AFRONTA DE JE­AN CLAU­DE

Folha 8 - - DESTAQUE -

An­tes des­ta ame­a­ça de tsu­na­mi, ten­tou-se uma apro­xi­ma­ção e ne­go­ci­a­ção pa­cí­fi­ca, mas Je­an-clau­de de­sa­fi­an­do tu­do e to­dos de­ci­diu in­ten­tar uma ac­ção con­tra o do­no do di­nhei­ro, o Es­ta­do angolano. Even­tu­al­men­te res­guar­da­do no que sa­be e no que po­de pro­var, nes­te ca­so co­mo nou­tros que ain­da va­guei­am no sub­mun­do das ne­go­ci­a­tas com tu­ba­rões que man­da­ram e mandam no país, o só­cio de Fi­lo­me­no dos Santos faz do ata­que a me­lhor de­fe­sa. E, pe­los vis­tos, há gen­te im­por­tan­te (ou que foi im­por­tan­te) no MPLA que es­tá a car­re­ar pa­ra o es­tran­gei­ro pro­vas so­li­dá­ri­as pa­ra o dos­si­er de de­fe­sa de Je­anC­lau­de. Mas exis­te uma ou­tra te­se. Je­an Clau­de, acre­di­ta-se, ti­nha me­do de re­ti­rar os mon­tan­tes e de­vol­ver a An­go­la, uma vez ter fei­to apli­ca­ções do mes­mo e uma re­ti­ra­da abrup­ta das mes­mas po­de­ria le­vá-lo a uma sé­rie de pro­ces­sos ju­di­ci­ais mun­do afo­ra. Co­mo se po­de ver são uma su­ces­são de cri­mes im­pu­ta­dos a es­ta du­pla, que de­ve sim, ago­ra, sa­ber de­fen­der-se, se tem no­ção de não ter co­me­ti­do ne­nhum ilí­ci­to, nem de­frau­da­do o Es­ta­do. Im­por­ta re­le­var que o ilí­ci­to po­de, do pon­to de vis­ta es­tri­ta­men­te ju­rí­di­co, per­der es­se epí­te­to se es­ti­ver a co­ber­to de leis, ou de­ci­sões, oriun­dos de um Po­der su­pe­ri­or le­gal­men­te le­gi­ti­ma­do pa­ra is­so.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.