Re­la­ção mais es­trei­ta com os con­tri­buin­tes

Jornal de Angola - - ECONOMIA - MA­NU­E­LA GO­MES |

A Ad­mi­nis­tra­ção Ge­ral Tri­bu­tá­ria (AGT) pre­ten­de tor­nar a re­la­ção com os gran­des con­tri­buin­tes mais efi­caz e cé­le­re, com a apos­ta no re­for­ço e na for­ma­ção dos re­cur­sos hu­ma­nos, anun­ci­ou on­tem, em Lu­an­da, o di­rec­tor dos Gran­des Con­tri­buin­tes.

Cláu­dio Pau­li­no, que fa­la­va du­ran­te um en­con­tro metodológico en­tre a AGT e os gran­des con­tri­buin­tes, con­si­de­rou fun­da­men­tal uma re­la­ção sau­dá­vel en­tre os dois par­cei­ros, nu­ma al­tu­ra em que o país apos­ta no alar­ga­men­to da ba­se tri­bu­tá­ria e na con­se­quen­te di­ver­si­ficação das re­cei­tas fis­cais. O en­con­tro vi­sou, en­tre ou­tros ob­jec­ti­vos, es­cla­re­cer dú­vi­das, ana­li­sar e apre­sen­tar al­gu­mas ino­va­ções do pa­co­te le­gis­la­ti­vo tri­bu­tá­rio.

Em de­cla­ra­ções à im­pren­sa, Cláu­dio Pau­li­no dos Santos re­fe­riu que os gran­des con­tri­buin­tes re­pre­sen­tam um pe­so sig­ni­fi­ca­ti­vo no to­tal das re­cei­tas ar­re­ca­da­das pe­la Ad­mi­nis­tra­ção Ge­ral Tri­bu­tá­ria em Angola.

“Es­ta­mos com uma re­for­ma tri­bu­tá­ria em cur­so des­de 2010, fa­se em que dis­cu­ti­mos ques­tões no­vas co­mo ma­té­ri­as li­ga­das ao preço de trans­fe­rên­cia e à tri­bu­ta­ção dos gru­pos de so­ci­e­da­des, en­tre ou­tras ma­té­ri­as que ca­re­cem de um apri­mo­ra­men­to téc­ni­co”, su­bli­nhou.

Cláu­dio dos Santos ex­pli­cou que o gran­de ob­jec­ti­vo do en­con­tro foi dar uma mai­or vi­são da­qui­lo que é a Ad­mi­nis­tra­ção Tri­bu­tá­ria, fa­ce ao po­si­ci­o­na­men­to dos gran­des con­tri­buin­tes. “Qu­e­re­mos que es­tes, pe­la sua pró­pria qua­li­fi­ca­ção, se­jam um exem­plo no cum­pri­men­to das su­as obri­ga­ções fis­cais, co­mo na en­tre­ga das de­cla­ra­ções fis­cais, pa­ga­men­to dos im­pos­tos, apre­sen­ta­ção atem­pa­da dos pe­di­dos de es­cla­re­ci­men­to ou so­li­ci­ta­ções de do­cu­men­tos adi­ci­o­nais fei­tos pe­la tri­bu­ta­ção fis­cal." O res­pon­sá­vel afir­mou que dos 547 gran­des con­tri­buin­tes ca­das­tra­dos, 87 por cen­to cum­prem in­te­gral­men­te as su­as obri­ga­ções fis­cais. Os res­tan­tes não cum­prem in­te­gral­men­te com as su­as obri­ga­ções, “não me­re­cen­do por is­so a qua­li­fi­ca­ção de gran­des con­tri­buin­tes”, dis­se, adi­an­tan­do que es­tão em re­vi­são a lis­ta e os mé­to­dos de clas­si­fi­ca­ção dos gran­des con­tri­buin­tes, pa­ra o pró­xi­mo exer­cí­cio 2017.

Às em­pre­sas in­cum­pri­do­ras, a AGT es­ta­be­le­ceu um pra­zo li­mi­te pa­ra hon­rar os seus com­pro­mis­sos fis­cais. Fin­do o pra­zo, o pro­ces­so de­ve se­guir os trâ­mi­tes le­gais. “O nos­so de­ver é no­ti­fi­car os con­tri­buin­tes, ar­re­ca­dar a re­cei­ta e, sem­pre que o con­tri­buin­te não cum­prir com as su­as obri­ga­ções den­tro do pra­zo, o pro­ces­so de­ve ser en­ca­mi­nha­do às ins­tân­ci­as su­pe­ri­o­res.”

Pa­ra o di­rec­tor na­ci­o­nal dos Gran­des Con­tri­buin­tes, este gru­po re­pre­sen­ta pou­co mais de 85 por cen­to do vo­lu­me to­tal de ar­re­ca­da­ção do Es­ta­do. Um dos gran­des pro­ble­mas pren­de-se com o fac­to de mui­tas em­pre­sas des­sa ca­te­go­ria não cum­pri­rem, por ale­ga­rem fal­ta de ca­pa­ci­da­de de pa­gar os im­pos­tos den­tro dos pra­zos es­ta­be­le­ci­dos pe­la lei. “Es­tes so­li­ci­tam o pa­ga­men­to por pres­ta­ções, que po­de ir até, de acor­do com o ar­ti­go 136º do Re­gi­me Tri­bu­tá­rio, a 18 pres­ta­ções men­sais”, es­cla­re­ceu.

Cláu­dio dos Santos dis­se que, no pró­xi­mo exer­cí­cio da Ad­mi­nis­tra­ção Ge­ral Tri­bu­tá­ria, o mai­or ob­jec­ti­vo não é au­men­tar o nú­me­ro de con­tri­buin­tes, mas au­men­tar a qua­li­da­de. “Qu­e­re­mos que os gran­des con­tri­buin­tes cum­pram re­gu­lar­men­te com a sua obri­ga­ção fis­cal, que es­te­jam iden­ti­fi­ca­dos, que te­nham a sua re­si­dên­cia fis­cal es­tá­vel, di­a­lo­guem com a ad­mi­nis­tra­ção e que apre­sen­tem pro­pos­tas de me­lho­ri­as”, res­sal­tou.

Em Angola, co­mo em qual­quer so­ci­e­da­de, os sec­to­res com mai­or nú­me­ro de con­tri­buin­tes são os de pres­ta­ção de ser­vi­ços, cons­tru­ção ci­vil, a ban­ca, se­gu­ros, te­le­co­mu­ni­ca­ções e o pe­tro­lí­fe­ro.

CONTREIRAS PI­PA

Ad­mi­nis­tra­ção Ge­ral Tri­bu­tá­ria re­a­li­zou en­con­tro de aus­cul­ta­ção com os gran­des con­tri­buin­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.