Ges­tão de par­ques po­de me­lho­rar

Ini­ci­a­ti­va abre ca­mi­nho pa­ra o co­nhe­ci­men­to da fau­na e da flo­ra

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - LOURENÇO BULE | Me­non­gue

O pla­no de ges­tão dos par­ques na­ci­o­nais de Mavinga e Lu­en­gue-Lui­a­na, si­tu­a­dos no Cuando Cubango, no qua­dro do pro­jec­to tu­rís­ti­co trans­fron­tei­ri­ço de Oka­van­go-Zam­be­ze, foi apre­sen­ta­do on­tem, em Me­non­gue, aos mem­bros do Go­ver­no da pro­vín­cia e da so­ci­e­da­de ci­vil.

Du­ran­te a ce­ri­mó­nia de apre­sen­ta­ção, que de­cor­reu no an­fi­te­a­tro do go­ver­no pro­vin­ci­al, o di­rec­tor Na­ci­o­nal da Bi­o­di­ver­si­da­de, Abi­as Hu­o­an­go, dis­se que com a ela­bo­ra­ção do pla­no de ges­tão dos par­ques abre-se uma por­ta pa­ra me­lhor co­nhe­ci­men­to da fau­na e flo­ra do Cuando Cubango.

Abi­as Hu­on­go sa­li­en­tou que os par­ques vão ser ge­ri­dos de for­ma a me­lho­rar as su­as fun­ções eco­ló­gi­cas e as po­pu­la­ções de vi­da sel­va­gem. Além dis­so, vão for­ne­cer uma va­ri­e­da­de de ser­vi­ços eco­ló­gi­cos às po­pu­la­ções re­si­den­tes nes­sas áre­as e os vi­si­tan­tes.

O di­rec­tor na­ci­o­nal da Bi­o­di­ver­si­da­de re­al­çou que o Mi­nis­té­rio do Am­bi­en­te tem pro­cu­ra­do di­na­mi­zar a ges­tão das áre­as de con­ser­va­ção pas­san­do pe­la for­ma­ção e en­qua­dra­men­to de fis­cais. “Os par­ques na­ci­o­nais são ex­tre­ma­men­te im­por­tan­tes, vis­to que re­pre­sen­tam in­te­res­ses de to­dos, e es­ta ges­tão e pro­tec­ção de­pen­de da par­ti­ci­pa­ção de to­dos os in­di­ví­du­os”, dis­se Abi­as Hu­on­go.

Os Par­ques Na­ci­o­nais de Mavinga e de Lu­en­gue-Lui­a­na (Cuando Cubango) e Mai­om­be em Ca­bin­da, re­cor­dou Abi­as Hu­on­go, são os três par­ques que o go­ver­no an­go­la­no pro­cla­mou no pe­río­do pós-in­de­pen­dên­cia.

Re­co­lha de con­tri­bui­ções

O am­bi­en­ta­lis­ta Vla­di­mir Rus­so ex­pli­cou que a apre­sen­ta­ção do pla­no de ges­tão des­ti­na-se a re­co­lher con­tri­bui­ções das au­to­ri­da­des do Cuando Cubango pa­ra o seu me­lho­ra­men­to e pos­te­ri­or­men­te ser sub­me­ti­do às ins­tân­ci­as su­pe­ri­o­res pa­ra sua apro­va­ção fi­nal.

Com re­cur­so a um pro­jec­tor, Vlad­mir Rus­so apre­sen­tou to­dos os com­po­nen­tes que dos par­ques na­ci­o­nais. O pla­no pre­vê pre­ser­var o pa­tri­mó­nio ge­o­ló­gi­co e ar­que­o­ló­gi­co, ga­ran­tir que as ge­ra­ções ac­tu­ais e fu­tu­ras te­nham aces­so aos par­ques em se­gu­ran­ça, pro­mo­ver o eco­tu­ris­mo pa­ra que as po­pu­la­ções re­si­den­tes e vi­zi­nhas pos­sam be­ne­fi­ci­ar de to­da a bi­o­di­ver­si­da­de, ga­ran­tir a mi­gra­ção da vi­da sel­va­gem e pro­vi­den­ci­ar as opor­tu­ni­da­des pa­ra in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca e edu­ca­ção am­bi­en­tal do pú­bli­co.

O am­bi­en­ta­lis­ta ex­pli­cou que o pla­no de ges­tão dos par­ques na­ci­o­nais de Mavinga e Lu­en­gue-Lui­a­na é um do­cu­men­to que enun­cia a fi­lo­so­fia de ba­se e de de­sen­vol­vi­men­to, for­ne­cen­do es­tra­té­gi­as pa­ra a so­lu­ção de pro­ble­mas e ob­jec­ti­vos iden­ti­fi­ca­dos ao lon­go de um pe­río­do de­fi­ni­do. Abi­as Hu­on­go acres­cen­tou que com ba­se nes­tas es­tra­té­gi­as, pro­gra­mas, ac­ções e es­tru­tu­ras de apoio ne­ces­sá­ri­as pa­ra as ope­ra­ções efi­ci­en­tes do par­que, são iden­ti­fi­ca­dos os usos dos vi­si­tan­tes e be­ne­fí­ci­os pa­ra os se­res hu­ma­nos.

O par­que de Mavinga tem 46.076 qui­ló­me­tros qua­dra­dos, sen­do con­si­de­ra­do um dos mai­o­res de An­go­la, se­guin­do-se o de Lu­en­gue-Lui­a­na com uma ex­ten­são ter­ri­to­ri­al de 22.610 qui­ló­me­tros qua­dra­dos.

O ofi­ci­al do pro­gra­ma de su­per­vi­são da Agên­cia dos Es­ta­dos Uni­dos pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to In­ter­na­ci­o­nal (USAID), Paul McDerm­mott, tam­bém pre­sen­te na ce­ri­mó­nia, su­bli­nhou que os pla­nos de ges­tão dos par­ques pro­por­ci­o­nam uma li­nha ori­en­ta­do­ra de ad­mi­nis­tra­ção nos pri­mei­ros anos, que é cru­ci­al pa­ra o su­ces­so a lon­go pra­zo.

Paul McDerm­mott re­al­çou que a cri­a­ção dos pla­nos de ges­tão sur­ge num mo­men­to opor­tu­no pa­ra me­lho­rar a con­ser­va­ção dos re­cur­sos bi­o­ló­gi­cos dos par­ques e aju­dar na ori­en­ta­ção e de­sen­vol­vi­men­to de in­fra-es­tru­tu­ras.

Re­al­çou os es­for­ços em­pre­en­di­dos pe­la USAID, Mi­nis­té­rio do Am­bi­en­te e o go­ver­no do Cuando Cubango na cri­a­ção do pla­no de ges­tão dos par­ques de Mavinga e Lu­en­gue-Lui­a­na, obe­de­cen­do uma ori­en­ta­ção fo­ca­li­za­da na con­ser­va­ção da bi­o­di­ver­si­da­de e pro­mo­ção do eco­tu­ris­mo. “O go­ver­no dos Es­ta­dos Uni­dos es­tá sa­tis­fei­to por ter apoi­a­do An­go­la na ela­bo­ra­ção do Pla­no de Ges­tão dos Par­ques de Mavinga e Lu­en­gue-Lui­a­na e aplau­de o com­pro­mis­so do Es­ta­do an­go­la­no com a con­ser­va­ção da bi­o­di­ver­si­da­de”, dis­se.

NICOLAU VAS­CO | ME­NON­GUE

Par­ques Na­ci­o­nais pas­sam a for­ne­cer uma va­ri­e­da­de de ser­vi­ços eco­ló­gi­cos aos vi­si­tan­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.