Ca­bo sub­ma­ri­no che­ga a For­ta­le­za

Jornal de Angola - - PARTADA -

O Mo­net, ca­bo sub­ma­ri­no de fi­bra óp­ti­ca que vai li­gar di­rec­ta­men­te o Bra­sil e os Es­ta­dos Uni­dos, che­gou on­tem a For­ta­le­za, anun­ci­ou um dos pro­pri­e­tá­ri­os do ca­bo, a com­pa­nhia de te­le­co­mu­ni­ca­ções Angola Ca­bles. O fac­to cons­ti­tui um mar­co im­por­tan­te na es­tra­té­gia da em­pre­sa angolana, uma vez que o ca­bo vai ser in­ter­li­ga­do a um ou­tro sis­te­ma em cons­tru­ção, o SACS – South Atlan­tic Ca­ble Sys­tem, con­cre­ti­zan­do, des­te mo­do, o ob­jec­ti­vo de tor­nar Angola num “hub” das te­le­co­mu­ni­ca­ções.

O sis­te­ma de ca­bos sub­ma­ri­nos es­tá nu­ma das su­as fa­ses mais im­por­tan­tes, que é o lan­ça­men­to do ca­bo ao lon­go do Oce­a­no Atlân­ti­co, ten­do si­do uma pri­mei­ra par­te ins­ta­la­da em San­tos e a se­gun­da in­ter­li­ga­da ago­ra em For­ta­le­za, na re­gião do Nor­des­te bra­si­lei­ro.

Quan­do es­ti­ver con­cluí­do, o Mo­net vai be­ne­fi­ci­ar os usuá­ri­os das te­le­co­mu­ni­ca­ções no Bra­sil, que pas­sa­rão a ter ro­tas al­ter­na­ti­vas pa­ra o aces­so aos Es­ta­dos Uni­dos e, por es­ta via, a ou­tros cen­tros de con­su­mo e pro­du­ção de con­teú­dos. A cons­tru­ção des­te ca­bo é ape­nas a pri­mei­ra fa­se do projecto que vi­sa tor­nar Angola num dos hubs das te­le­co­mu­ni­ca­ções no con­ti­nen­te. A com­pa­nhia angolana es­tá a cons­truir um da­ta cen­ter em For­ta­le­za, du­as es­ta­ções de ca­bos sub­ma­ri­nos e tem em fa­se avan­ça­da a cons­tru­ção do SACS, que de­ve es­tar pron­to pa­ra a co­mer­ci­a­li­za­ção em 2018, se­gun­do Ar­tur Men­des, di­rec­tor co­mer­ci­al e de mar­ke­ting da Angola Ca­bles.

“Com a ins­ta­la­ção do Mo­net, pre­vis­ta pa­ra Ju­nho do pró­xi­mo ano, e a con­clu­são do SACS em 2018, Angola e os de­mais paí­ses afri­ca­nos te­rão ro­tas al­ter­na­ti­vas pa­ra en­vi­ar ou ace­der a con­teú­dos que se en­con­trem na Amé­ri­ca ou na Eu­ro­pa. Tam­bém as di­ver­sas com­pa­nhi­as que ac­tu­am nos dois con­ti­nen­tes po­de­rão en­con­trar den­tro da re­de da Angola Ca­bles um pro­ve­dor de ser­vi­ços de In­ter­net com ro­tas mais efi­ci­en­tes. É um be­ne­fí­cio pa­ra o país que se po­si­ci­o­na des­te mo­do co­mo um dos players im­por­tan­tes nas te­le­co­mu­ni­ca­ções em Áfri­ca. Atra­vés dos pro­jec­tos de­sen­vol­vi­dos por uma em­pre­sa angolana, o trá­fe­go de da­dos e voz en­tre os mer­ca­dos ame­ri­ca­no e afri­ca­no se­rá di­rec­to”, dis­se Ar­tur Men­des.

O Mo­net co­me­çou a ser ins­ta­la­do no pas­sa­do mês de Ju­lho em San­tos, com apro­xi­ma­da­men­te qua­tro mil qui­ló­me­tros de ca­bo a se­rem lan­ça­dos ao mar, o que re­pre­sen­ta cer­ca de 41 por cen­to de evo­lu­ção do projecto. Após a li­ga­ção do ca­bo em For­ta­le­za, dar-se-á iní­cio à ins­ta­la­ção do ra­mal que vai li­gar For­ta­le­za (Bra­sil) e Mi­a­mi (Es­ta­dos Uni­dos), cum­prin­do des­te mo­do a li­ga­ção to­tal do ca­bo de fi­bra óp­ti­ca. No ime­di­a­to, a Angola Ca­bles se­rá de­ten­to­ra, com ou­tros pro­pri­e­tá­ri­os do ca­bo, de um ac­ti­vo que per­mi­ti­rá a pres­ta­ção de ser­vi­ços a cli­en­tes na Amé­ri­ca La­ti­na e nos Es­ta­dos Uni­dos.

O Mo­net te­rá apro­xi­ma­da­men­te 10.500 qui­ló­me­tros de ca­bo de fi­bra óp­ti­ca e pa­ra a sua ins­ta­la­ção tra­ba­lham mais de 30 pro­fis­si­o­nais al­ta­men­te qua­li­fi­ca­dos, en­tre eles uma equi­pa de seis an­go­la­nos. Pa­ra o lan­ça­men­to do ca­bo, tra­ba­lham três na­vi­os (CS De­ci­si­ve, CS Sen­ti­nel e Sa­ga Ba­de­jo).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.