Di­men­são de Ne­to ul­tra­pas­sa fron­tei­ras

Ho­je é o Dia do He­rói Na­ci­o­nal. A efe­mé­ri­de é ce­le­bra­da pe­la da­ta na­ta­lí­cia do pri­mei­ro Pre­si­den­te, António Agos­ti­nho Ne­to, nas­ci­do a 17 de Se­tem­bro de 1922, em Ka­xi­ca­ne, e fa­le­ci­do a 10 de Se­tem­bro de 1979 em Mos­co­vo. Vá­ri­as ac­ti­vi­da­des es­tão a ser de­sen

Jornal de Angola - - PORTADA -

O Bu­re­au Po­lí­ti­co do Co­mi­té Cen­tral do MPLA ren­deu on­tem uma "pro­fun­da ho­me­na­gem" a to­dos os pro­ta­go­nis­tas da lu­ta de li­ber­ta­ção na­ci­o­nal, da paz e do de­sen­vol­vi­men­to do país, em es­pe­ci­al ao Pre­si­den­te António Agos­ti­nho Ne­to.

Num co­mu­ni­ca­do emi­ti­do por oca­sião do Dia do Fun­da­dor da Na­ção e do He­rói Na­ci­o­nal, que ho­je se as­si­na­la, o ór­gão de cú­pu­la do par­ti­do no po­der con­si­de­ra Agos­ti­nho Ne­to o "mai­or He­rói da Lu­ta de Li­ber­ta­ção Na­ci­o­nal", que sou­be liderar com mui­ta pers­pi­cá­cia e que dei­xou co­mo le­ga­do a In­de­pen­dên­cia do país do ju­go co­lo­ni­al por­tu­guês.

Agos­ti­nho Ne­to, acres­cen­ta, pro­jec­tou a re­vo­lu­ção an­go­la­na na lu­ta vi­to­ri­o­sa da hu­ma­ni­da­de in­tei­ra. "Ele é, as­sim, o sím­bo­lo de uma lu­ta, que, ul­tra­pas­san­do fron­tei­ras, o co­lo­cou no pa­ta­mar dos mais pres­ti­gi­a­dos lí­de­res afri­ca­nos da se­gun­da me­ta­de do sé­cu­lo XX", lê-se no do­cu­men­to.

O Bu­re­au Po­lí­ti­co do MPLA con­si­de­ra que, vol­vi­dos 37 anos do de­sa­pa­re­ci­men­to fí­si­co de Agos­ti­nho Ne­to, os seus en­si­na­men­tos con­ti­nu­am vi­vos, "na edi­fi­ca­ção de uma ver­da­dei­ra pá­tria de tra­ba­lha­do­res, on­de, tam­bém atra­vés de­les, An­go­la es­tá a di­ver­si­fi­car a sua eco­no­mia, pro­mo­ven­do o au­men­to da pro­du­ção na­ci­o­nal, pa­ra di­mi­nuir as im­por­ta­ções, au­men­tar os ní­veis de em­pre­go e o ren­di­men­to das fa­mí­li­as."

No co­mu­ni­ca­do, o MPLA ci­ta o ac­tu­al Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, pa­ra quem os an­go­la­nos de­vem tra­ba­lhar pa­ra fa­zer pros­pe­rar a Na­ção. “Os ór­gãos da ad­mi­nis­tra­ção cen­tral e lo­cal de­vem li­dar com os de­sa­fi­os do pre­sen­te, com os olhos pos­tos no fu­tu­ro e cri­ar me­ca­nis­mos pa­ra dar aos ci­da­dãos as fer­ra­men­tas que per­mi­tam a sua par­ti­ci­pa­ção nos des­ti­nos da sua co­mu­ni­da­de, num mo­de­lo de ges­tão au­tár­qui­ca fu­tu­ra, on­de não se­jam me­ros des­ti­na­tá­ri­os dos ser­vi­ços pú­bli­cos, mas, sim, os seus ver­da­dei­ros agen­tes.”

Nes­ta pers­pec­ti­va, o Bu­re­au Po­lí­ti­co do Co­mi­té Cen­tral do MPLA en­co­ra­ja os mi­li­tan­tes, sim­pa­ti­zan­tes e ami­gos do par­ti­do e to­do o po­vo an­go­la­no a re­for­ça­rem o seu en­ga­ja­men­to nas ta­re­fas co­lec­ti­vas, no sen­ti­do de iden­ti­fi­ca­ção dos pro­ble­mas e das so­lu­ções pa­ra os ac­tu­ais de­sa­fi­os, no qua­dro de uma de­mo­cra­cia par­ti­ci­pa­ti­va.

"Con­vic­to de que o mais im­por­tan­te é re­sol­ver os pro­ble­mas do po­vo, o Bu­re­au Po­lí­ti­co do Co­mi­té Cen­tral do MPLA en­co­ra­ja o Exe­cu­ti­vo a pros­se­guir e a re­do­brar as ac­ções, vi­san­do atin­gir tal de­si­de­ra­to, com o en­vol­vi­men­to de to­dos os an­go­la­nos, pois, só uni­dos va­mos cons­truir uma An­go­la me­lhor", con­clui o co­mu­ni­ca­do.

ARQUIVO EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Agos­ti­nho Ne­to de­di­cou a sua vi­da à li­ber­ta­ção de An­go­la e de Áfri­ca da do­mi­na­ção co­lo­ni­al e da ex­plo­ra­ção in­jus­ta do ho­mem pe­lo ho­mem

Pre­si­den­te Agos­ti­nho Ne­to du­ran­te um co­mí­cio

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.