Pro­du­to­res acon­se­lha­dos a no­vas téc­ni­cas de pro­du­ção

Jornal de Angola - - PARTADA - ED­SON FON­TES |

Os cam­po­ne­ses do Bengo fo­ram exor­ta­dos a adop­tar no­vas téc­ni­cas de pro­du­ção dos bens do cam­po, com vis­ta a ga­ran­ti­rem o au­men­to do cul­ti­vo e da ren­da. O ape­lo foi fei­to on­tem, em Ca­xi­to, pe­lo vi­ce­go­ver­na­dor pa­ra os Ser­vi­ços Téc­ni­cos e In­fra-es­tru­tu­ras.

Jo­sé Campos Ma­jor dis­se ser ne­ces­sá­rio que as co­o­pe­ra­ti­vas de cam­po­ne­ses, no qua­dro da di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia e pe­la im­por­tân­cia que re­pre­sen­tam pa­ra a re­gião, cri­em no­vas me­to­do­lo­gi­as de pro­du­ção pa­ra que pos­sam fa­zer fa­ce às exi­gên­cia ac­tu­ais.

O vi­ce-go­ver­na­dor fa­la­va du­ran­te o Se­mi­ná­rio Pro­vin­ci­al so­bre a Lei da Co­o­pe­ra­ti­va, on­de su­bli­nhou que o sis­te­ma co­o­pe­ra­ti­vis­ta é fru­to das lu­tas as­so­ci­a­das dos tra­ba­lha­do­res, que se vi­ram im­pos­si­bi­li­ta­dos de com­pe­tir em fa­ce das al­te­ra­ções tra­zi­das pe­la re­vo­lu­ção in­dus­tri­al.

O país é com­pos­to por mui­ta gen­te li­ga­da ao cam­po, daí a gran­de ori­en­ta­ção do Go­ver­no pa­ra a cri­a­ção e pro­du­ção da agri­cul­tu­ra fa­mi­li­ar. Pa­ra is­so, é ne­ces­sá­ria uma me­lhor in­ter­pre­ta­ção da Lei das Co­o­pe­ra­ti­vas.

Por es­ta ra­zão se re­a­li­za o se­mi­ná­rio, pa­ra que to­dos pos­sam com­pre­en­der me­lhor os mo­de­los e sua ges­tão, a fim de se ge­rir e cri­ar co­o­pe­ra­ti­vas exem­pla­res e efi­ca­zes.

A or­ga­ni­za­ção dos cam­po­ne­ses em co­o­pe­ra­ti­vas me­lho­ra a pro­du­ção agrí­co­la e as­se­gu­ra o au­men­to da eco­no­mia do país. Nes­te mo­men­to, Bengo tem 108 co­o­pe­ra­ti­vas e 187 as­so­ci­a­ções. Fo­ram to­das exor­ta­das a agre­gar mais cam­po­ne­ses, no sen­ti­do de cri­a­rem um no­vo sis­te­ma de pro­du­ção e so­bre­vi­ve­rem às no­vas ne­ces­si­da­des do mercado.

O Exe­cu­ti­vo apro­vou re­cen­te­men­te a lei 23/15 de 31 de Agos­to, que re­gu­la as po­lí­ti­cas co­o­pe­ra­ti­vis­tas no país e, atra­vés do Mi­nis­té­rio da Eco­no­mia e seus par­cei­ros, re­a­li­za con­fe­rên­ci­as na­ci­o­nais so­bre co­o­pe­ra­ti­vis­mo.

A vi­ce-pre­si­den­te da União Na­ci­o­nal dos Cam­po­ne­ses de An­go­la (UNACA), Ri­car­di­na Ma­cha­do, ma­ni­fes­tou sa­tis­fa­ção pe­la cri­a­ção da lei, uma vez que já era es­pe­ra­da há mui­to tem­po, prin­ci­pal­men­te na área de agro­pe­cuá­ria.

“A lei sur­giu na me­lhor al­tu­ra, tra­zen­do con­si­go a gran­de opor­tu­ni­da­de pa­ra ga­ran­tir a pos­si­bi­li­da­de de se me­lho­rar o tra­ba­lho das co­o­pe­ra­ti­vas, que se re­gi­am por uma lei mui­to an­ti­ga, que era a Lei das So­ci­e­da­des Co­mer­ci­ais”, dis­se.

A ní­vel na­ci­o­nal, a UNACA ter­mi­nou com um tra­ba­lho de re­ca­das­tra­men­to, pa­ra cri­ar uma ba­se de da­dos das co­o­pe­ra­ti­vas exis­ten­tes, o que vai per­mi­tir uma me­lhor ges­tão dos pro­ble­mas dos cam­po­ne­ses.

DOMBELE BER­NAR­DO

Agri­cul­tu­ra en­tre as gran­des pri­o­ri­da­des

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.