JOÃO LOURENÇO? MAIS DO MES­MO… OU (AIN­DA) PI­OR!

Folha 8 - - POLÍTICA -

João Lourenço, ge­ne­ral na re­ser­va, de 63 anos, foi no dia 26.09 in­ves­ti­do pe­las 12:15, no car­go de Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de An­go­la, o ter­cei­ro que o país co­nhe­ce des­de a in­de­pen­dên­cia, em No­vem­bro de 1975, sen­do que só Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos ocu­pou o lu­gar du­ran­te 38 anos. In­te­res­san­te, co­mo em qual­quer di­ta­du­ra, foi ver a bajulação po­li­ti­ca­men­te ca­ni­na do pre­si­den­te de um ór­gão ju­rí­di­co, o Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal. O ac­to, pre­sen­ci­a­do por con­vi­da­dos na­ci­o­nais e in­ter­na­ci­o­nais e mi­lha­res de po­pu­la­res (40 mil se­gun­do os nú­me­ros ofi­ci­ais), de­cor­reu no Me­mo­ri­al António Agos­ti­nho Ne­to, em Lu­an­da, no mes­mo lo­cal e dia (26 de Se­tem­bro) em que Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos foi in­ves­ti­do pe­la úl­ti­ma vez co­mo che­fe de Es­ta­do An­go­la­no, após as elei- ções de 2012. A ce­ri­mó­nia, que con­tou com a pre­sen­ça de cer­ca de du­as de­ze­nas de che­fes de Es­ta­do e do Go­ver­no – in­cluin­do Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa, Pre­si­den­te por­tu­guês e for­te­men­te aplau­di­do pe­los pre­sen­tes – foi ori­en­ta­da pe­lo juiz con­se­lhei­ro pre­si­den­te do Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal, Rui Fer­rei­ra, que pro­cla­mou a elei­ção de João Lourenço e de Bor­ni­to de Sou­sa pa­ra os car­gos, res­pec­ti­va­men­te, de Pre­si­den­te e vi­ce-pre­si­den­te an­go­la­nos. Já in­ves­ti­do nas fun­ções de no­vo pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, João Lourenço des­lo­cou-se ao lo­cal on­de se en­con­tra­va o Pre­si­den­te ces­san­te, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, pa­ra es­te lhe co­lo­car o co­lar pre­si­den­ci­al e lhe ce­der o lu­gar. O ac­to mar­cou a saí­da do po­der pre­si­den­ci­al (que não do po­der efec­ti­vo já que con­ti­nua co­mo lí­der do MPLA) de Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, que li­de­ra­va o país des­de 1979 – o se­gun­do Pre­si­den­te há mais tem­po no po­der em to­do o mun­do – e que não se re­can­di­da­tou ao car­go nas elei­ções de 23 de Agos­to úl­ti­mo. A ce­ri­mó­nia ter­mi­nou com o des­fi­le dos três ra­mos das For­ças Ar­ma­das An­go­la­nas, se­guin­do-se a exe­cu­ção do hino na­ci­o­nal e dis­pa­ros de 21 sal­vas de ca­nhão.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.