Di­nâ­mi­ca do te­a­tro de­ba­ti­da no Ca­mões

Jornal de Angola - - CULTURA -

O lan­ça­men­to do li­vro “A em­pre­sa na cul­tu­ra - o te­a­tro ama­dor e a cri­a­ção de no­vos pú­bli­cos da cul­tu­ra”, da au­to­ria de Car­mem Zi­ta Mo­ne­reo, na ter­ça-fei­ra, às 17 ho­ras, no au­di­tó­rio Pe­pe­te­la, no Cen­tro Cul­tu­ral Por­tu­guês, em Lu­an­da, mar­ca a aber­tu­ra da 7ª edi­ção do pro­gra­ma “Há Te­a­tro no Ca­mões”.

De acor­do com a des­cri­ção do li­vro, a au­to­ra “ani­ma vi­va­men­te a em­pre­en­der, a cri­ar um pro­jec­to pró­prio de ges­tão cul­tu­ral, a di­vul­gar es­se mes­mo pro­jec­to, a de­sen­vol­ver o pla­no de tra­ba­lho es­ta­be­le­ci­do e a ori­en­tá-lo a um pú­bli­co di­ver­si­fi­ca­do.”

Co­mo apre­sen­tar o seu pla­no a po­ten­ci­ais ac­to­res fi­nan­ci­a­do­res, ao mes­mo tem­po que su­ge­re a me­lhor for­ma de ga­ran­tir-se a con­ti­nui­da­de do pro­jec­to, é umas das atrac­ções do li­vro, de Car­mem Zi­ta Mo­ne­reo.

Por ou­tro la­do, o em­pre­en­de­do­ris­mo e o de­sen­vol­vi­men­to de ini­ci­a­ti­vas cul­tu­rais e de la­zer no meio das em­pre­sas “fa­zem par­te de um no­vo pa­ra­dig­ma de ges­tão em­pre­sa­ri­al que com­bi­na du­as di­nâ­mi­cas: a so­ci­a­bi­li­da­de dos tra­ba­lha­do­res e as ini­ci­a­ti­vas de mar­ke­ting da em­pre­sa”. É pre­ci­sa­men­te es­te o ob­jec­ti­vo do li­vro.

Car­mem Zi­ta Mo­ne­reo é ges­to­ra e es­pe­ci­a­lis­ta em co­mu­ni­ca­ção, for­ma­do­ra em áre­as de Ges­tão de Co­mu­ni­ca­ção e Mar­ke­ting.

Na quar­ta-fei­ra, às 17h00, re­a­li­za-se no mes­mo lo­cal, uma me­sa re­don­da su­bor­di­na­da ao te­ma “A mu­lher e o te­a­tro” com a par­ti­ci­pa­ção de Car­mem Zi­ta Mo­ne­reo, Ana­cle­ta Pe­rei­ra, Pulqué­ria Bas­tos, Vic­tó­ria So­a­res, Zul­mir He­le­na e Car­la Ro­dri­gues.

Du­as ho­ras mais tar­de, is­to é, às 19 ho­ras, re­a­li­za-se um mo­men­to de te­a­tro com a com­pa­nhia te­a­tral cu­ba­na Hu­bert de Blanck que apre­sen­ta a pe­ça “El ena­no en la bo­te­lha” (O anão na gar­ra­fa).

De acor­do com a si­nop­se do es­pec­tá­cu­lo: “O anão é uma pa­rá­bo­la do en­cer­ra­men­to. Uma ten­ta­ti­va poé­ti­ca de so­bre­vi­ver num am­bi­en­te hos­til. Uma de­so­la­da me­tá­fo­ra da con­di­ção hu­ma­na, apri­si­o­na­da nu­ma cir­cuns­tân­cia con­cre­ta que lhe obri­ga a mo­ver-se en­tre o ab­sur­do e o pe­sa­de­lo, so­bre­pon­do-se a tu­do e a ca­da um dos obs­tá­cu­los que lhe ex­põe a gar­ra­fa (seu mun­do).”

Es­ta obra exis­ten­ci­al con­vi­da-nos a re­flec­tir se a nos­sa vi­da é o re­fle­xo da lu­ta pe­lo nos­sos so­nhos, por aqui­lo que nos faz vi­brar, o re­sul­ta­do inequí­vo­co do con­for­mis­mo ou a ti­ra­nia so­ci­al em que uns pou­cos aca­bam por es­ma­gar uma gran­de mai­o­ria.

A no­ta de im­pren­sa, ci­ta Ma­nu­el Rui, a pro­pó­si­to de uma obra de te­a­tro de Jo­sé Me­na Abran­tes, na qual re­fe­re que “o te­a­tro de­cor­re de uma ne­ces­si­da­de vi­tal, apon­tan­do si­nais de que a re­pre­sen­ta­ção es­tá em to­da a vi­da, en­quan­to acon­te­ci­men­to so­ci­al de es­té­ti­ca, co­mo en­con­tro, co­mu­nhão de pro­xi­mi­da­de ou dis­tân­cia de fren­te-a-fren­te.”

JOÃO GO­MES

Com­pa­nhia te­a­tral cu­ba­na Hu­bert de Blanck apre­sen­ta a pe­ça “El ena­no en la bo­te­lha”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.