A jo­vem que tro­cou a dan­ça pe­la mú­si­ca

Jornal de Angola - - PUBLICIDADE -

Nu­ma con­ver­sa ame­na, Edi­zi­la, sem­pre com um sor­ri­so no ros­to, abriu as pá­gi­nas da sua vi­da e re­ve­lou-nos se­gre­dos do seu pas­sa­do. Por­tu­gue­sa de na­ci­o­na­li­da­de, a can­to­ra tem uma mis­tu­ra de san­gue an­go­la­no e gui­ne­en­se. É a ca­çu­la dos cin­co fi­lhos do an­go­la­no Jo­sé Sa­cra­men­to e da gui­ne­en­se Ru­fi­na Sa­cra­men­to.

Edi­zi­la con­tou não ter si­do ta­re­fa fá­cil con­ven­cer os pais pa­ra po­der se­guir a car­rei­ra mu­si­cal. A pri­o­ri­da­de dos pro­ge­ni­to­res era sem­pre os es­tu­dos. Cres­ci­da num am­bi­en­te hu­mil­de, há 28 anos, a Edi­zi­la Vei­ga Ra­mos Sa­cra­men­to nas­ceu no dia 16 de Maio de 1988 em Lis­boa. Te­ve de co­me­çar a tra­ba­lhar mui­to ce­do pa­ra aju­dar nas des­pe­sas fa­mi­li­a­res. Aos 13 anos tra­ba­lhou co­mo em­pre­ga­da de lim­pe­za em vá­ri­os ser­vi­ços em Por­tu­gal, ofí­cio que re­a­li­zou du­ran­te dois anos, pa­ra de­pois ir tra­ba­lhar em res­tau­ran­tes. “Foi um dos mo­men­tos mais di­fí­ceis da mi­nha vi­da, por­que não ti­nha ex­pe­ri­ên­cia e pre­ci­sa­va fa­zer al­gu­ma coi­sa”.

Nos res­tau­ran­tes, tra­ba­lhou co­mo aju­dan­te de co­zi­nha e em­pre­ga­da de me­sa. “Li­dar com cli­en­tes não é fá­cil. Há mui­ta fal­ta de res­pei­to. A vi­da en­si­nou-me a dar va­lor a tu­do. Ago­ra sei me­lhor de que nin­guém o quan­to de­ve­mos res­pei­tar to­das as pro­fis­sões.”

Ac­tu­al­men­te Edi­zi­la fre­quen­ta o 2º ano do Cur­so de Re­la­ções In­ter­na­ci­o­nais nu­ma uni­ver­si­da­de pri­va­da de Lu­an­da. Is­so afas­ta-a por al­gum tem­po dos ho­lo­fo­tes da fa­ma. A par da ac­ti­vi­da­de mu­si­cal, tam­bém é tra­ba­lha­do­ra de uma em­pre­sa de co­mu­ni­ca­ção, mar­ke­ting e en­tre­te­ni­men­to e faz spots pu­bli­ci­tá­ri­os pa­ra rá­di­os e te­le­vi­sões.

O re­gres­so

Seis anos de­pois de co­lo­car no mercado o pri­mei­ro dis­co, “Eu e Tu”, a can­to­ra pro­cu­ra re­lan­çar a car­rei­ra ar­tís­ti­ca com o lan­ça­men­to de uma no­va obra. As mú­si­cas pro­mo­ci­o­nais es­tão dis­po­ní­veis des­de o dia 1 de Ju­lho do cor­ren­te ano e to­cam nas rá­di­os e são vi­sí­veis nas re­des so­ci­ais.

Se­gun­do a can­to­ra, se tu­do cor­rer co­mo pla­ni­fi­cou, o se­gun­do dis­co po­de es­tar dis­po­ní­vel ao pú­bli­co no pri­mei­ro tri­mes­tre do pró­xi­mo ano. É um dis­co, con­for­me dis­se, com mú­si­cas di­ver­si­fi­ca­das, em vá­ri­os es­ti­los. Ela cre­di­ta que os fãs se vão iden­ti­fi­car com as men­sa­gens.

A ideia do pró­xi­mo dis­co é co­lo­car no mercado te­mas que su­pe­rem os su­ces­sos “Or­gu­lho”, “Reu­nir Fa­mí­lia”, “Ma­ria Ma­nu­e­la” e “Eu e Tu”, do pri­mei­ro dis­co. O úl­ti­mo deu o tí­tu­lo ao pri­mei­ro dis­co. “Es­tou mui­to mais ma­du­ra e es­pe­ro que nos pró­xi­mos tra­ba­lhos es­te­jam efec­ti­va­men­te re­flec­ti­da a mi­nha ver­da­dei­ra per­so­na­li­da­de”, diz Edi­zi­la.

O no­vo te­ma pro­mo­ci­o­nal, “Vem Vem”, con­ta com o apoio de dois par­cei­ros es­tra­té­gi­cos, no­me­a­da­men­te Di­baya Stu­di­os, res­pon­sá­vel pe­la pres­ta­ção de ser­vi­ços de pro­du­ção, gra­va­ção, mis­tu­ra e mas­te­ri­za­ção, e a em­pre­sa Bom­bás­ti­co, que ac­tua no ra­mo da co­mu­ni­ca­ção, mar­ke­ting e en­tre­te­ni­men­to.

Pla­nos pa­ra o fu­tu­ro

Pro­mo­ver ac­ti­vi­da­de fi­lan­tró­pi­ca e cons­ti­tuir fa­mí­lia são os prin­ci­pais pla­nos da can­to­ra. Por de­trás da jo­vem apa­ren­te­men­te sen­sí­vel, es­tá es­con­di­da uma jo­vem ba­ta­lha­do­ra que pre­ten­de au­men­tar os co­nhe­ci­men­tos na mú­si­ca, fa­zen­do um cur­so de gui­tar­ra e voz. Um gran­de so­nho da can­to­ra é fa­zer du­e­tos com Paulo Flo­res e Edu­ar­do Paim.

VIGAS DA PURIFICAÇÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.