Cri­a­do­res apos­ta­dos em bai­xar dé­fi­ce de car­ne

Lei­lão de ga­do per­mi­te aces­so de fa­zen­dei­ros a ani­mais de ra­ça e re­pro­du­to­res de qua­li­da­de

Jornal de Angola - - PARTADA - DO­MIN­GOS MUCUTA | Lubango

DES­TA­QUE | 4 | 5

Angola con­so­me 150 mil to­ne­la­das de car­ne por ano. O país pro­duz nes­te mo­men­to cer­ca de 10 mil. O gros­so vem da re­gião Sul, cu­jos cri­a­do­res es­tão em­pe­nha­dos em re­du­zir o dé­fi­ce ac­tu­al.

Isa­bel Tchom­be di­ri­ge um tou­ro de ra­ça sim­bra, per­ten­ça da fa­zen­da em que tra­ba­lha há cin­co anos. A mão es­quer­da se­gu­ra a cor­da, en­quan­to a di­rei­ta abra­ça o cu­pim, a par­te car­nu­da mais sa­li­en­te no to­po do pes­co­ço do ani­mal.

Os dois pa­re­cem ami­gos de lon­ga da­ta. À me­di­da que ca­mi­nham pa­ra o pa­vi­lhão da fa­zen­da Vi­me na ex­po­si­ção da XIII Fei­ra Agro-pe­cuá­ria da Huí­la, os pre­sen­tes ad­mi­ram a gran­de­za do tou­ro e tam­bém a co­ra­gem e a des­tre­za da mu­lher.

A pas­to­ra mos­tra o ca­mi­nho e o ani­mal obe­de­ce às ori­en­ta­ções até à mon­tra, on­de o boi é amar­ra­do a uma es­ta­ca de fer­ro. Mais pas­to­res tra­zem ou­tros 30 ani­mais de ra­ça que o fa­zen­dei­ro Mau­ro Al­ves apre­sen­ta na mai­or bol­sa agro-pe­cuá­ria, pro­mo­vi­da to­dos os anos pe­la Co­o­pe­ra­ti­va de Cri­a­do­res de Ga­do do Sul de Angola (CCGSA).

O fa­zen­dei­ro Mau­ro Al­ves, que ex­põe há dez anos na Fei­ra do Ga­do, ex­pli­ca que a cum­pli­ci­da­de en­tre cri­a­do­res e ani­mais e o tra­ta­men­to da­do a es­tes tem in­fluên­cia no seu de­sen­vol­vi­men­to sau­dá­vel e qua­li­da­de. O mais no­vo dos ex­po­si­to­res, com 37 anos, fa­la com vai­da­de da qua­li­da­de das cri­a­ções, de­sen­vol­vi­das em cam­pos ro­ta­ti­vos de 35 hec­ta­res pa­ra ca­da gru­po de 64 ani­mais.

O fi­lho do fa­zen­dei­ro, Cai­res Al­ves, com­pra no­vi­lhos, pro­ce­de à en­gor­da e le­va-os a lei­lão ou pa­ra o aba­te. Mau­ro Al­ves apre­sen­tou na ex­po­si­ção agro-pe­cuá­ria ani­mais com o mes­mo por­te fí­si­co, sau­dá­veis e com um bri­lho que me­re­ceu elo­gi­os dos vi­si­tan­tes e cri­a­do­res de ou­tras re­giões.

“Pa­ra os jo­vens que gos­tam des­ta ac­ti­vi­da­de, so­bre­tu­do, nes­ta fa­se em que se ape­la pa­ra a di­ver­si­ficação da eco­no­mia, te­nho a di­zer que o se­gre­do é tra­ba­lho e gos­to pe­lo que se faz. O se­gre­do no su­ces­so dos ani­mais es­tá nas va­ci­nas e des­pa­ra­si­ta­ção cons­tan­te”, diz.

O cri­a­dor dis­põe de cer­ca de 600 ca­be­ças de ga­do bo­vi­no, na sua mai­o­ria da ra­ça sim­bra. Mau­ro Al­ves pers­pec­ti­va ter cer­ca de se­te mil den­tro de 10 anos. “Es­ta me­ta não é im­pos­sí­vel com tra­ba­lho ár­duo e for­ça de von­ta­de”, afir­mou o fa­zen­dei­ro, que em­pre­ga de­ze­nas de pes­so­as.

Lei­lão de ga­do

O tra­di­ci­o­nal lei­lão de ga­do de ra­ça re­a­li­za­do no Lubango, no âm­bi­to das Fes­tas de Nos­sa Se­nho­ra do Mon­te, te­ve, este ano, um vo­lu­me de ne­gó­ci­os aci­ma de 100 mi­lhões de kwan­zas, im­pul­si­o­na­do pe­la pro­cu­ra de ani­mais de ra­ça por cri­a­do­res de ou­tras re­giões do país.

O di­rec­tor da CCGSA, Álvaro Fer­nan­des, dis­se que fo­ram lei­lo­a­das 350 ca­be­ças de ga­do bo­vi­no, ca­pri­no, ovi­no, suí­no e equi­no, apre­sen­ta­das pe­los 25 ex­po­si­to­res das pro­vín­ci­as da Huí­la, Hu­am­bo, Cu­ne­ne, Na­mi­be, Cu­an­za Sul, Ben­gue­la e Cu­an­do Cu­ban­go.

O lei­lão foi do­mi­na­do pe­las ra­ças bo­vi­nas bos­na­ra, brah­man, sim­bra, ne­lo­re, li­ou­sin, nguy e re­gi­o­nal, além de es­pé­ci­es me­lho­ra­das de ovi­nos, ca­va­los, bú­fa­los e aves. O va­lor des­te ano é su­pe­ri­or em 50 por cen­to ao do ano pas­sa­do, em que a or­ga­ni­za­ção re­gis­tou um vo­lu­me de ne­gó­ci­os de 50 mi­lhões de kwan­zas.

Álvaro Fer­nan­des des­ta­ca que o lei­lão de ga­do é uma opor­tu­ni­da­de pa­ra os cri­a­do­res de ou­tras pro­vín­ci­as ad­qui­ri­rem ani­mais de ra­ça e re­pro­du­to­res de qua­li­da­de. A si­tu­a­ção dos fa­zen­dei­ros é di­fí­cil de­vi­do à fal­ta de di­vi­sas, que im­pe­de a im­por­ta­ção de bens de pro­du­ção. O país tem po­ten­ci­al pa­ra, “com os pés as­sen­tes na ter­ra”, atin­gi­ra au­to-su­fi­ci­ên­cia na pro­du­ção de car­ne, ga­ran­tiu.

A pro­va de car­ne foi uma no­vi­da­de in­tro­du­zi­da na XIII Fei­ra Agro­pe­cuá­ria da Huí­la, que es­te­ve aber­ta aos vi­si­tan­tes. A qua­li­da­de da car­ne na­ci­o­nal foi ain­da pos­ta à pro­va num con­cur­so de gas­tro­no­mia.

Re­du­zir im­por­ta­ções

Os fa­zen­dei­ros da re­gião Sul mos­tram-se dis­pos­tos a apoi­ar as po­lí­ti­cas do Exe­cu­ti­vo que vi­sam o au­men­to da pro­du­ção na­ci­o­nal e a re­du­ção das im­por­ta­ções de pro­du­tos agro-pe­cuá­ri­os. O pre­si­den­te da CCGSA, Luís Nu­nes, afir­ma es­ta­rem pron­tos pa­ra os no­vos de­sa­fi­os, por­que os pro­du­to­res são pe­ças fun­da­men­tais no xa­drez da di­ver­si­ficação da eco­no­mia e do cres­ci­men­to eco­nó­mi­co.

“Es­ta­mos pre­pa­ra­dos pa­ra os de­sa­fi­os que nos fo­rem apre­sen­ta­dos, pa­ra os sa­cri­fí­ci­os que nos fo­rem pe­di­dos, pois, co­mo no pas­sa­do, os cri­a­do­res de ga­do de Angola con­ti­nu­am fir­mes e pre­sen­tes nas trin­chei­ras do de­sen­vol­vi­men­to”, re­al­ça.

O lí­der dos pe­cu­a­ris­tas da re­gião Sul rei­te­ra o pe­di­do de apoi­os pa­ra os em­pre­sá­ri­os na­ci­o­nais, que têm von­ta­de de con­tri­buir pa­ra o en­gran­de­ci­men­to da pá­tria, atra­vés da re­vi­ta­li­za­ção da pro­du­ção agro­pe­cuá­ria, con­si­de­ra­da fun­da­men­tal pa­ra o abas­te­ci­men­to do mer­ca­do.

“Crei­am em nós, oi­çam as nos­sas pre­o­cu­pa­ções e acre­di­tem nos nos­sos pro­jec­tos, por­que so­mos ca­pa­zes. So­mos ca­pa­zes se con­ti­nu­ar­mos uni­dos e co­e­sos na de­fe­sa dos in­te­res­ses na­ci­o­nais, na lu­ta pe­lo cres­ci­men­to eco­nó­mi­co e na so­lu­ção dos pro­ble­mas da po­pu­la­ção”, dis­se.

Luís Nu­nes lem­bra que os cri­a­do­res de ga­do as­so­ci­a­dos em co­o­pe­ra­ti­vas sem­pre de­mons­tra­ram ca­pa­ci­da­de de pro­du­zir em quan­ti­da­de e qua­li­da­de. “Du­ran­te mui­tos anos, fo­mos con­tra­ri­a­dos pe­las opi­niões mais cép­ti­cas que du­vi­da­ram sem­pre da nos­sa ca­pa­ci­da­de e da dis­po­ni­bi­li­da­de. Hoje, con­fron­ta­dos com a du­ra re­a­li­da­de que es­ta­mos a vi­ver, não po­de ha­ver lu­gar pa­ra ou­tras opi­niões que não se­jam a de nos

NI­CO­LAU VAS­CO

Co­o­pe­ra­ti­va de cri­a­do­res de ga­do da re­gião Sul es­tá em­pe­nha­da em re­du­zir o ac­tu­al dé­fi­ce de car­ne em to­do o ter­ri­tó­rio

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.