tas. “Te­mos vin­do a fa­zer a com­pi­la­ção dos da­dos que os nos­sos de­le­ga­dos de lis­ta nos têm re­me­ti­do, das ac­tas sín­te­se que ob­ti­ve­ram das as­sem­blei­as de vo­to a ní­vel de to­do o país. E, nu­ma al­tu­ra em que te­mos es­cru­ti­na­do aci­ma de cin­co mi­lhões de elei­to­res, o MPLA po­de ga­ran­tir que tem a mai­o­ria qua­li­fi­ca­da as­se­gu­ra­da”, dis­se o res­pon­sá­vel do MPLA. A UNITA dis­se lo­go que os re­sul­ta­dos que lhe es­ta­vam a che­gar con­tra­di­zi­am o anún­cio do MPLA. Mas, bem vis­tas as coi­sas, quem man­da no rei­no é o MPLA e a CNE na­da mais é do que uma su­cur­sal do MPLA, a pon­to de im­pe­dir a en­tra­da dos De­le­ga­dos de Lis­ta dos par­ti­dos po­lí­ti­cos da opo­si­ção, so­bre­tu­do, os pre­si­den­tes de Me­sas de Vo­to das mes­mas or­ga­ni­za­ções po­lí­ti­cas, no Cen­tro de Es­cru­tí­nio Na­ci­o­nal. “O re­sul­ta­do que nos es­tá a che­gar das me­sas e das ac­tas-sín­te­se das as­sem­blei­as de vo­to, que de­vem es­tar afi­xa­das, con­tra­di­zem com­ple­ta­men­te is­so que o MPLA es­tá a ten­tar di­zer”, su­bli­nhou o vi­ce-pre­si­den­te da for­ma­ção do Ga­lo Ne­gro, Raúl Dan­da. Ao con­trá­rio do que afir­mou Dan­da, o MPLA não “es­ta­va a ten­tar di­zer”. Dis­se mes­mo. “Não é só o MPLA que es­tá a fa­zer con­ta­gem. A UNITA tam­bém se pre­pa­rou pa­ra fa­zer con­ta­gem e es­ta­mos a fa­zê-lo com ba­se nas ac­tas, nas con­ta­gens fei­tas nas as­sem­blei­as de vo­to”, sa­li­en­tou. Tam­bém Lin­do Ber­nar­do Tit­to, em no­me da CASA-CE, lem­brou que ca­bia à Co­mis­são Na­ci­o­nal de Elei­ções anun­ci­ar o re­sul­ta­do das elei­ções. É ver­da­de. Mas, é pre­ci­so com­pre­en­der, que a CNE só re­ve­la­rá o re­sul­ta­do quan­do o MPLA e a Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca lhe en­vi­a­rem es­ses mes­mos re­sul­ta­dos. Is­to por­que, con­ve­nha­mos, desde 2008 e 2012

to­dos sa­be­mos que quem faz a con­ta­gem ofi­ci­al é o MPLA e a Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca. Lin­do Tit­to re­fe­riu que a di­vul­ga­ção de da­dos elei­to­rais apre­sen­ta­dos co­mo cer­tos por par­te do MPLA po­dia ser uma for­ma de in­flu­en­ci­ar a po­pu­la­ção pa­ra um re­sul­ta­do que não é o cor­rec­to. A UNITA anun­ci­ou que os da­dos ob­ti­dos pe­lo seu cen­tro de es­cru­tí­nio das elei­ções ge­rais, com dois mi­lhões de votos apu­ra­dos, apon­ta­vam pa­ra uma di­fe­ren­ça de se­te pon­tos per­cen­tu­ais pa­ra o MPLA, que se­guia na fren­te. A in­for­ma­ção foi pres­ta­da por Adal­ber­to da Cos­ta Jú­ni­or, di­ri­gen­te da UNITA e mem­bro da equi­pa de co­or­de­na­ção do cen­tro de es­cru­tí­nio do mai­or par­ti­do da opo­si­ção, que, com da­dos de 6.150 me­sas de vo­to, co­lo­ca­vam o MPLA com 47,60% da vo­ta­ção. A UNITA, nes­te es­cru­tí­nio pa­ra­le­lo – a Co­mis­são Na­ci­o­nal Eleitoral (CNE) não di­vul­ga­ra até es­sa al­tu- ra qual­quer re­sul­ta­do ofi­ci­al – com da­dos de cer­ca de dois mi­lhões de votos, tem 40,20%, a co­li­ga­ção CASA-CE 9,15%, o PRS 1,55%, a FNLA com 1,10% e a APN com 0,40%. “Mas te­mos de res­sal­var que já te­mos as ac­tas-sín­te­se das as­sem­blei­as de vo­to de Ca­cu­a­co e de Vi­a­na (dois dos mu­ni­cí­pi­os mais po­pu­lo­sos do país) e do Hu­am­bo, em que os re­sul­ta­dos são ex- tre­ma­men­te fa­vo­rá­veis à UNITA. Va­mos aguar­dar pe­la sua in­ser­ção no sis­te­ma”, apon­tou Adal­ber­to da Cos­ta Jú­ni­or.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.