Gi­gan­te da in­dús­tria cul­tu­ral po­de vol­tar ao dis­co e ao li­vro

Mi­nis­tra ga­ran­te apoio pa­ra ti­rar a em­pre­sa da cri­se em que es­tá mer­gu­lha­da

Jornal de Angola - - PARTADA - MÁRIO COHEN |

A mi­nis­tra da Cul­tu­ra, Ca­ro­li­na Cer­quei­ra, dis­se, on­tem, em Luanda, que a Em­pre­sa Na­ci­o­nal do Dis­co e Pu­bli­ca­ções (Endipu) é um gi­gan­te da in­dús­tria cul­tu­ral ador­me­ci­do que pre­ci­sa de uma in­ter­ven­ção ur­gen­te, pa­ra re­con­quis­tar o seu lu­gar no mer­ca­do na­ci­o­nal.

Fa­lan­do à im­pren­sa no fi­nal de uma vi­si­ta às ins­ta­la­ções da Endipu, a mi­nis­tra da Cul­tu­ra ga­ran­tiu que o seu pe­lou­ro vai aju­dar a em­pre­sa a sair da cri­se que vi­ve há anos, ten­do exor­ta­do a co­mis­são de ges­tão a tra­ba­lhar com in­ves­ti­men­tos pri­va­do, de­vi­do ao uso das no­vos tec­no­lo­gi­as.

Ca­ro­li­na Cer­quei­ra dis­se que os ór­gãos do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra não se po­dem li­mi­tar a vi­ver só do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do, pois co­mo avan­çou “de­vem cri­ar po­lí­ti­cas que pers­pec­ti­vam o fu­tu­ro, as­sim co­mo ter vi­são de atrair investimento pa­ra ar­re­ca­dar fun­dos.”

A Em­pre­sa Na­ci­o­nal do Dis­co e Pu­bli­ca­ções (Endipu), um gi­gan­te das in­dús­tri­as cul­tu­rais no país, dis­se a mi­nis­tra, pro­du­ziu tra­ba­lhos dis­co­grá­fi­cos de gran­des no­mes do pa­no­ra­ma mu­si­cal na­ci­o­nal, com des­ta­que pa­ra as obras “Sem­be­le”, de Ban­gão, “Tio Zé”, de Mo­niz de Al­mei­da, “Avô Kum­bi”, de Nick, “Ma­kum­ba gos­to­sa”, de Toy Ca­ze­vo, “Re­nas­cer”, de Zé do Pau, “Che­gou a ho­ra”, dos Ver­sá­teis, “Ma­lam­ba”, do trio Kus­san­gu­lu­ka, e “Me­mó­ri­as de Luanda”, uma co­lec­tâ­nea de mú­si­ca va­ri­a­da, além de “An­dam­ba avui­di”, do gru­po fol­cló­ri­co Ko­no­no Mo­len­de.

O mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra, dis­se, cri­ou uma co­mis­são de ges­tão que es­tá a tra­ba­lhar num di­ag­nós­ti­co no qual “va­mos pro­cu­rar par­ce­ri­as pú­bli­ca e pri­va­da com ob­jec­ti­vo de­sen­vol­ver as in­dús­tri­as cul­tu­rais no país.”

Pa­ra o co­or­de­na­dor da co­mis­são de ges­tão da Endipu, Manuel Ni­co­lau Di­on­go, es­tá-se ac­tu­al­men­te a de­sen­vol­ver po­lí­ti­cas que aju­dam a re­sol­ver os pro­ble­mas de or­dem fi­nan­cei­ra que a em­pre­sa en­fren­ta no mo­men­to.

Ac­tu­al­men­te, ex­pli­ca, a em­pre­sa so­bre­vi­ve das re­cei­tas ad­qui­ri­das do alu­guer do sa­lão de ac­ti­vi­da­des pa­ra a re­a­li­za­ção de even­tos cul­tu­rais, fes­tas de ani­ver­sá­rio e ca­sa­men­tos, que não ga­ran­tem o pa­ga­men­to dos sa­lá­ri­os dos fun­ci­o­ná­ri­os.

Ca­sa Njin­ga Mban­de

De­pois de vi­si­tar a Endipu, a mi­nis­tra da Cul­tu­ra ter­mi­nou, on­tem, a sua jor­na­da de cam­po com uma vi­si­ta à Ca­sa de Cul­tu­ra Njin­ga Mban­de, no dis­tri­to ur­ba­no do Ran­gel, na qual apro­vei­tou a oca­sião pa­ra ofe­re­cer àque­la ins­ti­tui­ção obras li­te­rá­ri­as de au­to­res na­ci­o­nais, pa­ra en­ri­que­cer o acer­vo da bi­bli­o­te­ca Manuel Pe­dro Pa­ca­vi­ra.

Ca­ro­li­na Cer­quei­ra fi­cou im­pres­si­o­na­da com a de­cla­ma­ção do po­e­ma de Agos­ti­nho Ne­to “Ha­ve­mos de vol­tar”, em lín­gua quim­bun­do, por alu­nos de vá­ri­as es­co­las do dis­tri­to ur­ba­no do Ran­gel.

Pa­ra mi­nis­tra, foi uma hon­ra ter vi­si­ta­do a Ca­sa de Cul­tu­ra Njin­ga Mban­de, as­sim co­mo ver cri­an­ças a de­cla­ma­rem po­e­mas do Po­e­ta Mai­or. “Is­to dá a en­ten­der que os alu­nos têm co­nhe­ci­men­to das obras do Fun­da­dor da Na­ção. Es­pe­ro que des­ta ca­sa sai­am mui­tas rai­nhas, por­que es­te edi­fí­cio re­ce­be o no­me de uma gran­de fi­gu­ra, a Rai­nha Njin­ga Mban­de”.

PAULINO DAMIÃO

Ca­ro­li­na Cer­quei­ra quer vol­tar a dar di­na­mis­mo à Em­pre­sa Na­ci­o­nal dos Dis­cos e Pu­bli­ca­ções pa­ra con­quis­tar o mer­ca­do na­ci­o­nal

PAULINO DAMIÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.