Sobe o nú­me­ro de pes­so­as que sa­bem ler e es­cre­ver

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

A pro­vín­cia de Lu­an­da al­fa­be­ti­zou 924.245 ci­da­dãos, en­tre mu­lhe­res e ho­mens, de 2007 a 2015, anun­ci­ou on­tem o di­rec­tor pro­vin­ci­al do Ga­bi­ne­te de Edu­ca­ção, An­dré So­ma, du­ran­te um ac­to re­a­li­za­do por oca­sião do Dia Internacional da Al­fa­be­ti­za­ção, as­si­na­la­do on­tem sob o le­ma “Len­do o pas­sa­do, es­cre­ven­do o fu­tu­ro”.

Na ce­ri­mó­nia, re­a­li­za­da no Ins­ti­tu­to Mé­dio In­dus­tri­al de Lu­an­da (IMIL), An­dré So­ma dis­se que, en­tre os al­fa­be­ti­za­dos, es­tão 245.159 que con­cluí­ram com apro­vei­ta­men­to os mó­du­los II e III.

Os nú­me­ros al­can­ça­dos, dis­se An­dré So­ma, re­flec­tem o com­pro­mis­so do Ga­bi­ne­te de Edu­ca­ção na er­ra­di­ca­ção do anal­fa­be­tis­mo. An­dré So­ma acen­tu­ou que, no com­ba­te ao anal­fa­be­tis­mo, a pro­vín­cia de Lu­an­da con­ta com a co­la­bo­ra­ção de 61 par­cei­ros so­ci­ais, en­tre or­ga­ni­za­ções não go­ver­na­men­tais, bri­ga­das de jo­vens e as­ses­so­ria cu­ba­na.

A vi­ce-go­ver­na­do­ra da pro­vín­cia de Lu­an­da pa­ra a Área Po­lí­ti­ca e So­ci­al, Jo­ve­li­na Im­pe­ri­al, afir­mou que o Go­ver­no da Pro­vín­cia de Lu­an­da as­su­me o pro­ces­so de al­fa­be­ti­za­ção co­mo um im­pe­ra­ti­vo pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co e so­ci­al da ca­pi­tal an­go­la­na.

Jo­ve­li­na Im­pe­ri­al, que dis­cur­sa­va no en­cer­ra­men­to do ac­to pro­vin­ci­al alu­si­vo ao Dia Internacional da Al­fa­be­ti­za­ção, dis­se que o ob­jec­ti­vo é ele­var os ní­veis edu­ca­ti­vos dos jo­vens e adul­tos, na cer­te­za de que vão es­tar pre­pa­ra­dos pa­ra os de­sa­fi­os de re­cons­tru­ção do país.

A vi­ce-go­ver­na­do­ra lem­brou que, ape­sar da si­tu­a­ção eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra, foi adop­ta­do um pla­no es­tra­té­gi­co de re­vi­ta­li­za­ção de al­fa­be­ti­za­ção co­mo ins­tru­men­to pro­gra­má­ti­co de mé­dia du­ra­ção 2012/2017, pa­ra que, de for­ma cri­a­ti­va, pos­sam ser en­con­tra­das ac­ções so­ci­o­e­du­ca­ti­vas pa­ra o al­can­ce das me­tas pre­vis­tas na agen­da pa­ra 2025.Jo­ve­li­na Im­pe­ri­al dis­se ser ne­ces­sá­rio o en­ga­ja­men­to de to­da a so­ci­e­da­de, por ser, só as­sim, pos­sí­vel a re­du­ção do ín­di­ce de anal­fa­be­tis­mo.

Men­sa­gem de Ban Ki-monn

O Se­cre­tá­rio-Ge­ral da ONU, Ban Ki-mo­on, pe­diu on­tem, aos go­ver­nos e ao sector pri­va­do pa­ra uni­rem for­ças pa­ra que se­ja al­can­ça­da a “al­fa­be­ti­za­ção uni­ver­sal.” Nu­ma men­sa­gem so­bre o Dia Internacional da Al­fa­be­ti­za­ção, on­tem as­si­na­la­do, sob o le­ma “Len­do o pas­sa­do, es­cre­ven­do o fu­tu­ro”, Ban Ki-mo­on in­sis­tiu na ne­ces­si­da­de da cri­a­ção de “so­ci­e­da­des pa­cí­fi­cas, jus­tas, in­clu­si­vas e sus­ten­tá­veis, que é a vi­são es­ta­be­le­ci­da pe­la no­va agen­da de de­sen­vol­vi­men­to glo­bal.”

O lí­der da or­ga­ni­za­ção mundial afir­mou que, ac­tu­al­men­te, mais de 750 mi­lhões de adul­tos no mun­do são anal­fa­be­tos, in­cluin­do 115 mi­lhões de jo­vens. As mu­lhe­res re­pre­sen­tam mais de 65 por cen­to des­se to­tal. O se­cre­tá­rio-ge­ral Ban Ki-mo­on dis­se que 250 mi­lhões de cri­an­ças que es­tão na es­co­la pri­má­ria não têm as ha­bi­li­da­des e os prin­cí­pi­os bá­si­cos de al­fa­be­ti­za­ção e ou­tros 124 mi­lhões de cri­an­ças e ado­les­cen­tes nun­ca pi­sa­ram nu­ma sa­la de au­la.

"Es­ses obs­tá­cu­los ao de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel po­dem e de­vem ser su­pe­ra­dos com a cri­a­ção e im­ple­men­ta­ção de po­lí­ti­cas cor­rec­tas, apoi­a­das por pro­mes­sas e re­cur­sos", de­cla­rou Ban Ki-mo­on. O Se­cre­tá­rio-Ge­ral da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das afir­mou que "o mun­do pre­ci­sa de as­se­gu­rar que to­dos os que es­te­jam fo­ra das es­co­las te­nham aces­so a opor­tu­ni­da­des de apren­di­za­gem de qua­li­da­de."

Agen­da mundial

Pa­ra Ban Ki-monn, é ne­ces­sá­rio me­lho­rar-se a qua­li­da­de do en­si­no e tam­bém pro­mo­ver a edu­ca­ção e a apren­di­za­gem de adul­tos. A al­fa­be­ti­za­ção, acen­tu­ou, "es­tá no co­ra­ção da Agen­da 2030", que, em sua opinião, é "a ba­se pa­ra os di­rei­tos hu­ma­nos, igual­da­de de gé­ne­ro e so­ci­e­da­des sus­ten­tá­veis."

O Se­cre­tá­rio-Ge­ral das Na­ções Uni­das lem­brou que es­sa da­ta foi adop­ta­da há 50 anos pa­ra pro­mo­ver a al­fa­be­ti­za­ção co­mo fer­ra­men­ta pa­ra dar mais poder às pes­so­as, co­mu­ni­da­des e so­ci­e­da­des.

Ban Ki-mo­on afir­mou que hou­ve um progresso sig­ni­fi­ca­ti­vo nas úl­ti­mas cin­co dé­ca­das, mas que o mun­do ain­da es­tá lon­ge de uma al­fa­be­ti­za­ção uni­ver­sal.

O Dia Internacional da Al­fa­be­ti­za­ção foi cri­a­do pe­la Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das pa­ra a Edu­ca­ção, Ci­ên­cia e Cul­tu­ra (Unesco), em 8 de Se­tem­bro de 1966.

A vi­são da or­ga­ni­za­ção es­tá ali­nha­da ao quar­to Ob­jec­ti­vo de De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel, que pre­ten­de ga­ran­tir edu­ca­ção de qua­li­da­de, equi­ta­ti­va e in­clu­si­va e pro­mo­ver opor­tu­ni­da­des de apren­di­za­gem pa­ra to­dos até 2030.A di­rec­to­ra-ge­ral da UNESCO, Iri­na Bo­ko­va, afir­mou que "o mun­do mu­dou des­de 1966, mas a de­ter­mi­na­ção da agên­cia de for­ne­cer as ha­bi­li­da­des ne­ces­sá­ri­as pa­ra que ho­mens e mu­lhe­res pos­sam ser o que de­se­ja­rem con­ti­nua fir­me".

JA.IMAGEM.COM

Os nú­me­ros al­can­ça­dos na pro­vín­cia de Lu­an­da re­flec­tem o com­pro­mis­so das au­to­ri­da­des an­go­la­nas na er­ra­di­ca­ção do anal­fa­be­tis­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.