SIL­VIO BURITY ES­TÁ A DESTRUIR A ECO­NO­MIA

Fo­lha 8 vai re­me­mo­rar es­te tex­to de 03 Abril 2013, fa­ce a sua ac­tu­a­li­da­de e o pro­ble­ma que tei­ma em mu­dar, pois os ví­ci­os e os au­to­res sen­do os mes­mo na­da mu­da.

Folha 8 - - CRÓNICA - PAU­LO PINTO DE AN­DRA­DE

Não me lem­bro em to­dos es­tes anos de ac­ti­vi­da­de em­pre­sa­ri­al al­gu­ma vez ter vis­to uma ins­ti­tui­ção de di­rei­to pu­bli­co co­mo é a Al­fan­de­ga Na­ci­o­nal a pro­ce­der “com­ple­ta­men­te con­tra a eco­no­mia do pais e dos agen­tes eco­no­mi­cos”. Du­ran­te os ul­ti­mos me­ses a Al­fan­de­ga Na­ci­o­nal “au­men­tou pa­ra o do­bro os cus­tos adu­a­nei­ros de pro­du­tos im­por­ta­dos sem emi­tir qual­quer jus­ti­fi­ca­ção”, em­bo­ra se sai­ba que a ta­be­la de di­rei­tos adu­a­nei­ros é um ins­tru­men­to da nos­sa po­li­ti­ca co­mer­ci­al apro­va­da pe­la as­sem­bleia na­ci­o­nal, is­so não foi ti­do em con­ta. Ao al­te­rar uni­la­te­ral­men­te os cus­tos adu­a­nei­ros, Sil­vio Burity es­ta a pas­sar por ci­ma de uma de­ci­são da as­sem­bleia na­ci­o­nal e a des­res­pei­tar a de­ci­são do prin­ci­pal or­gão de so­be­ra­nia na­ci­o­nal, ul­tra­pas­sou as su­as com­pe­ten­ci­as e fê-lo de for­ma ar­bi­tra­ria, au­to­ri­ta­ria e sem me­dir as con­sequên­ci­as eco­no­mi­cas da sua de­ci­são. Co­mo se não bas­tas­se, Sil­vio Fran­co Burity con­di­ci­o­nou o de­sen­la­ce adu­a­nei­ro ao pa­ga­men­to da ins­pec­ção a uma em­pre­sa pri­va­da a Bro­man­gol que co­bra pa­ra uma ins­pec­ção $ 5’900,00, re­pi­to; cin­co mil e no­ve­cen­tos dó­la­res, que nes­te ca­so equi­va­le a 20%, do va­lor da mer­ca­do­ria. Pa­ra fi­ca­rem com uma no­ção mais cla­ra o cus­to de trans­por­te de um con­ten­tor de Ro­ter­dão pa­ra Lu­an­da cus­ta $4’500,00, por is­so a ins­pec­ção é mais ca­ra que o cus­to de trans­por­te da Eu­ro­pa pa­ra Lu­an­da,...não per­ce­bo co­mo Sil­vio Burity não en­xer­ga es­tas in­con­gruên­ci­as. Es­ta cla­ro que Sil­vio Fran­co Burity é ho­je um di­rec­tor in­com­pe­ten­te pa­ra a res­pon­sa­bi­li­da­de que a Al­fan­de­ga Na­ci­o­nal de­sem­pe­nha no con­tex­to da eco­no­mia ac­tu­al, é um ho­mem do pas­sa­do, in­ca­paz de per­ce­ber o im­pac­to da sua de­ci­são na eco­no­mia, na ela­bo­ra­ção dos pre­ços, na cri­a­ção de em­pre­go e con­se­quen­te­men­te na paz so­ci­al que vi­ve­mos ho­je. O que se es­ta a pas­sar na ges­tão da Al­fan­de­ga Na­ci­o­nal de Si­vio Burity já evi­den­cia o se­guin­te : 1. Vul­ne­ra­bi­li­da­de de ma­ni­pu­la­ção de ins­ti­tui­ção pu­bli­ca. 2. Al­te­ra­ção ar­bi­tra­ria dos pro­ces­sos e ta­xas. 3. In­tro­du­ção de em­pre­sa pri­va­da pa­ra ob­ten­ção de lu­cro em ac­ti­vi­da­de pu­bli­ca. 4. Au­men­to da in­fla­ção. 5. De­gra­da­ção do po­der de com­pra. 6. Au­men­to da Po­bre­za. O pa­pel e o per­fil psi­co­lo­gi­co do ser­vi­dor pu­bli­co na­ci­o­nal de­vem fa­zer par­te da nos­sa cons­ci­en­cia ci­vi­ca co­lec­ti­va, te­mos que exi­gir mais com­pe­ten­cia e in­te­gri­da­de de quem pre­ten­de ou exer­ça um car­go pu­bli­co. A di­na­mi­ca ins­ta­la­da na nos­sa eco­no­mia e as trans­for­ma­ções em cur­so pa­ra cri­ar­mos uma eco­no­mia de mer­ca­do pros­pe­ra, mo­der­na e ge­ra­do­ra de em­pre­go, ne­ces­si­ta no ca­so das Al­fan­de­gas de um di­rec­tor na­ci­o­nal in­te­gro e com­pe­ten­te, pre­ci­sa­men­te aqui­lo que já fal­ta a Sil­vio Burity, na mi­nha opi­nião o Pre­si­den­te da Re­pu­bli­ca de­ve de­mi­ti-lo o mais ra­pi­da­men­te pos­si­vel sob pe­na de con­ti­nu­ar a de­gra­dar a nos­sa eco­no­mia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.