Pro­du­ção de pe­tró­leo tem cus­tos re­du­zi­dos

ISA­BEL DOS SANTOS Pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da So­nan­gol prevê re­cu­pe­ra­ção dos pre­ços

Jornal de Angola - - PARTADA -

O cus­to de pro­du­ção do bar­ril do pe­tró­leo em Angola caiu dos mais de 14 pa­ra me­nos de 12 dó­la­res, anun­ci­ou a pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da So­nan­gol, nu­ma en­tre­vis­ta à te­le­vi­são CNBC Itá­lia. Isa­bel dos Santos fa­lou ao ca­nal italiano à mar­gem da par­ti­ci­pa­ção no “The Eu­ro­pe­an Hou­se - Am­bro­set­ti Fo­rum”, um dos mais in­flu­en­tes gru­pos de in­te­res­ses da Eu­ro­pa.

O cus­to de pro­du­ção do bar­ril do pe­tró­leo caiu, em Angola, pa­ra 12 dó­la­res, anun­ci­ou a pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da So­nan­gol, nu­ma en­tre­vis­ta à ca­deia de te­le­vi­são CNBC Ita­lia.

Isa­bel dos Santos fa­lou ao ca­nal italiano à mar­gem da par­ti­ci­pa­ção no “The Eu­ro­pe­an Hou­se - Am­bro­set­ti Fo­rum”, um dos mais in­flu­en­tes gru­pos de in­te­res­ses da Eu­ro­pa que reu­niu no pas­sa­do fim-de-se­ma­na no La­go de Co­mo, Itá­lia, em­pre­sá­ri­os, eco­no­mis­tas, po­lí­ti­cos e ci­en­tis­tas de to­do o mun­do.

“Fa­lá­mos com os for­ne­ce­do­res pa­ra re­du­zir­mos os pre­ços dos nos­sos con­tra­tos e is­so per­mi­te-nos ter uma me­lhor mar­gem”, acres­cen­tou a pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da So­nan­gol, re­ve­lan­do que Angola pro­duz ago­ra “um bar­ril que cus­ta me­nos de 12 dó­la­res.”

De re­al­çar que, nu­ma reu­nião com re­pre­sen­tan­tes das pe­tro­lí­fe­ras que ope­ram em Angola, em Ju­nho, lo­go após à sua che­ga­da ao ac­tu­al con­se­lho de ad­mi­nis­tra­ção à com­pa­nhia, o pre­si­den­te da co­mis­são exe­cu­ti­va da So­nan­gol, Pau­li­no Je­ró­ni­mo, anun­ci­ou a de­ci­são de tra­ba­lhar com os ope­ra­do­res pa­ra re­du­zir os cus­tos de pro­du­ção dos 14 dó­la­res por bar­ril ob­ser­va­dos na­que­la al­tu­ra, pa­ra dez ou oi­to dó­la­res.

“Ne­nhum pro­jec­to de pro­du­ção tem su­ces­so em Angola, ca­so não se re­du­zam os cus­tos”, con­si­de­rou, na­que­le en­con­tro, o pre­si­den­te da Co­mis­são Exe­cu­ti­va da So­nan­gol.

Na en­tre­vis­ta à CNBC Ita­lia, Isa­bel dos Santos pre­viu que, em 2017, a co­ta­ção do bar­ril de pe­tró­leo vai atin­gir uma mé­dia en­tre os 45 e 50 dó­la­res mas, den­tro de três ou qua­tro anos, a eco­no­mia mundial vai sen­tir as re­per­cus­sões da ac­tu­al fal­ta de in­ves­ti­men­to no sector.

“Tem ha­vi­do me­nos ex­plo­ra­ção de pe­tró­leo - mui­tas em­pre­sas pa­ra­ram - o que sig­ni­fi­ca que, a lon­go pra­zo, os ‘stocks’ de pe­tró­leo vão di­mi­nuir. Por is­so, va­mos ter me­nos pe­tró­leo e os pre­ços vão su­bir”, afir­mou.So­bre o seu man­da­to na So­nan­gol, Isa­bel dos Santos apon­tou co­mo ob­jec­ti­vos me­lho­rar a efi­cá­cia, con­du­zir o ne­gó­cio de for­ma mais trans­pa­ren­te e con­se­guir mai­or re­tor­no pa­ra o Es­ta­do.

“Es­ta­mos a re­es­tru­tu­rar o nos­so ne­gó­cio e a ana­li­sar as me­lho­res for­mas de di­mi­nuir os cus­tos ope­ra­ci­o­nais”, dis­se, re­ve­lan­do os es­for­ços que es­tão a ser con­du­zi­dos pa­ra en­con­trar for­mas de de­sen­vol­ver cam­pos de pe­tró­leo a me­nor cus­to, “pa­ra atin­gir­mos a efi­ci­ên­cia mais cedo e um bar­ril mais lu­cra­ti­vo pa­ra os ope­ra­do­res e pa­ra o Es­ta­do.”

Isa­bel dos Santos su­bli­nhou ain­da na en­tre­vis­ta à CNBC Ita­lia que os paí­ses pro­du­to­res de pe­tró­leo, em Áfri­ca, es­tão a de­sen­vol­ver ou­tras áre­as de ne­gó­cio com gran­de po­ten­ci­al, tais co­mo agri­cul­tu­ra, mi­ne­ra­ção, pres­ta­ção de ser­vi­ços, ener­gia e trans­por­tes.

MO­TA AMBR´SIO

Ne­go­ci­a­ções en­tre a So­nan­gol e as de­mais com­pa­nhi­as que ope­ram em Angola po­dem au­men­tar a ren­ta­bi­li­da­de da in­dús­tria pe­tro­lí­fe­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.