“Não há ne­nhu­ma su­bal­ter­ni­za­ção da CNE”

Mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio vol­ta a re­ba­ter crí­ti­cas fei­tas pe­la opo­si­ção

Jornal de Angola - - PARTADA - SAMPAIO JÚ­NI­OR |* Ben­gue­la

A con­du­ção do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio (MAT) não é uma for­ma de su­bal­ter­ni­zar a Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral (CNE), ga­ran­tiu o mi­nis­tro Bornito de Sou­sa num en­con­tro com re­pre­sen­tan­tes de par­ti­dos po­lí­ti­cos com as­sen­to no Par­la­men­to, co­mu­ni­da­de aca­dé­mi­ca, au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais, lí­de­res ju­ve­nis e de igre­jas. O mi­nis­tro re­a­gia as­sim a al­gu­mas for­ças po­lí­ti­cas que pre­ten­dem le­var o ca­so jun­to das ins­tân­ci­as ju­di­ci­ais do país. Exis­tem al­gu­mas for­ças po­lí­ti­cas que es­tão a le­van­tar a ques­tão do Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio es­tar a su­bal­ter­ni­zar os po­de­res da Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral, o que não é ver­da­de”, dis­se Bornito de Sou­sa, em Ben­gue­la.

A con­du­ção do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio (MAT) não é uma for­ma de su­bal­ter­ni­zar a Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral (CNE), re­a­fir­mou sá­ba­do, em Ben­gue­la, o mi­nis­tro Bornito de Sou­sa.

O mi­nis­tro, que fa­la­va du­ran­te um en­con­tro com re­pre­sen­tan­tes de par­ti­dos po­lí­ti­cos com as­sen­to no Par­la­men­to, co­mu­ni­da­de aca­dé­mi­ca, au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais, lí­de­res ju­ve­nis e de igre­jas, re­a­gia as­sim a al­gu­mas for­ças po­lí­ti­cas que pre­ten­dem le­var o ca­so jun­to das ins­tân­ci­as ju­di­ci­ais do país.

“Exis­tem al­gu­mas for­ças po­lí­ti­cas que es­tão a le­van­tar a po­si­ção se­gun­do a qual o Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio es­tá a su­bal­ter­ni­zar os po­de­res da Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral, o que não é ver­da­de”, dis­se Bornito de Sou­sa.

A opo­si­ção cri­ti­ca o fac­to de o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral es­tar a ser con­du­zi­do e or­ga­ni­za­do pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio (MAT). O en­ten­di­men­to da opo­si­ção é de que a ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral de­ve ser or­ga­ni­za­do e re­a­li­za­do pe­la CNE, que, se­gun­do ela, é a en­ti­da­de com com­pe­tên­cia pa­ra is­so, en­quan­to ór­gão fis­ca­li­za­dor do pro­ces­so elei­to­ral no seu to­do.

O juiz-pre­si­den­te do Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal dis­se, no fi­nal do mês pas­sa­do, que não ha­via ne­nhum pro­ces­so dos par­ti­dos da opo­si­ção a con­tes­ta­rem o fac­to de ser o Exe­cu­ti­vo a re­a­li­zar o pro­ces­so de re­gis­to elei­to­ral. Em de­cla­ra­ções à An­gop, Rui Fer­rei­ra as­se­gu­rou, no en­tan­to, que o Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal es­tá pre­pa­ra­do e tem uma or­ga­ni­za­ção pró­pria que po­de aten­der à ple­ni­tu­de das su­as res­pon­sa­bi­li­da­des.

Im­por­tân­cia do re­gis­to

No Hu­am­bo, o mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio vol­tou a re­al­çar a im­por­tân­cia da ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral pa­ra as pró­xi­mas elei­ções ge­rais, pois é con­di­ção pri­má­ria pa­ra par­ti­ci­par no plei­to. Bornito de Sou­sa apro­vei­tou a oca­sião pa­ra in­for­mar que não ha­ve­rá pa­ra­li­sa­ção das au­las du­ran­te o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral. Ga­ran­tiu igual­men­te es­ta­rem cri­a­das as con­di­ções pa­ra a re­a­li­za­ção do re­gis­to sem so­bres­sal­tos, exor­tan­do to­dos os an­go­la­nos a des­lo­ca­rem-se aos pos­tos es­pa­lha­dos em to­das as lo­ca­li­da­des iden­ti­fi­ca­das, pa­ra re­a­li­za­rem a sua pro­va de vi­da.

“In­di­car on­de quer vo­tar é um dos fac­to­res de­ter­mi­nan­tes pa­ra que o ci­da­dão te­nha o di­rei­to a vo­tar em 2017. Pro­ce­der à eli­mi­na­ção dos ci­da­dãos fa­le­ci­dos da ba­se de da­dos e cri­ar a ba­se de da­dos dos ci­da­dãos mai­o­res, ali­a­da à ac­tu­a­li­za­ção ge­ral, é ou­tra das ra­zões da ac­tu­a­li­za­ção dos da­dos”, es­cla­re­ceu o mi­nis­tro.

O re­ge­dor do mu­ni­cí­pio de Ben­gue­la, Pe­dro Ka­chi­po­que, sa­li­en­tou que a par­ti­ci­pa­ção na ac­tu­a­li­za­ção dos da­dos é um de­ver cí­vi­co e um exer­cí­cio de ci­da­da­nia e ma­ni­fes­tou a sua sa­tis­fa­ção pe­la pre­sen­ça dos ben­gue­len­ses aos pos­to de re­gis­to elei­to­ral. Pe­dro Ka­chi­po­que ape­lou a to­dos os mu­ní­ci­pes, com dis­ci­pli­na e gran­de sen­ti­do de res­pon­sa­bi­li­da­de, a le­va­rem as su­as fa­mí­li­as a fa­ze­rem a pro­va de vi­da. Os efec­ti­vos das For­ças Ar­ma­das An­go­la­nas (FAA) des­ta­ca­dos na Re­gião Na­val Sul e no Re­gi­men­to Aé­reo de Ca­ça Bom­bar­dei­ro da Ca­tum­be­la co­me­ça­ram a ac­tu­a­li­zar os seus da­dos de re­gis­to elei­to­ral no sá­ba­do, num acto as­sis­ti­do pe­lo mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio.

O vi­ce-go­ver­na­dor pro­vin­ci­al pa­ra a es­fe­ra eco­nó­mi­ca, Gi­ka Mo­rais, adi­an­tou que o pro­ces­so, em Ben­gue­la, de­cor­re sem so­bres­sal­tos, as­se­gu­ran­do que os mei­os lo­gís­ti­cos pa­ra o fun­ci­o­na­men­to das bri­ga­das es­tão em dia. Re­la­ti­va­men­te ao pe­río­do chu­vo­so que se avi­zi­nha, dis­se que a si­tu­a­ção tam­bém es­tá acau­te­la­da, prin­ci­pal­men­te pa­ra as cha­ma­das áre­as de difícil aces­so.

Gi­ka Mo­rais re­al­çou a dis­po­ni­bi­li­da­de das FAA que, mais uma vez, vão apoi­ar o pro­ces­so com mei­os de trans­por­te aé­reo, ter­res­tre e flu­vi­al, on­de se mos­tra­rem ne­ces­sá­ri­os. Ben­gue­la tem zo­nas de difícil aces­so iden­ti­fi­ca­das em al­guns mu­ni­cí­pi­os, co­mo é o ca­so da Gan­da.

Ac­tu­a­li­za­ção em Me­non­gue

Em Me­non­gue, pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go, três equi­pas de bri­ga­dis­tas de ac­tu­a­li­za­ção dos da­dos dos ci­da­dãos re­si­den­tes na­que­la ci­da­de tra­ba­lha­ram on­tem em três pon­tos prin­ci­pais de­fi­ni­dos, pa­ra pos­si­bi­li­tar os elei­to­res que não o fi­ze­ram até ao mo­men­to.

A in­for­ma­ção foi avan­ça­da sá­ba­do pe­lo di­rec­tor mu­ni­ci­pal dos Re­gis­tos de Me­non­gue, Car­li­tos An­dré, ten­do avan­ça­do que uma das equi­pas con­ti­nu­a­rá a tra­ba­lhar na emis­so­ra pro­vin­ci­al do gru­po Rá­dio Na­ci­o­nal de An­go­la, pa­ra ac­tu­a­li­zar os que vi­vem no cen­tro da ci­da­de.

Uma ou­tra equi­pa fun­ci­o­nou no ae­ro­por­to “Co­man­dan­te Cu­e­nha”, pa­ra pos­si­bi­li­tar a ac­tu­a­li­za­ção dos da­dos e pro­va de vi­da dos fun­ci­o­ná­ri­os da ENANA e da Al­fân­de­ga, da­da a pou­ca fa­ci­li­da­de que têm pa­ra o fa­ze­rem.

Car­li­tos An­dré dis­se ain­da que uma ou­tra equi­pa tra­ba­lhou na Igre­ja Ca­tó­li­ca, si­tu­a­da no bair­ro Novo, não só pa­ra re­gis­tar os cris­tãos mas tam­bém aque­las pes­so­as que vi­vem nas re­don­de­zas.

Car­li­tos An­dré ga­ran­tiu que, ape­sar da in­su­fi­ci­ên­cia de bri­ga­dis­tas, o pro­ces­so es­tá a ser de­sen­vol­vi­do co­mo pro­gra­ma­do. Ac­tu­al­men­te, ca­da bri­ga­dis­ta es­tá a re­gis­tar 30 elei­to­res, mas es­ta ci­fra es­tá a ser su­pe­ra­da di­a­ri­a­men­te, atin­gin­do 100 ci­da­dãos. As dez bri­ga­das de ac­tu­a­li­za­ção de re­gis­to de Me­non­gue es­tão a tra­ba­lhar nos bair­ros pe­ri­fé­ri­cos da Paz, Ca­zen­ga, 4 de Abril, 45 Ca­sas, Novo e na zo­na ur­ba­na da ci­da­de de Me­non­gue.

Agen­tes da UNITA

Ao to­do, 47 agen­tes elei­to­rais da UNITA no Cu­an­do Cu­ban­go ter­mi­na­ram sá­ba­do uma for­ma­ção que vi­sa di­na­mi­zar a sen­si­bi­li­za­ção so­bre a ne­ces­si­da­de da ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral em cur­so no país e ou­tras ac­ções do par­ti­do.

No acto de en­cer­ra­men­to, o se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da UNITA, Adri­a­no Sa­piña­la, re­fe­riu que o par­ti­do tem es­ta­do a des­do­brar-se a ní­vel dos co­mi­tés no sen­ti­do de ca­pa­ci­tar os qua­dros, da­da a di­nâ­mi­ca que se avi­zi­nha no país.

A for­ma­ção, com a du­ra­ção de mais de du­as se­ma­nas, te­ve o seu co­me­ço no co­mi­té Rai­nha Njin­ga, de­pois es­ten­deu-se ao Ndumbo e na se­ma­na que ho­je ter­mi­na a UNITA es­te­ve no bair­ro Paz, ar­re­do­res da ci­da­de de Me­non­gue.

Sa­piña­la lem­brou aos qua­dros e mi­li­tan­tes pre­sen­tes na ce­ri­mó­nia que, a ní­vel do país, o pro­ces­so de re­gis­to elei­to­ral pre­sen­ci­al irá ca­pa­ci­tar os ci­da­dãos na­ci­o­nais a exer­ce­rem o seu di­rei­to de vo­to em Agos­to do pró­xi­mo ano. Con­si­de­rou que o nú­me­ro de pes­so­as que já ac­tu­a­li­za­ram os seus da­dos, mais de 500 mil, ain­da es­tá aquém do es­pe­ra­do.

O se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da UNITA no Cu­an­do Cu­ban­go apro­vei­tou o mo­men­to pa­ra ape­lar a to­dos os an­go­la­nos em ge­ral e em par­ti­cu­lar a to­dos os mi­li­tan­tes do seu par­ti­do pa­ra afluí­rem em mas­sa aos pos­tos de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral.

“Es­ta­mos a fa­zer es­te ape­lo por­que te­mos, an­tes de tu­do, de nos ca­pa­ci­tar pa­ra exer­cer­mos o nos­so di­rei­to no pró­xi­mo ano. É nes­ta pers­pec­ti­va que acha­mos que os nos­sos mi­li­tan­tes não po­dem es­tar à par­te des­te re­gis­to que es­tá a de­cor­rer nes­te mo­men­to”, su­bli­nhou.

PAU­LO MULAZA

Mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio

FRAN­CIS­CO LO­PES

Mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio vol­tou a re­al­çar a im­por­tân­cia da ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral pa­ra o exer­cí­cio do di­rei­to ao vo­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.