Te­e­rão co­me­çou cons­tru­ção da se­gun­da cen­tral nu­cle­ar

ONU re­co­nhe­ce que o pro­gra­ma nu­cle­ar ira­ni­a­no res­pei­ta os acor­dos

Jornal de Angola - - PARTADA -

O Irão anun­ci­ou on­tem que co­me­çou a cons­truir uma se­gun­da cen­tral nu­cle­ar com a aju­da da Rús­sia, no âm­bi­to de um pro­jec­to es­ti­ma­do em 10 mil mi­lhões de dó­la­res, que res­pei­ta o com­pro­mis­so es­ta­be­le­ci­do com as po­tên­ci­as mun­di­ais.

A te­le­vi­são es­ta­tal mos­trou au­to­ri­da­des rus­sas e ira­ni­a­nas na ce­ri­mó­nia de lan­ça­men­to do pro­jec­to de 10 anos, que in­clui du­as cen­trais nu­cle­a­res, com uma ca­pa­ci­da­de de mais de 1 gi­gaWatt após a sua con­clu­são to­tal.

O Irão já pos­sui um re­ac­tor nu­cle­ar cons­truí­do por rus­sos em Bushehr. O Go­ver­no de Mos­co­vo as­si­nou um acor­do com as au­to­ri­da­des de Te­e­rão em 2014 pa­ra cons­truir mais oi­to re­ac­to­res no país, pa­ra aten­der pro­gra­mas pa­cí­fi­cos na área in­dus­tri­al.

Um relatório da Agên­cia In­ter­na­ci­o­nal de Ener­gia Ató­mi­ca (AIEA) in­di­cou que o Irão man­tém a sua par­te do acor­do as­si­na­do com as seis po­tên­ci­as mun­di­ais, o qual li­mi­ta o ar­ma­ze­na­men­to de subs­tân­ci­as que pos­sam ser uti­li­za­das pa­ra pro­du­zir ar­ma­men­to nu­cle­ar.

O relatório da Agên­cia In­ter­na­ci­o­nal de Ener­gia Ató­mi­ca (AIEA) não in­di­ca qual­quer vi­o­la­ção das re­gras pe­lo Irão, co­mo ad­ver­ti­ram as po­tên­ci­as oci­den­tais.

A im­pren­sa in­ter­na­ci­o­nal men­ci­o­na que as san­ções con­tra o Go­ver­no de Te­e­rão fo­ram ime­di­a­ta­men­te re­ti­ra­das após o acor­do. As­sim, a pos­si­bi­li­da­de de o Irão con­cre­ti­zar o seu pro­gra­ma de ener­gia ató­mi­ca pa­ra fins pa­cí­fi­cos tem as con­di­ções ne­ces­sá­ri­as pa­ra ca­mi­nhar até ao fim, con­si­de­rou um es­pe­ci­a­lis­ta so­bre ar­mas nu­cle­a­res e apro­vei­ta­men­to de ener­gia ató­mi­ca pa­ra fins pa­cí­fi­cos.

As au­to­ri­da­des ira­ni­a­nas de­se­jam que o pro­jec­to pos­sa ser con­cre­ti­za­do den­tro dos pra­zos pa­ra aten­der à gran­de ne­ces­si­da­de na área in­dus­tri­al, co­mo re­co­nhe­ceu uma fon­te ofi­ci­al. A cons­tru­ção das cen­trais nu­cle­a­res vão poder ser acom­pa­nha­das pe­los ci­en­tis­tas da AIEA, des­de que res­pei­tem os pro­to­co­los da Agên­cia.

O Go­ver­no de Te­e­rão afas­ta des­ta ma­nei­ra qual­quer pos­si­bi­li­da­de de vi­si­tas fo­ra do cam­po de re­la­ção, es­ta­be­le­ci­do pe­las Na­ções Uni­das, pa­ra so­lu­ci­o­nar di­fe­ren­dos téc­ni­cos ou de or­dem po­lí­ti­ca que pos­sam sur­gir no de­cor­rer da re­a­li­za­ção de um pro­jec­to nu­cle­ar de gran­de en­ver­ga­du­ra, co­mo a cons­tru­ção de cen­trais nu­cle­a­res no Irão. Te­e­rão re­fe­riu, a pro­pó­si­to, que o seu pro­gra­ma tem fins pa­cí­fi­cos.

AFP

Go­ver­no ira­ni­a­no re­fe­riu que am­pli­a­ção do seu par­que nu­cle­ar per­se­gue fins pa­cí­fi­cos e res­pei­ta os com­pro­mis­sos com os paí­ses oci­den­tais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.