Sin­di­ca­lis­ta ape­la ao pro­fis­si­o­na­lis­mo

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - WAL­TER AN­TÓ­NIO |

O se­cre­tá­rio-ge­ral da UNTACon­fe­de­ra­ção Sin­di­cal ape­lou aos tra­ba­lha­do­res an­go­la­nos a se­rem mais pro­fis­si­o­nais e pa­tri­o­tas fa­ce à cri­se fi­nan­cei­ra que o país en­fren­ta.

Manuel Vi­a­ge, que fa­la­va em Lu­an­da, na aber­tu­ra de um se­mi­ná­rio de ca­pa­ci­ta­ção sin­di­cal so­bre o te­ma “A pau­ta de­on­to­ló­gi­ca na Fun­ção Pú­bli­ca e a cri­se fi­nan­cei­ra do país”, dis­se que os tra­ba­lha­do­res, ao re­a­li­za­rem bem as su­as obri­ga­ções pro­fis­si­o­nais, aju­dam a di­mi­nuir o im­pac­to da cri­se. “Por exem­plo, se um en­fer­mei­ro, ape­sar de saber que no hos­pi­tal há fal­ta de mei­os de­vi­do à cri­se, che­gar sem­pre bem dis­pos­to ao ser­vi­ço, vai pas­sar uma imagem de sa­tis­fa­ção e os do­en­tes vão-se sen­tir bem psi­co­lo­gi­ca­men­te. Is­so aju­da na sua rá­pi­da re­cu­pe­ra­ção”, ex­pli­cou Manuel Vi­a­ge.

Os fun­ci­o­ná­ri­os, acres­cen­tou, são cha­ma­dos, atra­vés dos seus ac­tos, a pas­sar aos ci­da­dãos a imagem de que de­fen­dem os in­te­res­ses su­pe­ri­o­res do país. O sin­di­ca­lis­ta acen­tu­ou que os tra­ba­lha­do­res de­vem pres­tar sem­pre um ser­vi­ço ba­se­a­do na éti­ca e de­on­to­lo­gia pro­fis­si­o­nal. Manuel Vi­a­ge fri­sou que a cri­se fi­nan­cei­ra que o país en­fren­ta é es­tru­tu­ral, ten­do em con­ta que afec­ta o Es­ta­do, a pro­du­ção e os ci­da­dãos.

O se­cre­tá­rio-ge­ral da UNTAe­lo­gi­ou o fac­to do Es­ta­do pri­mar por man­ter os em­pre­gos mes­mo em fa­ce da cri­se, mas la­men­tou os des­pe­di­men­tos que se es­tão a re­gis­tar no sector em­pre­sa­ri­al.

NI­LO MAR­TINS

Mi­lhões de pes­so­as con­so­mem água po­tá­vel

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.