Cri­an­ças da ci­da­de de Mo­çâ­me­des es­tu­dam em me­lho­res con­di­ções

Go­ver­no con­ti­nua a apos­tar na me­lho­ria do sis­te­ma de en­si­no e apren­di­za­gem

Jornal de Angola - - PARTADA -

Um gru­po de 280 cri­an­ças pas­sa­ram a es­tu­dar em me­lho­res con­di­ções, des­de on­tem, após a inau­gu­ra­ção de uma es­co­la com qua­tro sa­las de au­la, no bair­ro 4 de Mar­ço, ar­re­do­res da ci­da­de de Mo­çâ­me­des, pro­vín­cia do Na­mi­be.

A ins­ti­tui­ção escolar, per­ten­cen­te ao Ca­mi­nho-de-Fer­ro de Mo­çâ­me­des (CFM), foi er­gui­da no qua­dro do “cum­pri­men­to da es­tra­té­gia de me­lho­ria da si­tu­a­ção so­ci­al dos fun­ci­o­ná­ri­os e su­as fa­mí­li­as”.

António Sa­pa­lo, se­te anos, era um alu­no vi­si­vel­men­te sa­tis­fei­to no ac­to inau­gu­ral. Em no­me das ou­tras as cri­an­ças, dis­se sen­tir-se fe­liz por “nos ser en­tre­gue a nos­sa es­co­la, que irá di­mi­nuir a dis­tân­cia per­cor­ri­da pa­ra ou­tros bair­ros”.

O mi­nis­tro dos Trans­por­tes, Au­gus­to To­más, que pro­ce­deu à inau­gu­ra­ção da es­co­la, fri­sou que a ini­ci­a­ti­va sig­ni­fi­ca “re­par­tir os be­ne­fí­ci­os, ga­nhos com os seus tra­ba­lha­do­res, su­as fa­mí­li­as e as co­mu­ni­da­des on­de es­tão in­se­ri­das”.

Au­gus­to To­más sus­ten­tou que o Mi­nis­té­rio que tu­te­la tem vin­do, um pou­co por to­do o país, a re­par­tir com os tra­ba­lha­do­res ga­nhos no âm­bi­to da res­pon­sa­bi­li­da­de so­ci­al, com in­ves­ti­men­tos na habitação, edu­ca­ção e saú­de.

O mi­nis­tro dos Trans­por­tes inau­gu­rou igual­men­te um pos­to de saú­de e en­tre­gou as chaves de duas re­si­dên­ci­as protocolares, bem co­mo um dor­mi­tó­rio pa­ra fun­ci­o­ná­ri­os do CFM.

O ges­tor do sec­tor dos Trans­por­tes ga­ran­tiu que ou­tras ac­ções vão ser le­va­das a ca­bo, com vis­ta a dar uma mai­or dig­ni­da­de aos fun­ci­o­ná­ri­os e su­as fa­mí­li­as.

Es­co­la de saú­de

A Es­co­la de For­ma­ção de Téc­ni­cos de Saú­de de Ond­ji­va ne­ces­si­ta de 30 no­vos pro­fes­so­res es­pe­ci­a­li­za­dos nas áre­as de en­fer­ma­gem ge­ral, aná­li­ses clí­ni­cas, far­má­cia, fi­si­o­te­ra­pia e es­to­ma­to­lo­gia, dis­se na­que­la ci­da­de a di­rec­to­ra da re­fe­ri­da ins­ti­tui­ção, Ana Di­o­ní­sio. A di­rec­to­ra re­fe­riu que a es­co­la, com 17 sa­las de au­la, fun­ci­o­na ac­tu­al­men­te com 27 pro­fes­so­res e 50 fun­ci­o­ná­ri­os, nú­me­ro in­su­fi­ci­en­te pa­ra as ne­ces­si­da­des. No pre­sen­te ano lec­ti­vo, es­tão ma­tri­cu­la­dos 1.287 alu­nos.

Por ou­tro la­do, o vi­ce-pre­si­den­te do Fó­rum Pro­vin­ci­al de Par­cei­ros na Lu­ta con­tra a Ma­lá­ria, Ce­les­ti­no Mi­guel, pro­me­teu mai­or apoio à po­pu­la­ção com me­di­das pre­ven­ti­vas e de com­ba­te à do­en­ça.

Em de­cla­ra­ções à An­gop, o res­pon­sá­vel dis­se que es­for­ços se­rão em­pre­en­di­dos, em co­la­bo­ra­ção com ou­tros par­cei­ros na lu­ta con­tra a ma­lá­ria, pa­ra es­cla­re­cer as po­pu­la­ções a res­pei­to dos sin­to­mas, transmissão e os mé­to­dos de pre­ven­ção do pa­lu­dis­mo. “Tra­ba­lha­mos com vá­ri­as ins­ti­tui­ções da pro­vín­cia e que­re­mos ain­da mais di­na­mi­zar as ac­ções de mo­bi­li­za­ção, pa­ra que to­dos es­te­jam in­for­ma­dos e pres­tem a sua co­la­bo­ra­ção em cam­pa­nhas de re­co­lha de li­xo, evi­tar águas pa­ra­das e dis­tri­buir pan­fle­tos nas co­mu­ni­da­des”, re­fe­riu.

Ce­les­ti­no Mi­guel enal­te­ceu o “im­por­tan­te tra­ba­lho” que os par­cei­ros têm es­ta­do a de­sen­vol­ver com o ob­jec­ti­vo de con­tri­buí­rem pa­ra a re­du­ção dos ca­sos que se têm ve­ri­fi­ca­do nos úl­ti­mos tem­pos, prin­ci­pal­men­te em mu­lhe­res e cri­an­ças.

JOÃO GOMES

Cen­te­nas de alu­nos do en­si­no pri­má­rio do bair­ro 4 de Mar­ço es­tão sa­tis­fei­tos com a en­tra­da em fun­ci­o­na­men­to de no­vas sa­las de au­la

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.