Lan­ça­da ofen­si­va con­tra o ter­ro­ris­mo

For­ças do Go­ver­no lí­bio de Uni­da­de Na­ci­o­nal re­a­li­zam ofen­si­va fi­nal à ci­da­de de Sir­te

Jornal de Angola - - PARTADA - ELEAZAR VAN-DÚNEM |

O lan­ça­men­to, no domingo, da úl­ti­ma fa­se da ofen­si­va con­tra as po­si­ções ain­da con­tro­la­das pe­lo Es­ta­do Is­lâ­mi­co em Sir­te, bas­tião do gru­po ex­tre­mis­ta, no nor­te da Lí­bia, cul­mi­nou em pe­lo me­nos 34 mor­tos e 150 fe­ri­dos en­tre as tro­pas le­ais ao Go­ver­no.

O lan­ça­men­to, no domingo, da úl­ti­ma fa­se da ofen­si­va con­tra as po­si­ções ain­da con­tro­la­das pe­lo Es­ta­do Is­lâ­mi­co em Sir­te, bas­tião do gru­po, no nor­te da Lí­bia, cul­mi­nou em pe­lo me­nos 34 mor­tos e 150 fe­ri­dos en­tre as tro­pas le­ais ao Go­ver­no, in­for­ma­ram on­tem fontes ofi­ci­ais.

O hos­pi­tal de Sir­te con­tou 34 mor­tes en­tre as tro­pas le­ais ao Go­ver­no, e o hos­pi­tal cen­tral de Mis­ra­ta, ci­da­de a cer­ca de 200 qui­ló­me­tros a oes­te e se­de do Cen­tro de Co­man­do de Ope­ra­ções, anun­ci­ou ter re­ce­bi­do 150 fe­ri­dos das for­ças do Go­ver­no de Uni­da­de Na­ci­o­nal.

Um fo­tó­gra­fo da agên­cia de no­tí­ci­as Fran­ce Press em Sir­te tes­te­mu­nhou o que cha­mou de “violentos combates” du­ran­te o dia, que se tor­na­ram es­po­rá­di­cos ao cair da noi­te.

Cer­ca de mil sol­da­dos fo­ram mo­bi­li­za­dos para a “úl­ti­ma fa­se” da ofen­si­va lí­bia des­ti­na­da a ex­pul­sar to­tal­men­te os re­bel­des que re­sis­tem nos bair­ros da ci­da­de cos­tei­ra, em gran­de par­te re­to­ma­da pe­las for­ças do Go­ver­no lí­bio de Uni­da­de Na­ci­o­nal des­de o iní­cio do ve­rão no he­mis­fé­rio nor­te.

Após um avan­ço rá­pi­do em Maio, o avan­ço das for­ças do Go­ver­no de Uni­da­de Na­ci­o­nal foi tra­va­do pe­la es­tra­té­gia de guer­ri­lha co­lo­ca­da em ac­ção pe­lo Es­ta­do Is­lâ­mi­co, cu­jas “ar­mas são as mi­nas (...) e os cin­tu­rões de ex­plo­si­vos”, se­gun­do as pa­la­vras de um sol­da­do le­al ao Go­ver­no.

As ex­plo­sões de car­ro-bom­ba, de re­bel­des sui­ci­das e de mi­nas ter­res­tres dei­xa­ram vá­ri­os mor­tos en­tre as tro­pas le­ais ao Go­ver­no, que per­de­ram mais de 350 com­ba­ten­tes, se­gun­do fontes mi­li­ta­res . Qua­se dois mil sol­da­dos le­ais ao Go­ver­no te­ri­am fi­ca­do fe­ri­dos. É des­co­nhe­ci­do o ba­lan­ço de mor­tos en­tre as for­ças do Es­ta­do Is­lâ­mi­co.

Re­bel­des em de­clí­nio

A re­con­quis­ta to­tal da ci­da­de na­tal do an­ti­go Pre­si­den­te Mu­am­mar Kadha­fi, si­tu­a­da 450 qui­ló­me­tros a les­te de Tri­po­li, era um gran­de re­vés para o Es­ta­do Is­lâ­mi­co, que a con­tro­la des­de Ju­nho de 2015 e de lá li­de­rou a sua ex­pan­são para fo­ra da Sí­ria e do Ira­que.

O por­ta-voz das for­ças le­ais ao Go­ver­no anun­ci­a­ra na agên­cia de no­tí­ci­as Fran­ce Press, na vés­pe­ra, o que é de­sig­na­da a ofen­si­va fi­nal: “as nos­sas for­ças en­tra­ram nos dois úl­ti­mos bair­ros do Es­ta­do Is­lâ­mi­co em Sir­te. A úl­ti­ma batalha de Sir­te co­me­çou”, afir­mou Re­da Is­sa.

Se­gun­do o por­ta-voz da Lí­bia, as tro­pas pró-Go­ver­no em­pre­gam to­do ti­po de ar­ma­men­to, es­pe­ci­al­men­te ar­ti­lha­ria pe­sa­da, e os re­bel­des têm co­mo ata­que prin­ci­pal o uso de veí­cu­los com car­ga ex­plo­si­va e no domingo uti­li­za­ram até cin­co veí­cu­los.

“Con­se­gui­mos des­truir um car­ro­bom­ba que apon­ta­va con­tra as nos­sas for­ças, que foi neu­tra­li­za­do an­tes que cum­pris­se o seu ob­jec­ti­vo”, ex­pli­cou Re­da Is­sa.

As for­ças ter­res­tres, acres­cen­tou, apro­vei­ta­ram “uma noi­te de bom­bar­dei­os da for­ça aé­rea” dos EUA, que apoi­am as tro­pas pró-Go­ver­no em Sir­te des­de o iní­cio des­te mês, a pe­di­do do GNA.

For­ma­das prin­ci­pal­men­te por an­ti­gos re­bel­des que re­jei­ta­ram en­tre­gar as ar­mas após a re­vol­ta de 2011, as for­ças pro-Go­ver­no lan­ça­ram uma ofen­si­va con­tra o Es­ta­do Is­lâ­mi­co em 12 de Maio, en­tra­ram em 9 de Ju­nho na ci­da­de de Sir­te e to­ma­ram o con­tro­lo do porto e do cen­tro ad­mi­nis­tra­ti­vo.

As tro­pas le­ais ao Go­ver­no, que se pre­pa­ra­vam-se há di­as para a “batalha de­ci­si­va” con­tra as for­ças do Es­ta­do Is­lâ­mi­co, de­pois de as ex­pul­sa­rem dos seus úl­ti­mos re­du­tos, re­a­gru­pa­ram-se na pe­ri­fe­ria da ci­da­de e na en­tra­da de dois bair­ros do nor­te e do cen­tro da mes­ma, se­gun­do de­cla­ra­ções de sol­da­dos à equi­pa da Fran­ce Press.

Go­ver­no per­de apoio

A úl­ti­ma batalha da ofen­si­va fi­nal con­tra Sir­te acon­te­ce uma se­ma­na de­pois de o Go­ver­no da Lí­bia de Uni­da­de Na­ci­o­nal, apoi­a­do pe­la ONU e pe­las po­tên­ci­as oci­den­tais, per­der o vo­to de con­fi­an­ça do Par­la­men­to de Tri­po­li, de acor­do com o por­ta-voz da Ca­sa das Leis, Ab­dul­lah Ablahig. Dos 101 de­pu­ta­dos, 61 vo­ta­ram con­tra o Go­ver­no e 39 abs­ti­ve­ram-se, re­sul­ta­do que, para ana­lis­tas, afec­tam os es­for­ços in­ter­na­ci­o­nais de tra­zer uni­da­de ao país.

A per­da de apoio par­la­men­tar traz in­cer­te­za no país e não se sa­be o que acon­te­ce ago­ra.

Par­te dos par­la­men­ta­res afir­mam que, após a vo­ta­ção, o Go­ver­no de­via ser au­to­ma­ti­ca­men­te dis­sol­vi­do, mas ou­tros de­pu­ta­dos des­car­tam es­sa ideia.

O Go­ver­no de Fayez al-Sar­raj per­de o apoio do Par­la­men­to de Tri­po­li de­pois de fa­lhar a apro­xi­ma­ção ao Go­ver­no de To­bruk, que per­deu os apoi­os da ONU, da OTAN e das po­tên­ci­as oci­den­tais com a for­ma­ção do Go­ver­no de Uni­da­de Na­ci­o­nal e até ho­je não o apoia.

O Go­ver­no de To­bruk, que con­tro­la o les­te do país, re­cu­sa re­co­nhe­cer o Go­ver­no lí­bio de União Na­ci­o­nal sem o aval do Par­la­men­to de To­bruk, que por vá­ri­as ve­zes adi­ou a mo­ção de con­fi­an­ça àque­le Go­ver­no por fal­ta de quó­rum.

A Lí­bia tem ac­tu­al­men­te dois Go­ver­nos e dois Par­la­men­tos, o de Tri­po­li, re­co­nhe­ci­do pe­la OTAN e pe­las po­tên­ci­as oci­den­tais, e o de To­bruk, que ti­nha tais apoi­os e os per­deu após a cri­a­ção do Go­ver­no de Uni­da­de Na­ci­o­nal.

AFP

Ofen­si­va fi­nal das for­ças le­ais ao Go­ver­no lí­bio de Uni­da­de Na­ci­o­nal na ci­da­de de Sir­te ga­nha ter­re­no aos re­bel­des do Es­ta­do Is­lâ­mi­co

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.