Ha­mil­ton pe­de a Alon­so pa­ra fi­car

Jornal de Angola - - CULTURA -

O fim-de-se­ma­na não foi ape­nas mar­ca­do pe­la cor­ri­da di­nâ­mi­ca que ti­ve­mos no do­min­go com a vi­tó­ria de Ni­co Ros­berg, mas tam­bém com a re­ve­la­ção de Fer­nan­do Alon­so de que, se não hou­ver me­lho­ri­as na For­mu­la 1 no ge­ral, ele po­de aban­do­nar a sua car­rei­ra de 15 anos, no fi­nal da pró­xi­ma épo­ca.

O pi­lo­to bi­cam­peão do mun­do que foi con­si­de­ra­do, pe­la mai­or par­te dos crí­ti­cos mun­di­al­men­te, co­mo o “pi­lo­to do dia” na Bél­gi­ca, após uma bri­lhan­te cor­ri­da que o ti­rou do úl­ti­mo lu­gar pa­ra o “top” 5 (num ar­ran­que on­de con­se­guiu ga­nhar 10 lu­ga­res) e de­pois ter­mi­nou em sé­ti­mo lu­gar, nu­ma pis­ta on­de a McLa­ren cla­ra­men­te não ti­nha ca­pa­ci­da­de de lá es­tar, dis­se na quin­ta-fei­ra pas­sa­da du­ran­te uma en­tre­vis­ta que “eu acho que se os car­ros fo­rem no­va­men­te di­ver­ti­dos de se con­du­zir, pro­va­vel­men­te fi­ca­rei por mais tem­po e con­du­zi­rei mais anos na For­mu­la 1, mas se os car­ros con­ti­nu­a­rem a dar-me o sen­ti­men­to que ve­nho a ter nos úl­ti­mos anos, irei pro­va­vel­men­te pa­rar.”

O pi­lo­to da McLa­ren-Hon­da tem si­do mui­to crí­ti­co nos úl­ti­mos anos (com a in­tro­du­ção dos mo­to­res V6 e a no­va re­gu­la­men­ta­ção) so­bre a con­du­ção dos car­ros que já não exi­ge tan­to dos pi­lo­tos, ten­do o car­ro mai­or van­ta­gem. No en­tan­to, nu­ma en­tre­vis­ta da­da pe­lo tri­cam­peão do mun­do e ac­tu­al lí­der do cam­pe­o­na­to, Lewis Ha­mil­ton, ao jor­nal es­pa­nhol “AS”, pu­bli­ca­da on­tem, con­si­de­rou Alon­so “um dos me­lho­res pi­lo­tos de to­dos os tem­pos”, mas acre­di­ta que ele po­de dei­xar a For­mu­la 1 em bre­ve. Quan­do lhe foi per­gun­ta­do se Alon­so po­de­ria re­al­men­te aban­do­nar a For­mu­la 1, Ha­mil­ton res­pon­deu: “É cla­ro que sim. Ele tem 35 anos e já ga­nhou di­nhei­ro su­fi­ci­en­te. Já ven­ceu cor­ri­das su­fi­ci­en­tes, tem ex­pe­ri­ên­cia su­fi­ci­en­te, e já não pre­ci­sa da Fór­mu­la 1 pa­ra ser al­guém”. No en­tan­to, Ha­mil­ton tam­bém gos­ta­ria que Alon­so con­ti­nu­as­se de­pois de 2017, quan­do ex­pi­ra o seu ac­tu­al con­tra­to, afir­man­do que “se ele dei­xar a F1 no fi­nal do pró­xi­mo ano, e eu já não po­der cor­rer con­tra ele, se­ria uma pe­na, re­al­men­te uma pe­na” dis­se Ha­mil­ton.

O pi­lo­to in­glês re­for­çou ain­da que “não se­ria bom pa­ra es­te des­por­to e es­ta­ria a man­dar a men­sa­gem er­ra­da. A Fór­mu­la 1 não era a mes­ma se Alon­so não con­ti­nu­ar.” “Eu con­ti­nuo a achar que ele é um dos me­lho­res pi­lo­tos ac­tu­al­men­te, eu sem­pre dis­se is­so”, adi­ci­o­nou Ha­mil­ton. “Ho­nes­ta­men­te es­pe­ro que a McLa­ren pos­sa cons­truir um car­ro pa­ra ele, que lhe per­mi­te ga­nhar no­va­men­te, e as­sim eu pos­so vol­tar a com­pe­tir con­tra ele”, re­for­çou. Alon­so es­tá em 11.º lu­gar no cam­pe­o­na­to, 202 pon­tos atrás de Ha­mil­ton, e com o rit­mo de de­sen­vol­vi­men­to da McLa­ren, que ape­sar de es­tar cla­ra­men­te a cres­cer, Alon­so não so­be ao pó­dio des­de 2014. Ha­mil­ton e Alon­so de­pois de pas­sa­rem por uma épo­ca con­tro­ver­sa em 2007, quan­do fo­ram co­le­gas de equi­pa na McLa­ren, cri­ou um gran­de res­pei­to mú­tuo en­tre am­bos, e das vá­ri­as ve­zes quan­do per­gun­ta­dos em en­tre­vis­ta quem era o pi­lo­to que mais res­pei­ta­vam nos úl­ti­mos anos, a res­pos­ta foi sem­pre a mes­ma: “Ha­mil­ton” no ca­so de Alon­so... e “Alon­so” no ca­so de Ha­mil­ton. Exis­te cla­ra­men­te um gran­de res­pei­to en­tre am­bos, con­si­de­ra­dos por mui­tos os dois me­lho­res pi­lo­tos da ac­tu­a­li­da­de.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.