A es­pe­cu­la­ção so­bre a de­sis­tên­cia de Hil­lary

Jornal de Angola - - OPINIÃO - BRIGITTE DUSSEAU | AFP

O que acon­te­ce se um can­di­da­to à pre­si­dên­cia dos Es­ta­dos Uni­dos re­nun­ci­ar an­tes da elei­ção? Após o mal-es­tar so­fri­do no do­min­go por Hil­lary Clin­ton e a di­vul­ga­ção de que a can­di­da­ta de­mo­cra­ta es­tá com pneu­mo­nia, es­ta per­gun­ta atin­ge com in­sis­tên­cia os Es­ta­dos Uni­dos da Amé­ri­ca.

A ex-se­cre­tá­ria de Es­ta­do, de 68 anos de ida­de, te­ve de can­ce­lar as ac­ti­vi­da­des pre­vis­tas pa­ra se­gun­da e es­ta ter­ça-fei­ra no Es­ta­do da Ca­li­fór­nia e en­con­tra-se em re­pou­so por im­po­si­ção mé­di­ca.

Mas ela ga­ran­te es­tar bem e que den­tro de pou­co tem­po es­ta­rá de re­gres­so à cam­pa­nha eleitoral. “Obri­ga­da a to­dos pe­los vo­tos. Sin­to­me bem e a me­lho­rar”, dis­se Hil­lary Clin­ton na se­gun­da-fei­ra nu­ma men­sa­gem, pa­ra de­pois afir­mar que es­tá “an­si­o­sa por re­gres­sar”.

Ca­so um can­di­da­to se­ja im­pos­si­bi­li­ta­do de con­ti­nu­ar na corrida à Ca­sa Bran­ca, a Cons­ti­tui­ção dos Es­ta­dos Uni­dos não tem na­da pre­vis­to. É pre­ci­so ana­li­sar, as­sim, os re­gu­la­men­tos in­ter­nos dos par­ti­dos pa­ra en­con­trar uma res­pos­ta.

No Par­ti­do De­mo­cra­ta, o ar­ti­go 2, sec­ção 7 dos seus Es­ta­tu­tos pre­vê que “em ca­so de va­ca­tu­ra na can­di­da­tu­ra pre­si­den­ci­al, de­ve ser con­vo­ca­da uma reu­nião es­pe­ci­al a pe­di­do do pre­si­den­te do par­ti­do”. O ce­ná­rio se­ria com­pa­rá­vel en­tre os re­pu­bli­ca­nos. Nes­sa reu­nião do co­mi­té na­ci­o­nal de­mo­cra­ta, de­ve ser to­ma­da uma de­ci­são por mai­o­ria dos pre­sen­tes. Mas não exis­te ne­nhum mar­co pre­ci­so pa­ra ori­en­tar a de­ci­são.

Os es­pe­ci­a­lis­tas têm tra­ba­lha­do com três no­mes em ca­so de de­sis­tên­cia de Hil­lary Clin­ton, o can­di­da­to à vi­ce-pre­si­dên­cia, Tim Kai­ne, o de­mo­cra­ta que ob­te­ve mais vo­tos nas elei­ções pri­má­ri­as de­pois de Hil­lary, Ber­nie San­ders, e o ac­tu­al vi­ce-pre­si­den­te, Joe Bi­den.

Ter­ri­tó­rio des­co­nhe­ci­do

De fac­to, ex­pli­ca à AFP Da­vid Lu­blin, pro­fes­sor na Ame­ri­can Uni­ver­sity de Washing­ton, “po­dem ele­ger qual­quer pes­soa” que sa­tis­fa­ça os cri­té­ri­os pa­ra se con­ver­ter em pre­si­den­te. “Es­ta­mos em ter­ri­tó­rio des­co­nhe­ci­do”, ad­mi­te o pro­fes­sor.

Mas, se­gun­do Lu­blin, as op­ções mais ló­gi­cas se­ri­am Tim Kai­ne, se­gui­do de Ber­nie San­ders, e Joe Bi­den, mui­to po­pu­lar no par­ti­do.

Já Je­an­ne Zai­no, es­pe­ci­a­lis­ta do Iowa Col­le­ge no Es­ta­do de No­va Ior­que, co­lo­ca em pri­mei­ro lu­gar na subs­ti­tui­ção Ber­nie San­ders, em­bo­ra ele se­ja con­tro­ver­so den­tro do par­ti­do, e de­pois Tim Kai­ne.

“Os par­ti­dos man­ti­ve­ram in­ten­ci­o­nal­men­te a im­pre­ci­são so­bre o pro­ce­di­men­to a ser se­gui­do pa­ra não fi­ca­rem de mãos ata­das e cor­re­rem o ris­co de te­rem um can­di­da­to que não lhes con­ve­nha”, dis­se Zai­no à AFP. Mas pri­mei­ro que tu­do se­ria ne­ces­sá­rio que Hil­lary Clin­ton re­nun­ci­as­se à sua can­di­da­tu­ra, e os es­pe­ci­a­lis­tas não acre­di­tam nesta pos­si­bi­li­da­de.

“É di­fí­cil ima­gi­nar que fa­ça is­so vo­lun­ta­ri­a­men­te”, con­si­de­ra Lu­blin, des­ta­can­do que até ao mo­men­to a sua pneu­mo­nia é fa­cil­men­te tra­tá­vel. E, se­gun­do ele, o pro­ces­so de de­sig­na­ção de um no­vo can­di­da­to é tão lon­go e can­sa­ti­vo que o par­ti­do cer­ta­men­te não pro­cu­ra­rá for­çar as coi­sas.

“Es­ta foi uma épo­ca eleitoral tão lou­ca que não me sur­pre­en­de que qual­quer coi­sa pos­sa acon­te­cer, mas não is­so”, afir­ma Je­an­ne Zai­no. “A me­nos que a sua saú­de es­te­ja mui­to pi­or do que aqui­lo que sa­be­mos.”

É nis­so que que­rem acre­di­tar os in­cli­na­dos pe­las te­o­ri­as da cons­pi­ra­ção de to­do ti­po: após a in­dis­po­si­ção de Hil­lary Clin­ton no do­min­go du­ran­te a ce­ri­mó­nia em me­mó­ria dos aten­ta­dos de 11 de Se­tem­bro em No­va Ior­que, mui­tos de­les di­vul­ga­ram as su­as te­o­ri­as sem prova al­gu­ma no Twit­ter, fa­zen­do re­fe­rên­cia a do­en­ças em Hil­lary co­mo de­mên­cia, Alzhei­mer, Par­kin­son e ou­tras.

Na his­tó­ria re­cen­te dos Es­ta­dos Uni­dos foi re­gis­ta­do ape­nas um ca­so de aban­do­no du­ran­te uma cam­pa­nha pre­si­den­ci­al: o se­na­dor Tho­mas Ea­gle­ton (1929-2007), can­di­da­to à pre­si­dên­cia por um bre­ve pe­río­do com Ge­or­ge McGo­vern em 1972. Ea­gle­ton ati­rou a to­a­lha ao chão após a re­ve­la­ção de que so­fria de de­pres­são.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.