AVI­SOS&FAC­TOS QUE DESACREDITAM CNE

Folha 8 - - TOPS -

1) O can­di­da­to João Lou­ren­ço ser­viu-se de aviões da FAA para se des­lo­car de ci­da­de em ci­da­de no de­cor­rer da sua cam­pa­nha elei­to­ral 2) Para Car­los Ro­sa­do Car­va­lho, exis­te em Angola uma “batota elei­to­ral” ins­ti­tuí­da para be­ne­fí­cio do MPLA. “Em ter­mos de mei­os, da des­pro­por­ção, da uti­li­za­ção dos mei­os e bens do Es­ta­do para a cam­pa­nha”, re­fe­re (…) Ain­da as­sim, Car­los Ro­sa­do Car­va­lho não acha pro­vá­vel que ha­ja uma “frau­de ge­ne­ra­li­za­da”. 3) Quan­do a per­gun­ta sobre a exis­tên­cia de frau­de elei­to­ral em Angola é co­lo­ca­da, os es­pe­ci­a­lis­tas con­tac­ta­dos pe­lo web­si­te Ob­ser­va­dor re­cor­rem a di­fe­ren­tes ti­pos de res­pos­ta. Po­rém, ne­nhum res­pon­de com um ro­tun­do e cla­ro “sim”. “Di­zer que há eleições li­vres e jus­tas é um exa­ge­ro”, diz ao Ob­ser­va­dor Pau­lo In­glês, in­ves­ti­ga­dor an­go­la­no na Uni­ver­si­da­de de Mu­ni­que. “Pri­mei­ro, por­que eu acho que só po­de­mos di­zer is­so de­pois das eleições. Se­gun­do, por­que já há ele­men­tos que in­di­cam que o Go­ver­no de­ve ma­ni­pu­lar a con­ta­gem des­tas eleições”, re­fe­re nu­ma en­tre­vis­ta por te­le­fo­ne. “O Go­ver­no es­tá a fa­zer uma ma­no­bra as­sim um pou­co ar­ris­ca­da. 4) ”No dia 25 de Agos­to, de­pois de a Por­ta-voz da CNE, Jú­lia Fer­rei­ra ter apre­sen­ta­do a se­gun­da pro­jec­ção dos re­sul­ta­dos Pro­vi­só­ri­os das Eleições Ge­rais de 23 de Agos­to, o jor­na­lis­ta Gon­çal­ves Vi­ei­ra Vi­ei­ra da Rá­dio Des­per­tar co­lo­cou uma úni­ca per­gun­ta: “Os partidos políticos na Opo­si­ção re­cla­mam con­tra os da­dos que es­tão a ser apre­sen­ta­dos e di­zem des­co­nhe­cer a pro­ve­ni­ên­cia des­tes Re­sul­ta­dos que a Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral es­tá a di­vul­gar. O que é que a se­nho­ra tem a di­zer?”. Jú­lia Fer­rei­ra pu­ra e sim­ples­men­te le­van­tou-se da ca­dei­ra, num si­lên­cio to­tal! E aban­do­nou a sa­la! 5) Caíu a más­ca­ra! Na pro­vín­cia do Hu­am­bo, não hou­ve, não há e não ha­ve­rá apu­ra­men­to pro­vin­ci­al com ba­se nas ac­tas das ope­ra­ções elei­to­rais! Ho­ko...” Es­ta afir­ma­ção é de Li­berty Chiya­ka re­pre­sen­tan­te da UNITA no Hu­am­bo, que, ao ser ver­da­dei­ra, cons­ta­to que a CNE es­tá a de­sa­cre­di­tar o lon­go ca­mi­nho para a de­mo­cra­cia que mui­tas vi­das cus­tou ao po­vo an­go­la­no. 6) Ne­nhum di­ri­gen­te e mi­li­tan­te do MPLA fes­te­jou a vi­tó­ria frau­du­len­ta no alar­de do seu ha­bi­tu­al es­pa­lha­fa­to, até ao mo­men­to, na verdade não sa­bem se ga­nha­ram, com qu­an­to ga­nha­ram e aci­ma de tu­do que re­ac­ção o so­be­ra­no po­vo An­go­la­no vai ter.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.