Agên­cia das Na­ções Uni­das pre­o­cu­pa­da com a edu­ca­ção

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

A Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das pa­ra a Edu­ca­ção, Ci­ên­cia e Cul­tu­ra (Unesco) afir­mou on­tem que "a edu­ca­ção pre­ci­sa de uma mu­dan­ça fun­da­men­tal pa­ra al­can­çar as me­tas da Agen­da 2030 pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel."

Num no­vo re­la­tó­rio de Mo­ni­to­ri­za­ção Glo­bal da Edu­ca­ção, a Unesco diz que, se a ten­dên­cia ac­tu­al con­ti­nu­ar, o mun­do só vai al­can­çar a edu­ca­ção pri­má­ria uni­ver­sal em 2042, o en­si­no fun­da­men­tal em 2059 e o mé­dio em 2084.

Is­so sig­ni­fi­ca um atra­so de mais de 50 anos pa­ra cum­prir as me­tas que de­vi­am ser atin­gi­das em 2030. O do­cu­men­to dei­xa cla­ro que o mun­do pre­ci­sa de re­a­li­zar uma trans­for­ma­ção drás­ti­ca pa­ra li­dar com os de­sa­fi­os en­fren­ta­dos pe­la hu­ma­ni­da­de.

Os es­pe­ci­a­lis­tas ex­pli­cam que, na mai­o­ria dos paí­ses, a edu­ca­ção é o me­lhor in­di­ca­dor de cons­ci­en­ci­a­li­za­ção so­bre a mu­dan­ça cli­má­ti­ca. O pro­ble­ma é que, em me­ta­de des­sas na­ções, o cur­rí­cu­lo es­co­lar não faz qual­quer men­ção ao as­sun­to.

Nos 35 paí­ses da Or­ga­ni­za­ção pa­ra Co­o­pe­ra­ção e o De­sen­vol­vi­men­to Eco­nó­mi­co (OCDE), 40 por cen­to dos es­tu­dan­tes de 15 anos têm ape­nas co­nhe­ci­men­to bá­si­co so­bre ques­tões am­bi­en­tais.

Da­dos pre­o­cu­pan­tes

Al­guns da­dos do re­la­tó­rio são pre­o­cu­pan­tes. Por exem­plo, 40 por cen­to da po­pu­la­ção glo­bal es­tá a ser edu­ca­da num idi­o­ma que não com­pre­en­de. A agên­cia da ONU afir­ma que “os sis­te­mas de edu­ca­ção pre­ci­sam de ga­ran­tir que eles es­te­jam a for­ne­cer qua­li­fi­ca­ções e co­nhe­ci­men­tos vi­tais às pes­so­as”. O ob­jec­ti­vo é "dar apoio du­ran­te o pro­ces­so de tran­si­ção pa­ra uma in­dús­tria ver­de e en­con­trar so­lu­ções pa­ra os pro­ble­mas am­bi­en­tais.”

O re­la­tó­rio apon­ta tam­bém uma pre­o­cu­pa­ção com o en­si­no su­pe­ri­or. O do­cu­men­to mos­tra que, se­guin­do as ten­dên­ci­as ac­tu­ais, em 2020, o mun­do vai ter me­nos 40 mi­lhões de tra­ba­lha­do­res com edu­ca­ção su­pe­ri­or pa­ra aten­der o mer­ca­do de tra­ba­lho.

A Unesco con­clui que, se o mun­do al­can­çar a edu­ca­ção uni­ver­sal no en­si­no mé­dio nos paí­ses de bai­xo ren­di­men­to, até 2030, vai ser pos­sí­vel ti­rar 60 mi­lhões de pes­so­as da po­bre­za até 2050.

A de­si­gual­da­de no sec­tor da Edu­ca­ção au­men­ta o ris­co de vi­o­lên­cia e con­fli­to. Em 22 paí­ses da Áfri­ca Sub­sa­ri­a­na, as áre­as com bai­xo ní­vel edu­ca­ci­o­nal ti­ve­ram 50 por cen­to a mais de pro­ba­bi­li­da­de de pas­sa­rem por um con­fli­to nos úl­ti­mos 21 anos.

O re­la­tó­rio pe­de aos go­ver­nos que le­vem a sé­rio as de­si­gual­da­des no sec­tor da Edu­ca­ção, acom­pa­nhan­do de per­to a si­tu­a­ção e co­lec­tan­do in­for­ma­ções di­rec­ta­men­te das fa­mí­li­as.

A Unesco tra­ba­lha pa­ra a paz e a se­gu­ran­ça no mun­do por via da edu­ca­ção, a ci­ên­cia, a cul­tu­ra. Um dos seus prin­ci­pais ob­jec­ti­vos é re­du­zir o anal­fa­be­tis­mo no mun­do. Pa­ra is­so, fi­nan­cia a for­ma­ção de pro­fes­so­res em vá­ri­os paí­ses.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.