DI­E­TA PO­LÍ­TI­CA DE LOU­REN­ÇO É À BA­SE DE (MUI­TOS)… SAPOS

Folha 8 - - DESTAQUE -

Oex- Pre­si­den­te de An­go­la, ex-ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo mas ac­tu­al pre­si­den­te do MPLA, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos atri­buiu a con­ces­são, por 60 anos e cer­ca de 130 mi­lhões de eu­ros, dos ter­re­nos da mar­gi­nal da Co­rim­ba, em Lu­an­da. João Lou­ren­ço en­go­le mais uns sapos. MPLA ga­ran­te que são sapos… co­mes­tí­veis. As­si­na­do por Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos a 21 de Se­tem­bro, cin­co di­as an­tes de dei­xar o po­der e publicado no dia se­guin­te à pos­se de João Lou­ren­ço co­mo no­vo Pre­si­den­te an­go­la­no, o des­pa­cho 284/17 jus­ti­fi­ca a con­ces­são, a fa­vor da So­ci­e­da­de de De­sen­vol­vi­men­to da Mar­gi­nal da Co­rim­ba (SDMC), com a pro­pos­ta apre­sen­ta­da pe­la em­pre­sa pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to ur­ba­no da­que­la área. O ex-pre­si­den­te jus­ti­fi­cou a me­di­da com “o ma­ni­fes­to in­te­res­se pú­bli­co sub­ja­cen­te à re­a­li­za­ção do pro­jec­to pro­pos­to, cu­jos ob­jec­ti­vos fi­li­am-se, por um la­do, no qua­dro do es­for­ço na­ci­o­nal de re­cons­tru­ção e do de­sen­vol­vi­men­to do país, con­subs­tan­ci­an­do uma no­va pers­pec­ti­va de ocu­pa­ção do es­pa­ço ur­ba­no e ges­tão das in­fra-es­tru­tu­ras e equi­pa­men­tos ur­ba­nos, e, por ou­tro la­do, na me­lho­ria das con­di­ções de aces­si­bi­li­da­des à ci­da­de de Lu­an­da, bem co­mo na mais efi­ci­en­te ocu­pa­ção do so­lo”. A ori­gem da SDMC, cons­ti­tuí­da em Abril des­de ano, é des­co­nhe­ci­da. O con­tra­to de con­ces­são ur­ba­nís­ti­ca da Mar­gi­nal da Co­rim­ba, por um pe­río­do de 60 anos, es­tá ava­li­a­do em 25 mil mi­lhões de kwan- zas (128 mi­lhões de eu­ros), pre­ven­do no­me­a­da­men­te que os “bens e ter­re­nos” na­que­la área se­jam trans­fe­ri­dos “pa­ra o do­mí­nio pri­va­do do Es­ta­do, na me­di­da do le­gal­men­te per­mi­ti­do, sem pre­juí­zo da pos­te­ri­or pas­sa­gem pa­ra o do­mí­nio pú­bli­co do Es­ta­do dos ter­re­nos nos quais se­jam im­plan­tas in­fra-es­tru­tu­ras pú­bli­cas”. No dia 10 de Abril foi no­ti­ci­a­do que um ga­bi­ne­te ho­lan­dês foi es­co­lhi­do pe­las em­pre­sas res­pon­sá­veis pe­la re­a­bi­li­ta­ção da Mar­gi­nal da Co­rim­ba, em Lu­an­da, pa­ra ela­bo­rar um pro­jec­to que, até 2019, pre­vê con­quis­tar ao mar uma área de 400 hec­ta­res pa­ra cons­tru­ção de uma au­to-es­tra­da e ma­ri­nas, no âm­bi­to da de­ci­são do Go­ver­no de re­a­bi­li­tar aque­les ter­re­nos. Se­gun­do in­for­ma­ção dis­po­ni­bi­li­za­da pe­lo Royal Has­ko­ningdhv, es­te ga­bi­ne­te foi se­lec­ci­o­na­do pe­lo con­sór­cio for­ma­do pe­las em­pre­sas Ur­bein­ves­te Pro­jec­tos Imo­bi­liá­ri­os, da em­pre­sá­ria Isa­bel dos San­tos, e Van Oord Dred­ging and Ma­ri­ne Con­tra­tors, pa­ra de­se­nhar o pro­jec­to téc­ni­co de uma obra ava­li­a­da em mais de mil mi­lhões de eu­ros. A no­va área vai nas­cer num li­to­ral de 10 qui­ló­me­tros, a sul de Lu­an­da, e ser­vi­rá pa­ra a cons­tru­ção da au­to-es­tra­da da Mar­gi­nal da Co­rim­ba, além de um por­to de pes­ca, ma­ri­na e imo­bi­liá­rio. No des­pa­cho de atri­bui­ção da con­ces­são à SDMC po­de ler-se que o in­ves­ti­men­to pri­va­do pa­ra o lo­car é de “ele­va­do va­lor” e do qu­al “re­sul­tam sig­ni­fi­ca­ti­vos be­ne­fí­ci­os pú­bli­cos, com um re­le­van­te im­pac­to so­ci­o­e­co­nó­mi­co, fi­can­do o Es­ta­do ape­nas res­pon­sá­vel pe­las ne­ces­sá­ri­as in­fra-es­tru­tu­ras pú­bli­cas”. “O ob­jec­ti­vo prin­ci­pal des- te pro­jec­to é me­lho­rar a vi­da em Lu­an­da, uma ci­da­de que en­fren­ta enor­mes de­sa­fi­os de in­fra-es­tru­tu­ras cau­sa­dos pe­lo seu rá­pi­do cres­ci­men­to po­pu­la­ci­o­nal. A no­va au­to-es­tra­da re­du­zi­rá o con­ges­ti­o­na­men­to do trá­fe­go e o no­vo por­to de pes­ca pro­por­ci­o­na­rá uma ba­se me­lho­ra­da e se­gu­ra pa­ra os pes­ca­do­res lo­cais, um co­mér­cio vi­tal em An­go­la”, ex­pli­cou an­te­ri­or­men­te o di­rec­tor da Royal Has­ko­ningdhv, Gert­jan Scha­ap. Aque­le ga­bi­ne­te tem até Ja­nei­ro de 2018 pa­ra en­tre­gar o pro­jec­to de­ta­lha­do da obra e a cons­tru­ção de­ve­rá es­tar fi­na­li­za­da em me­a­dos de 2019. Em con­cre­to, es­ta com­po­nen­te dos tra­ba­lhos, en­co­men­da­dos pe­lo Go­ver­no an­go­la­no, es­tá ava­li­a­da em qua­se 410 mi­lhões de eu­ros, en­vol­ven­do a con­quis­ta ao mar da­que­la área, pos­te­ri­or­men­te a pro­te­ger com “vá­ri­os re­ves­ti­men­tos de ro­cha e que­bra-ma­res”, se­gun­do in­for­mou an­te­ri­or­men­te a em­pre­sa, tam­bém ho­lan­de­sa, Van Oord, res­pon­sá­vel, den­tro do con­sór­cio, pe­los tra­ba­lhos. A in­ter­ven­ção pública na Co­rim­ba en­vol­ve uma se­gun­da em­prei­ta­da, que con­sis­te na cons­tru­ção pro­pri­a­men­te di­ta de re­a­bi­li­ta­ção e aces­si­bi­li­da­des, a re­a­li­zar em con­sór­cio pe­las em­pre­sas Lands­ca­pe e Chi­na Ro­ad and Bridge Cor­po­ra­ti­on An­go­la, por 690,1 mi­lhões de dó­la­res (686 mi­lhões de eu­ros). Pa­ra re­ti­rar pres­são ao trans­por­te ro­do­viá­rio em Lu­an­da, o Go­ver­no an­go­la­no es­tá a cri­ar cor­re­do­res es­pe­cí­fi­cos pa­ra au­to­car­ros, re­for­çan­do tam­bém a ofer­ta de trans­por­te pú­bli­co atra­vés de li­nhas de ca­ta­ma­rãs até ao cen­tro da ca­pi­tal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.