UNITA apon­ta ir­re­gu­la­ri­da­des no pro­ces­so de re­cen­se­a­men­to

Jornal de Angola - - PARTADA - BERNARDINO MANJE |

A UNITA con­si­de­ra que o pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral de­cor­re com um con­jun­to de ir­re­gu­la­ri­da­des de­li­be­ra­das e em cer­tos ca­sos com com­por­ta­men­tos que po­dem ser con­si­de­ra­dos ac­tos cri­mi­no­sos.

O po­si­ci­o­na­men­to do mai­or par­ti­do na opo­si­ção foi apre­sen­ta­do on­tem, em Luanda, pe­lo se­cre­tá­rio da pre­si­dên­cia pa­ra os As­sun­tos Elei­to­rais, Vi­to­ri­no Nhany, du­ran­te uma con­fe­rên­cia de im­pren­sa que ser­viu pa­ra fa­zer o ba­lan­ço dos pri­mei­ros 15 di­as do pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral.

En­tre as su­pos­tas ir­re­gu­la­ri­da­des apon­ta­das por Vi­to­ri­no Nhany, des­ta­cam-se a proi­bi­ção de actualização aos elei­to­res que não se fa­çam acom­pa­nhar dos res­pec­ti­vos bi­lhe­tes de iden­ti­da­de, a mo­vi­men­ta­ção e fi­xa­ção de bri­ga­dis­tas em lo­ca­li­da­des não de­cla­ra­das no ma­pe­a­men­to, bem co­mo a re­a­li­za­ção de pau­sas in­ter­mi­ten­tes fei­tas por bri­ga­dis­tas, apro­vei­tan­do fa­zer ou­tros re­gis­tos fo­ra da bri­ga­da em ser­vi­ço.

A não in­clu­são, no ma­pe­a­men­to, de áre­as po­pu­lo­sas em cer­tas pro­vín­ci­as co­mo o Cu­an­za Sul (co­mu­na de Kis­son­go, mu­ni­cí­pio de Ca­lu­lo, e Lo­nhe no mu­ni­cí­pio de Ki­ba­la), Cu­an­do Cu­ban­go, Bié e Luanda (mais con­cre­ta­men­te nos mu­ni­cí­pi­os do Ca­zen­ga, Vi­a­na e Ca­cu­a­co), bem co­mo a su­pos­ta exis­tên­cia de re­gis­tos múl­ti­plos são ou­tras das ir­re­gu­la­ri­da­des que a UNITA diz es­tar a as­sis­tir no pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral.

Co­mo exem­plo, Vi­to­ri­no Nhany apon­tou o su­pos­to ca­so da elei­to­ra Ma­ria Gló­ria, que te­rá ac­tu­a­li­za­do o seu re­gis­to no bair­ro Ki­fi­ca-Ben­fi­ca, em Luanda, mas o seu no­me apa­re­ce em 1.200 re­gis­tos. Ou­tro su­pos­to ca­so, dis­se, é do ci­da­dão Manuel Edu­ar­do, com dois car­tões de elei­tor, sen­do um com o nú­me­ro 59.551/gru­po 60.252 e o ou­tro com o nú­me­ro 59.616/gru­po 60.252. Acres­cen­tou que, no Zan­go 4, em Vi­a­na, o ci­da­dão Do­min­gos de Oli­vei­ra te­rá apa­re­ci­do re­gis­ta­do 50 ve­zes.

“Es­ta é mais uma prova de que o FICRE (Fi­chei­ro In­for­má­ti­co Cen­tral do Re­gis­to Eleitoral) não foi trans­fe­ri­do pa­ra a Co­mis­são Na­ci­o­nal Eleitoral e que os seus er­ros se man­têm in­tac­tos”, afir­mou o se­cre­tá­rio da pre­si­dên­cia da UNITA pa­ra os As­sun­tos Elei­to­rais, pa­ra quem são es­ses mes­mos er­ros que pro­mo­ve­ram uma mai­o­ria qua­li­fi­ca­da ao MPLA nas elei­ções de 2012. Qu­es­ti­o­na­do so­bre o que o seu par­ti­do pre­ten­de fa­zer ca­so es­sas su­pos­tas fa­lhas não se­jam ul­tra­pas­sa­das, Vi­to­ri­no Nhany dis­se: “a UNITA tem vin­do a dar a sua con­tri­bui­ção no sen­ti­do de ver to­dos es­ses pro­ble­mas ul­tra­pas­sa­dos. Se não fo­rem ul­tra­pas­sa­dos, a di­rec­ção do par­ti­do vai reu­nir e emi­tir o seu po­si­ci­o­na­men­to”.

Trans­pa­rên­cia

Fa­ce ao que expôs, a UNITA fez um ba­lan­ço ne­ga­ti­vo so­bre os pri­mei­ros 15 di­as do pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral, ale­gan­do que o mes­mo não es­tá a ser trans­pa­ren­te. “Em fun­ção das ir­re­gu­la­ri­da­des que apon­tei, não po­de­mos de­cla­rar o pro­ces­so co­mo sen­do po­si­ti­vo. É mes­mo ne­ga­ti­vo e po­de­ría­mos con­si­de­rar po­si­ti­vo o ba­lan­ço se o ele­men­to trans­pa­rên­cia es­ti­ves­se pre­sen­te”, de­cla­rou o se­cre­tá­rio da pre­si­dên­cia da­que­le par­ti­do pa­ra os As­sun­tos Elei­to­rais, pa­ra quem o pro­ces­so de actualização do re­gis­to eleitoral de­ve­ria ser con­du­zi­do por um ór­gão in­de­pen­den­te, no ca­so, a Co­mis­são Na­ci­o­nal Eleitoral (CNE).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.