Cen­tro ecológico do Hu­am­bo lan­ça re­vis­ta de in­ves­ti­ga­ção

Pri­mei­ra edi­ção faz abor­da­gens so­bre os úl­ti­mos gran­des avan­ços tec­no­ló­gi­cos

Jornal de Angola - - PARTADA - TA­TI­A­NA MAR­TA |

A pri­mei­ra re­vis­ta de in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca, edi­ta­da em por­tu­guês, pro­du­zi­da pe­lo Cen­tro Ecológico Tropical e Al­te­ra­ções Cli­má­ti­cas (CETAC), foi co­lo­ca­da no mer­ca­do, na ci­da­de do Hu­am­bo.

A obra foi lan­ça­da nu­ma ce­ri­mó­nia pres­ti­gi­a­da por mem­bros do go­ver­no, in­ves­ti­ga­do­res, aca­dé­mi­cos e es­tu­dan­tes uni­ver­si­tá­ri­os e con­ta com 64 pá­gi­nas.

Nu­ma pri­mei­ra fa­se, es­tão dis­po­ní­veis cin­co mil exem­pla­res da re­vis­ta ci­en­tí­fi­ca, ex­pli­cou Jo­a­quim Lau­re­a­no, di­rec­tor da CETAC.

O lan­ça­men­to en­qua­dra-se nas ac­ti­vi­da­des que o cen­tro re­a­li­za anu­al­men­te, pa­ra di­vul­gar os prin­ci­pais avan­ços ci­en­tí­fi­cos, apre­sen­ta­ção de artigos e te­mas de pes­qui­sa le­va­dos a ca­bo pe­lo CETAC, du­ran­te um ano de trabalho.

Pa­ra a pu­bli­ca­ção da re­vis­ta, cu­jos tra­ba­lhos de re­co­lha de da­dos ti­ve­ram iní­cio em 2013, foi fei­to um es­tu­do com­pa­ra­ti­vo so­bre a fau­na de du­as áre­as do Hu­am­bo: a es­tu­fa­fria, na ci­da­de, e a Lu­fe­fe­na, si­tu­a­da na pe­ri­fe­ria da mes­ma, pa­ra des­ta­car a sua im­por­tân­cia co­mo zo­nas que de­vem ser pro­te­gi­das.

A re­vis­ta es­tá cons­ti­tuí­da pe­los tra­ba­lhos de in­ves­ti­ga­ção “Es­tu­do da Ri­que­za e Abun­dân­cia de Aves em Dois Ecos­sis­te­mas do Hu­am­bo”, “Ca­rac­te­ri­za­ção e Ava­li­a­ção da De­gra­da­ção de Nas­cen­tes no Hu­am­bo e Cu­ta­to (Bié)”, “Evo­lu­ção das Tem­pe­ra­tu­ras Má­xi­mas e Mí­ni­mas no Hu­am­bo Du­ran­te os Úl­ti­mos 30 Anos”, “Ca­rac­te­ri­za­ção de um Ecos­sis­te­ma Flo­res­tal do Sam­bo­to” e “Evo­lu­ção da Pre­ci­pi­ta­ção na Pro­vín­cia do Hu­am­bo”.

Pa­ra a con­clu­são da re­vis­ta, sa­li­en­tou, fo­ram in­ves­ti­ga­dos 35 nas­cen­tes e seus aflu­en­tes, um trabalho que te­ve o ob­jec­ti­vo de iden­ti­fi­car fí­si­ca e bi­o­lo­gi­ca­men­te a qua­li­da­de das su­as águas e iden­ti­fi­car os re­cur­sos va­li­o­sos dos so­los. O di­rec­tor con­si­de­rou o CETAC co­mo in­cen­ti­va­dor de tra­ba­lhos de in­ves­ti­ga­ção apli­ca­da na in­ter­fa­ce en­tre a eco­lo­gia tropical e as al­te­ra­ções cli­má­ti­cas, com vis­ta a me­lho­rar as con­di­ções de vi­da das po­pu­la­ções ur­ba­nas e ru­rais e a re­du­ção da pres­são so­bre os re­cur­sos na­tu­rais.

O rei­tor da Uni­ver­si­da­de Jo­sé Eduardo dos San­tos, Cris­tó­vão Si­mões, con­si­de­rou que a re­vis­ta vai con­tri­buir sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to do sec­tor da in­ves­ti­ga­ção e pa­ra a pro­tec­ção do meio am­bi­en­te. O pro­du­to ci­en­tí­fi­co do CETAC vai ser, sem dú­vi­da, um veí­cu­lo fun­da­men­tal pa­ra a divulgação e par­ti­ci­pa­ção de vá­ri­os es­tu­dan­tes em di­ver­sas áre­as aca­dé­mi­cas.

A obra cons­ti­tui um mar­co im­por­tan­te na evo­lu­ção do pen­sa­men­to ecológico an­go­la­no, pois do­ta o país de uma es­tru­tu­ra de in­ves­ti­ga­ção, sin­gu­lar e es­sen­ci­al, pa­ra fa­zer fa­ce aos gran­des pro­ble­mas am­bi­en­tais que te­re­mos que en­fren­tar nos pró­xi­mos anos.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

A ca­rac­te­ri­za­ção e a ava­li­a­ção de ri­os das pro­vín­ci­as do Hu­am­bo e do Bié são te­mas de artigos pu­bli­ca­dos na re­vis­ta ci­en­tí­fi­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.