Can­di­da­tos vão du­as ve­zes a vo­tos

Jornal de Angola - - DESPORTO -

De­pois de ter ven­ci­do as três pri­mei­ras vo­ta­ções se­cre­tas do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça pa­ra che­gar ao car­go de Se­cre­tá­rio-Ge­ral das Na­ções Uni­das, An­tó­nio Gu­ter­res e os res­tan­tes can­di­da­tos vol­ta­rão a vo­tos nos di­as 9 e 26 des­te mês de Se­tem­bro. Se não hou­ver de­sis­tên­ci­as até lá, vão con­ti­nu­ar a ser dez os can­di­da­tos ao car­go ci­mei­ro das Na­ções Uni­das.

De acor­do com a Xinhua, agên­cia de no­tí­ci­as es­ta­tal chi­ne­sa, a vo­ta­ção vai con­ti­nu­ar a ser fei­ta de for­ma to­tal­men­te se­cre­ta, se­guin­do o ac­tu­al mo­de­lo em que to­dos os paí­ses têm bo­le­tins de vo­to iguais.

De­pois des­tas du­as vo­ta­ções no mês de Se­tem­bro, ha­ve­rá ou­tra, na pri­mei­ra se­ma­na de Ou­tu­bro. Se­rá nes­ta vo­ta­ção, a sex­ta des­de que o pro­ces­so foi ini­ci­a­do, que os cin­co paí­ses que são mem­bros per­ma­nen­tes do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça (Rús­sia, Chi­na, EUA, Fran­ça e Rei­no Uni­do) vão pas­sar a ter bo­le­tins de vo­to co­lo­ri­dos.

Es­te sis­te­ma per­mi­ti­rá sa­ber quem são os can­di­da­tos que re­ce­bem vo­tos de de­sen­co­ra­ja­men­to por par­te dos mem­bros per­ma­nen­tes — uma in­for­ma­ção im­por­tan­te, uma vez que aque­les cin­co paí­ses têm po­der de ve­to so­bre to­das as de­ci­sões do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça, in­clu­si­ve so­bre qual can­di­da­to é que aque­le ór­gão acon­se­lha pa­ra An­ti­go pri­mei­ro-mi­nis­tro por­tu­guês An­tó­nio Gu­ter­res tem si­do o mais vo­ta­do no­me­a­ção pa­ra o car­go de Se­cre­tá­rio-Ge­ral. Des­ta for­ma, es­sa in­for­ma­ção po­de ser vi­tal pa­ra ace­le­rar o pro­ces­so, le­van­do à de­sis­tên­cia de pe­lo me­nos al­guns dos can­di­da­tos que con­tem com a opo­si­ção de um país com po­der de ve­to.

Es­se po­de vir a ser um pro­ble­ma pa­ra An­tó­nio Gu­ter­res, mes­mo que se te­nha dis­tin­gui­do até ago­ra, e de for­ma cla­ra, co­mo o can­di­da­to com me­lhor re­sul­ta­do. Is­to por­que, de vo­ta­ção em vo­ta­ção, fo­ram au­men­tan­do os vo­tos de de­sen­co­ra­ja­men­to con­tra a sua can­di­da­tu­ra. Em 21 de Ju­lho não te­ve ne­nhum, em 5 de Agos­to re­ce­beu dois vo­tos de de­sen­co­ra­ja­men­to, em 29 de Agos­to o nú­me­ro su­biu pa­ra três, au­men­tan­do a pro­ba­bi­li­da­de de, en­tre es­tes, es­tar pe­lo me­nos um dos paí­ses com po­der de ve­to. Além dos cin­co mem­bros per­ma­nen­tes, o Con­se­lho de Se­gu­ran­ça con­ta com dez mem­bros ro­ta­ti­vos: An­go­la, Egip­to, Ja­pão, Ma­lá­sia, No­va Ze­lân­dia, Se­ne­gal, Es­pa­nha, Ucrâ­nia, Uru­guai e Ve­ne­zu­e­la.

A vo­ta­ção do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça é se­cre­ta e não tem ca­rác­ter vin­cu­la­ti­vo, tra­tan­do-se ape­nas de uma re­co­men­da­ção da­que­le ór­gão so­bre quem acre­di­ta que de­ve ocu­par o car­go de Se­cre­tá­rio-Ge­ral das Na­ções Uni­das. A vo­ta­ção fi­nal ca­be à As­sem­bleia Ge­ral das Na­ções Uni­das, que te­rá de to­mar a de­ci­são fi­nal até 31 de De­zem­bro des­te ano, o dia em que Ban Ki-mo­on ter­mi­na as su­as fun­ções co­mo Se­cre­tá­ri­o­Ge­ral das Na­ções Uni­das.

AFP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.