Che­cos re­lan­çam co­o­pe­ra­ção na De­fe­sa

Jornal de Angola - - POLÍTICA - ADALBERTO CEITA e JOSINA DE CAR­VA­LHO|

O vi­ce-mi­nis­tro da De­fe­sa da Re­pú­bli­ca Che­ca, To­más Kut­cha, con­si­de­rou on­tem que as du­as dé­ca­das de fra­cas­so na co­o­pe­ra­ção com Angola fa­zem par­te do pas­sa­do e ga­ran­tiu que veio a Luanda pa­ra re­a­tar as re­la­ções no do­mí­nio da De­fe­sa en­tre os dois paí­ses.

To­más Kut­cha, que fa­la­va na aber­tu­ra do pri­mei­ro “Se­mi­ná­rio de apre­sen­ta­ção dos mei­os mi­li­ta­res de pro­du­ção che­ca”, no Co­man­do do Exér­ci­to, na pre­sen­ça do se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra a Po­lí­ti­ca de De­fe­sa Na­ci­o­nal, Gas­par Ru­fi­no, ex­pli­cou que num pas­sa­do re­cen­te o seu país atin­giu um ní­vel de de­sen­vol­vi­men­to ele­va­do na in­dús­tria de De­fe­sa, e que pos­sui uma ga­ma de to­po em ter­mos de equi­pa­men­tos mi­li­ta­res.

Além de enu­me­rar a ca­pa­ci­da­de de pro­du­ção, re­pa­ra­ção e mo­der­ni­za­ção de equi­pa­men­tos mi­li­ta­res, To­más Kut­cha re­fe­riu que no tem­po da guer­ra fria os che­cos fi­ca­ram co­nhe­ci­dos co­mo es­pe­ci­a­lis­tas em equi­pa­men­tos de co­mu­ni­ca­ção de to­po. “Num fu­tu­ro bre­ve as au­to­ri­da­des de De­fe­sa em Angola te­rão a opor­tu­ni­da­de de ve­ri­fi­car o que te­mos dis­po­ní­vel. Pos­suí­mos um país pe­que­no, sem pre­ten­são de nos tor­nar­mos pro­fes­so­res, mas de man­ter­mos uma re­la­ção sa­dia com Angola”, dis­se.

O vi­ce-mi­nis­tro da De­fe­sa che­co ma­ni­fes­tou a in­ten­ção de es­ten­der a co­o­pe­ra­ção com Angola na for­ma­ção de mi­li­ta­res nos sec­to­res da saú­de, da lo­gís­ti­ca, en­tre ou­tros. To­más Kut­cha la­men­tou que te­nha ha­vi­do um in­ter­reg­no nas re­la­ções bi­la­te­rais, con­tra­ri­an­do a pre­ten­são de am­bas as par­tes, de­pois da se­pa­ra­ção da Re­pú­bli­ca Che­ca e da Re­pú­bli­ca Es­lo­vá­quia. “Mui­tos an­go­la­nos e che­cos guar­dam bo­as me­mó­ri­as da an­te­ri­or épo­ca de re­la­ções re­cí­pro­cas. Pen­so que es­te é um pri­mei­ro pas­so pa­ra o fu­tu­ro”, sa­li­en­tou. To­más Kut­cha con­si­de­rou o en­con­tro “um mo­men­to his­tó­ri­co” e re­cor­dou o pas­sa­do de ex­ce­len­tes re­la­ções en­tre os dois paí­ses, de­pois da In­de­pen­dên­cia de Angola, épo­ca em que o seu país ti­nha a de­no­mi­na­ção de Che­cos­lo­vá­quia.“Mui­tos de nós lem­bra­mo-nos bem do pas­sa­do, dos mo­men­tos di­fí­ceis em que es­pe­ci­a­lis­tas da Re­pú­bli­ca Che­ca es­ta­vam em Angola pa­ra trans­mi­ti­rem co­nhe­ci­men­tos no ra­mo mi­li­tar”, dis­se.

Con­sul­tas po­lí­ti­cas

Angola e a Re­pú­bli­ca Che­ca vão ne­go­ci­ar em bre­ve a as­si­na­tu­ra de um Me­mo­ran­do de En­ten­di­men­to pa­ra a re­a­li­za­ção de con­sul­tas po­lí­ti­cas, no sen­ti­do de cri­a­rem con­di­ções pa­ra o es­ta­be­le­ci­men­to de uma co­mis­são bi­la­te­ral.

De acor­do com o che­fe da Di­rec­ção Eu­ro­pa do Mi­nis­té­rio das Re­la­ções Ex­te­ri­o­res, Fran­cis­co da Cruz, que acom­pa­nhou o en­con­tro en­tre o se­cre­tá­rio de Es­ta­do do sec­tor, Ma­nu­el Au­gus­to, e o vi­ce-mi­nis­tro da De­fe­sa da Re­pú­bli­ca Che­ca, To­más Ku­ch­ta, re­a­li­za­do on­tem, em Luanda, a co­mis­são bi­la­te­ral vai abor­dar ques­tões na­ci­o­nais, re­gi­o­nais e in­ter­na­ci­o­nais de in­te­res­se co­mum e ex­plo­rar áre­as de co­o­pe­ra­ção, no âm­bi­to da di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia. Fran­cis­co da Cruz dis­se que a ex­pe­ri­ên­cia che­ca na agri­cul­tu­ra, o ní­vel de in­dus­tri­a­li­za­ção e a qua­li­da­de das uni­ver­si­da­des po­de aju­dar ao de­sen­vol­vi­men­to de Angola.

EDU­AR­DO PE­DRO

Vi­ce-mi­nis­tro da De­fe­sa es­tá em Luanda

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.