Em­prei­tei­ra ga­ran­te con­clu­são da via do Soyo no pró­xi­mo ano

Es­ta­do as­su­me in­dem­ni­za­ções a pro­pri­e­tá­ri­os de ca­sas e la­vras ao lon­go do per­cur­so

Jornal de Angola - - PARTADA - JOÃO MA­VIN­GA | Soyo

A che­ga­da das chu­vas não vai atra­pa­lhar as obras na es­tra­da na­ci­o­nal (EN) nú­me­ro 100, ga­ran­tiu o di­rec­tor pro­vin­ci­al do Ins­ti­tu­to de Es­tra­das de An­go­la no Zai­re, Ma­nu­el Di­an­ga­ni. O res­pon­sá­vel do INEA acres­cen­tou que fo­ram to­ma­das to­das as pre­cau­ções pa­ra con­cluir o tro­ço de 150 qui­ló­me­tros en­tre o Soyo e o Nzeto em 2017. A obra em­pre­ga mais de 800 tra­ba­lha­do­res.

Ma­nu­el Di­an­ga­ni afir­mou tam­bém que exis­tem to­das as ga­ran­ti­as quan­to ao su­por­te fi­nan­cei­ro das obras, pe­lo que as ex­pec­ta­ti­vas da po­pu­la­ção não vão ser de­frau­da­das. A cons­tru­ção da via, de gran­de im­por­tân­cia pa­ra a pro­vín­cia do Zai­re, re­gis­tou an­tes vá­ri­as in­ter­rup­ções.

O go­ver­na­dor pro­vin­ci­al, Jo­a­nes An­dré, vol­tou a vi­si­tar as obras e mos­trou-se sa­tis­fei­to com o que viu, ten­do dei­xa­do uma pa­la­vra de apre­ço às em­prei­tei­ras en­vol­vi­das nos tra­ba­lhos. Além da ter­ra­pla­na­gem, es­tão a ser con­cluí­das as 130 pas­sa­gens hi­dráu­li­cas e a tu­ba­gem das re­des de es­go­tos, de elec­tri­ci­da­de e de te­le­fo­nes.A ter­ra­pla­na­gem in­clui a subs­ti­tui­ção de so­los con­si­de­ra­dos me­dío­cres em de­ter­mi­na­dos tro­ços. A es­tra­da no­va, com du­as fai­xas de ro­da­gem em ca­da sen­ti­do, es­tá a ser pre­pa­ra­da pa­ra su­por­tar car­gas de até 60 to­ne­la­das por ei­xo.

Em mé­dia, 500 veí­cu­los cir­cu­lam por dia na EN nº100 en­tre o Soyo e o Nzeto. Os au­to­mo­bi­lis­tas mos­tram-se sa­tis­fei­tos com as obras, que per­mi­ti­ram en­cur­tar o tem­po das vi­a­gens de 11 pa­ra cin­co ho­ras.

O res­pon­sá­vel do INEA no Zai­re dis­se que, com a con­clu­são da dre­na­gem, pon­tes e de pas­sa­gens hi­dráu­li­cas, es­tão cri­a­das as con­di­ções pa­ra se dar iní­cio ao as­fal­ta­men­to. Pe­lo me­nos du­as fai­xas, uma de ida e ou­tra de vin­da, po­dem ser con­cluí­das ao até fi­nal do ano.

A Si­no-Hi­dro, em­pre­sa chi­ne­sa à qual o go­ver­no pro­vin­ci­al ad­ju­di­cou a cons­tru­ção de 96 qui­ló­me­tros do tro­ço, pro­ce­de a es­ca­va­ções e ao com­pac­ta­men­to do so­lo nos pon­tos crí­ti­cos, pa­ra se dar iní­cio ao as­fal­ta­men­to e ga­ran­tir a cir­cu­la­ção de vi­a­tu­ras.

Gran­des quan­ti­da­des de ter­ra são re­mo­vi­das e subs­ti­tuí­das, o que im­pli­ca um es­for­ço enor­me em ter­mos de lo­gís­ti­ca. “Tem que se trans­por­tar mui­ta ter­ra, pa­ra a subs­ti­tui­ção dos tro­ços ar­gi­lo­sos, sem qua­li­da­de”, ex­pli­cou Ma­nu­el Di­an­ga­ni.

Do Soyo ao Nzeto, es­tão em cons­tru­ção 18 gran­des pon­tes no tra­ça­do da no­va via ex­pres­so. O res­pon­sá­vel afir­mou que “fal­ta mui­to pou­co pa­ra se can­tar vi­tó­ria nu­ma obra mui­to cla­ma­da pe­la po­pu­la­ção do Zai­re.”

In­dem­ni­za­ções aos pro­pri­e­tá­ri­os

A cons­tru­ção da es­tra­da Soyo-Nzeto tem-se de­pa­ra­do com mui­tos obs­tá­cu­los no ter­re­no. Fo­ram ca­das­tra­das 71 ca­sas, nu­me­ro­sas la­vras e al­guns pos­tos de saú­de ao lon­go do tra­ça­do. Es­sas pro­pri­e­da­des de­vem ser de­mo­li­das. O cus­to da ex­pro­pri­a­ção dos es­pa­ços e as res­pec­ti­vas in­dem­ni­za­ções cor­rem por con­ta do Es­ta­do.

“É pre­ci­so, por for­ça da lei, fa­zer­se uma in­dem­ni­za­ção jus­ta aos pro­pri­e­tá­ri­os das ca­sas, se­rem aco­mo­da­dos nou­tros lo­cais e pa­gar-se os cus­tos das em­prei­ta­das, pa­ra pre­ve­nir dis­sa­bo­res no seio das fa­mí­li­as”, afir­mou o res­pon­sá­vel do INEA. Ma­nu­el Di­an­ga­ni re­fe­riu que es­tá em cur­so gran­de exer­cí­cio pa­ra sal­va­guar­dar as es­co­las e ce­mi­té­ri­os exis­ten­tes no tra­ça­do. São, no to­tal, 35 cam­pos san­tos.As obras exi­gem tam­bém um gran­de ri­gor téc­ni­co, so­bre­tu­do pa­ra con­tor­nar ou su­plan­tar obs­tá­cu­los na­tu­rais, co­mo tro­ços mon­ta­nho­sos, que re­que­rem o des­ni­ve­la­men­to do ter­re­no ou a aber­tu­ra de cur­vas.

A me­ta es­tá pró­xi­ma

O en­car­re­ga­do de obras por par­te da Si­no-Hi­dro dis­se ao go­ver­na­dor do Zai­re ha­ver ga­ran­ti­as da con­clu­são da es­tra­da no pró­xi­mo ano eco­nó­mi­co. Chen-Chen adi­an­tou que a em­pre­sa tem, nos es­ta­lei­ros, to­dos os equi­pa­men­tos e o ma­te­ri­al pa­ra o efei­to.

Os obs­tá­cu­los co­lo­ca­dos pe­la po­pu­la­ção, cu­jas ca­sas e la­vras es­ta­vam si­tu­a­das ao lon­go do tra­ça­do, fo­ram ul­tra­pas­sa­dos, de­pois de os pro­pri­e­tá­ri­os re­ce­be­rem ga­ran­ti­as so­bre as res­pec­ti­vas in­dem­ni­za­ções, as­sim co­mo fo­ram acer­ta­das to­das as ques­tões de or­dem fi­nan­cei­ra en­tre os go­ver­nos de An­go­la e da Chi­na.

Jo­sé Gan­da, re­ge­dor de Man­gue Gran­de, dis­se que a re­to­ma­da das obras foi re­ce­bi­da com gran­de sa­tis­fa­ção pe­la po­pu­la­ção lo­cal, que so­fria com a po­ei­ra no Ca­cim­bo e os ter­re­nos la­ma­cen­tos na épo­ca chu­vo­sa.O che­fe tra­di­ci­o­nal so­li­ci­tou que, com o pros­se­gui­men­to das obras, se­ja acau­te­la­da a ques­tão do trans­por­te pa­ra a po­pu­la­ção, so­bre­tu­do pa­ra as cri­an­ças, que têm de per­cor­rer lon­gas dis­tân­ci­as to­dos os di­as pa­ra irem à es­co­la. “En­ten­de­mos que o país es­tá em cri­se, mas, se o Exe­cu­ti­vo abris­se uma ex­cep­ção pa­ra re­sol­ver es­te pro­ble­ma, se­ria mui­to bom pa­ra nós”, ape­lou.

Vi­as ur­ba­nas

O as­fal­ta­men­to da rua da Pa­ró­quia de Ki­ku­do, no Soyo, já co­me­çou e a obra de­ve ter­mi­nar no fi­nal do cor­ren­te mês. O pro­gra­ma de vi­as ur­ba­nas nes­ta ci­da­de petrolífera pre­vê a cons­tru­ção de dez qui­ló­me­tros de es­tra­das em seis me­ses.

Os tra­ba­lhos en­glo­bam a cons­tru­ção de re­des de dre­na­gem, elec­tri­ci­da­de, lan­cis e pas­sei­os. “Es­tá tu­do a cor­rer bem, por­que a po­pu­la­ção tem co­o­pe­ra­do de for­ma ex­ce­len­te”, afir­mou Adri­a­no Dza­zio, en­car­re­ga­do da obra.

O di­rec­tor das Obras Pú­bli­cas, Edu­ar­do Chi­lem­bo, dis­se es­tar con­cluí­do to­do o pro­ces­so ad­mi­nis­tra­ti­vo da em­prei­ta­da.

Es­tão em exe­cu­ção 80 me­tros de sub-ba­se e 70 de ba­se, pa­ra o iní­cio da co­lo­ca­ção do as­fal­to. Os tra­ba­lhos, que em­pre­gam 38 jo­vens, es­tão a car­go de dois em­prei­tei­ros.

As obras de­cor­rem a bom rit­mo e a au­to­ri­da­de tra­di­ci­o­nal má­xi­ma do Soyo, Pe­dro To­ná, pre­sen­ci­ou a ce­ri­mó­nia que mar­cou o iní­cio das obras. “Até ao fim de Se­tem­bro, va­mos ter o pri­mei­ro as­fal­to aqui na rua da Pa­ró­quia”, dis­se.

Pa­ra o go­ver­na­dor Jo­a­nes An­dré, as obras vêm pôr fim às inun­da­ções que se re­gis­ta­vam to­dos os anos na­que­la zo­na.

Ins­ti­tu­to po­li­téc­ni­co

As obras do Ins­ti­tu­to Po­li­téc­ni­co do Soyo, em­pre­en­di­men­to de um pi­so com 20 sa­las, es­tão tam­bém na rec­ta fi­nal.

O go­ver­na­dor Jo­a­nes An­dré con­vi­dou o se­cre­tá­rio de Es­ta­do da Ho­te­la­ria e Tu­ris­mo, Al­fre­do Ca­pu­to, que se en­con­tra­va no Soyo, a vi­si­tar a in­fra-es­tru­tu­ra, que po­de al­ber­gar o cur­so mé­dio de Ho­te­la­ria, se­gun­do uma pro­pos­ta do go­ver­no pro­vin­ci­al.

O Ins­ti­tu­to Po­li­téc­ni­co do Soyo, obra do Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção acom­pa­nha­da pe­lo Go­ver­no Pro­vin­ci­al do Zai­re, es­tá lo­ca­li­za­do no bair­ro Ki­to­na, a 15 qui­ló­me­tros da ci­da­de. A in­fra-es­tru­tu­ra tem um al­ber­gue pa­ra 60 alu­nos em re­gi­me de in­ter­na­to, di­vi­di­do em alas fe­mi­ni­na e mas­cu­li­na.

O ins­ti­tu­to de­ve abrir as por­tas no pró­xi­mo ano lec­ti­vo. O edi­fí­cio tem qua­tro la­bo­ra­tó­ri­os e de­ve lec­ci­o­nar cur­sos de cons­tru­ção ci­vil e de en­fer­ma­gem. Pa­ra Jo­a­nes An­dré, “o de­sen­vol­vi­men­to do Zai­re é uma cer­te­za.”

ADOL­FO DUMBO | QUINZAU

A Si­no-Hi­dro em­pre­sa chi­ne­sa à qual o Go­ver­no Pro­vin­ci­al do Zai­re ad­ju­di­cou a cons­tru­ção do tro­ço tem no seu es­ta­lei­ro to­dos os equi­pa­men­tos e o ma­te­ri­al pa­ra o su­ces­so da em­prei­ta­da

ADOL­FO DUMBO | QUINZAU

Gran­des quan­ti­da­des de ter­ra ar­gi­lo­sa são re­mo­vi­das e subs­ti­tuí­das o que im­pli­ca um es­for­ço enor­me em ter­mos de lo­gís­ti­ca

ADOL­FO DUMBO | QUINZAU

Além da ter­ra­pla­na­gem es­tão a ser con­cluí­das as pas­sa­gens hi­dráu­li­cas e de tu­ba­gem

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.