PO­E­MA DE NI­CO­LAU SAN­TOS KALUANDA

Jornal Cultura - - ARTE POÉTICA -

Nas­ci bran­co de se­gun­da Cal­ci­nhas ou kaluanda Nas­ci com os pés no mar em São Pau­lo de Lo­an­da Brin­quei de pé des­cal­ço Em po­ças de águas cas­ta­nhas Ti­ve la­gar­tas da ca­ça Não es­ca­pei às ma­ta­ca­nhas Co­mi man­ga sa­pe-sa­pe Fru­ta-pi­nha ta­ma­rin­do Ma­mão a gen­te rou­ba­va No quintal do ve­lho Zin­do Pi­ro­li­to que pe­ga nos den­tes Ba­lei­zão, pa­ra­cu­ca E car­ri­nhos de ro­la­men­tos Nu­ma cor­ri­da ma­lu­ca Ti­nha o Ge­lo, ti­nha a Bi­ker Mi­ra­mar e Co­lo­ni­al O Fer­ro­via, o Ma­rí­ti­mo Chás dan­çan­tes no Tro­pi­cal O N’Go­la era só rit­mo O Li­ceu uma len­da Ki­mu­e­zo e Te­ta Lan­do E os Ases do Pren­da Ha­via ve­lhas que fu­ma­vam E ve­lhos com ar de sá­bio En­quan­to no­vas mú­si­cas Se in­si­nu­a­vam na rá­dio "E a ci­da­de é lin­da É de bem que­rer A mi­nha ci­da­de é lin­da Hei-de amá-Ia até mor­rer” Qu­em não es­tu­dou no Sal­va­dor? Qu­em não se lem­bra do Vi­dei­ra? E das ga­ri­nas de ba­ta bran­ca Nos­sas co­le­gas de car­tei­ra? De­pois ha­via o Ki­na­xi­xe Fu­te­bol era nos Co­quei­ros Ha­via prai­as, um mar quen­te Sa­va­nas imen­sas, im­bon­dei­ros E ha­via o som do ven­to O chei­ro da ter­ra mo­lha­da As chu­vas ar­ra­sa­do­ras O fo­go das quei­ma­das E ha­via to­dos os lou­cos Do pro­gres­so e da guer­ra A Jo­a­na Ma­lu­ca, o Gas­pa­ri­to A des­gra­ça da­que­la ter­ra Nas­ci bran­co de se­gun­da Cal­ci­nha ou kaluanda Nas­ci com os pés no mar Em São Pau­lo de Lo­an­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.