Gui­né-Bis­sau tem em­bai­xa­das a mais

Jornal de Angola - - MUNDO -

O Pre­si­den­te da Gui­né-Bis­sau, Jo­sé Má­rio Vaz, afir­mou on­tem que o país tem em­bai­xa­das a mais e que é ur­gen­te fe­char al­gu­mas pa­ra me­lhor res­pon­der às ne­ces­si­da­des e pos­si­bi­li­da­des fi­nan­cei­ras do Es­ta­do gui­ne­en­se.

Pa­ra o lí­der gui­ne­en­se, que fa­la­va na aber­tu­ra da quar­ta con­fe­rên­cia dos em­bai­xa­do­res da Gui­néBis­sau que de­cor­re na lo­ca­li­da­de de Ua­que, a 50 qui­ló­me­tros de Bis­sau, o país não po­de con­ti­nu­ar a ter "em­bai­xa­das em to­das as es­qui­nas" quan­do po­dia abrir re­pre­sen­ta­ções di­plo­má­ti­cas, dis­se.

A Gui­né-Bis­sau con­ta com cin­co em­bai­xa­das em Áfri­ca: Ar­gé­lia, Gui­né-Co­na­cri, Gâm­bia, Se­ne­gal e Mar­ro­cos, seis na Eu­ro­pa: Ale­ma­nha, Bél­gi­ca, Es­pa­nha, Fran­ça, Por­tu­gal e Rús­sia, três no con­ti­nen­te ame­ri­ca­no: Cu­ba, Bra­sil e Es­ta­dos Uni­dos, e du­as em­bai­xa­das na Ásia: Chi­na e Irão.

“Em vez de ter­mos qua­tro ou cin­co mis­sões di­plo­má­ti­cas e equi­pá-las com to­das as con­di­ções que a re­pre­sen­ta­ção exi­ge, dig­ni­fi­can­do as­sim as fun­ções do em­bai­xa­dor, op­ta­mos por abrir em­bai­xa­das em to­das as es­qui­nas, sem que o país es­te­ja pre­pa­ra­do quer in­te­lec­tu­al­men­te quer fi­nan­cei­ra­men­te pa­ra tal”, afir­mou Jo­sé Má­rio Vaz.

Pa­ra o Pre­si­den­te gui­ne­en­se, “é pre­ci­so que o país te­nha co­ra­gem e re­du­za o nú­me­ro de em­bai­xa­das” em fun­ção dos re­cur­sos dis­po­ní­veis, o que, dis­se, pas­sa pe­lo en­cer­ra­men­to das em­bai­xa­das con­si­de­ra­das des­ne­ces­sá­ri­as, fi­xar o nú­me­ro do pes­so­al pre­ci­so e man­dar de vol­ta pa­ra ca­sa os ex­ce­den­tá­ri­os.

Jo­sé Má­rio Vaz su­bli­nhou que as chan­ce­la­ri­as ac­tu­ais “são ina­pro­pri­a­das”, que as vi­a­tu­ras e as re­si­dên­ci­as que ser­vem o pes­so­al di­plo­má­ti­co “não dig­ni­fi­cam” os que aí tra­ba­lham e nem o pró­prio país, dis­se.

“Tu­do is­so é fru­to da nos­sa pró­pria de­sor­ga­ni­za­ção. Não se ade­qua os ser­vi­ços à re­al si­tu­a­ção do país”, de­fen­deu Má­rio Vaz, apon­tan­do pa­ra no­vos objectivos em ter­mos ge­rais e es­tra­té­gi­cos na­qui­lo que são as fun­ções do pes­so­al di­plo­má­ti­co.

Pa­ra o Che­fe de Es­ta­do gui­ne­en­se, os no­vos objectivos de­vem pas­sar pe­la mo­bi­li­za­ção de fun­dos e cap­ta­ção de in­ves­ti­men­tos ex­ter­nos pa­ra o país, in­cen­ti­vo aos emi­gran­tes pa­ra o en­vio das su­as pou­pan­ças pa­ra o país, re­cen­se­a­men­to dos ci­da­dãos aí re­si­den­tes, mai­or e me­lhor in­ter­ven­ção do pes­so­al di­plo­má­ti­co na co­mu­ni­ca­ção so­ci­al do país acre­di­ta­do e for­ne­ci­men­to de mais in­for­ma­ções so­bre a si­tu­a­ção dos paí­ses on­de se en­con­tram a tra­ba­lhar.

Jo­sé Má­rio Vaz diz que quer uma di­plo­ma­cia “mais há­bil, ac­ti­va e efi­ci­en­te” e aguar­da que até No­vem­bro te­rá em mãos um pla­no es­tra­té­gi­co pa­ra pôr em mar­cha.

Tam­bém pe­diu uma “aten­ção es­pe­ci­al” do pes­so­al di­plo­má­ti­co em re­la­ção aos emi­gran­tes gui­ne­en­ses que dis­se se­rem a prin­ci­pal ra­zão da exis­tên­cia das re­pre­sen­ta­ções do país no ex­te­ri­or.

Até do­min­go, 34 em­bai­xa­do­res, en­tre os que se en­con­tram em mis­são no ex­te­ri­or e os que não es­tão co­lo­ca­dos, de­bru­çam-se so­bre que es­tra­té­gi­as to­mar pa­ra ser­vir me­lhor o de­sen­vol­vi­men­to do país e co­mo dig­ni­fi­car ain­da mais a car­rei­ra di­plo­má­ti­ca.

RO­GÉ­RIO TUTI

Pre­si­den­te de­fen­de re­du­ção de em­bai­xa­das

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.