Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go che­ga a acor­do pa­ra elei­ções ge­rais

Governo in­te­ri­no vai ser for­ma­do com mem­bros da opo­si­ção pa­ra pre­pa­rar vo­ta­ção

Jornal de Angola - - PORTADA - ELEAZAR VAN-DÚNEM |

O anún­cio do mi­nis­tro con­go­lês da Jus­ti­ça, Ale­xis Thambwe Mwam­ba, se­gun­do o qual os ne­go­ci­a­do­res do “Diá­lo­go Na­ci­o­nal” che­ga­ram a acor­do pa­ra que as elei­ções pre­si­den­ci­ais, le­gis­la­ti­vas e pro­vin­ci­ais na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC) se­jam re­a­li­za­das em si­mul­tâ­neo e pa­ra cri­ar um Governo in­te­ri­no com mem­bros da opo­si­ção des­ti­na­do a “en­con­trar uma so­lu­ção pa­ra as elei­ções” de­mons­tra que as ne­go­ci­a­ções ini­ci­a­das pe­lo Pre­si­den­te Jo­seph Ka­bi­la, sob pro­pos­ta da União Afri­ca­na, es­tão a co­me­çar a dar fru­tos.

O acor­do en­tre os ne­go­ci­a­do­res do “Diá­lo­go Na­ci­o­nal”, fó­rum cri­a­do pe­lo Pre­si­den­te con­go­lês, Jo­seph Ka­bi­la, no qual re­pre­sen­tan­tes do Governo, da opo­si­ção e da so­ci­e­da­de ci­vil ne­go­cei­am des­de o iní­cio do mês um ca­len­dá­rio pa­ra as elei­ções pre­si­den­ci­ais, le­gis­la­ti­vas e lo­cais, re­sul­ta da no­va pos­tu­ra de Kinsha­sa, mais di­a­lo­gan­te e vol­ta­da pa­ra o apa­zi­gua­men­to com as ou­tras for­ças da so­ci­e­da­de con­go­le­sa.

Ali­a­da à no­va pos­tu­ra pa­ra de­sa­nu­vi­ar a ten­são no país, agra­va­da após a co­mis­são elei­to­ral ad­mi­tir adi­ar a vo­ta­ção e o Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal de­ter­mi­nar que o Pre­si­den­te ces­san­te po­de con­ti­nu­ar a go­ver­nar com o adi­a­men­to, ana­lis­tas re­fe­rem que o Governo con­go­lês de­ve afas­tar de­fi­ni­ti­va­men­te os ru­mo­res da ale­ga­da pre­ten­são de Jo­seph Ka­bi­la al­te­rar a Cons­ti­tui­ção pa­ra con­cor­rer a um ter­cei­ro man­da­to. Ago­ra que es­tá de­fi­ni­do que as elei­ções pre­si­den­ci­ais, le­gis­la­ti­vas e pro­vin­ci­ais são re­a­li­za­das em si­mul­tâ­neo, os par­ti­ci­pan­tes do “Diá­lo­go Na­ci­o­nal” de­vem anun­ci­ar uma no­va da­ta pa­ra o es­cru­tí­nio, sem a pos­si­bi­li­da­de de ser adi­a­da.

De­sa­fi­os lo­gís­ti­cos

Nos ter­mos da Cons­ti­tui­ção con­go­le­sa, a elei­ção pre­si­den­ci­al ti­nha de acon­te­cer até 19 de De­zem­bro, pe­lo me­nos 90 di­as an­tes do ter­mo do se­gun­do e úl­ti­mo man­da­to do Pre­si­den­te ces­san­te, Jo­seph Ka­bi­la, que não po­de vol­tar a con­cor­rer por im­pe­ra­ti­vos cons­ti­tu­ci­o­nais.

Mas as elei­ções ge­rais fo­ram adi­a­das “si­ne die” por, se­gun­do a CENI, se­rem ne­ces­sá­ri­os pe­lo me­nos 16 me­ses pa­ra que o re­cen­se­a­men­to de to­dos os elei­to­res es­te­ja con­cluí­do. A CENI in­for­mou que ain­da es­tá a re­ver o re­gis­to dos elei­to­res e a ac­tu­a­li­zar da­dos. “Num país ex­ten­so e com in­fra-es­tru­tu­ras pre­cá­ri­as, is­so sig­ni­fi­ca mui­to tem­po nas des­lo­ca­ções a to­das as par­tes do país. Até ago­ra, co­me­çou ape­nas o re­gis­to dos elei­to­res na pro­vín­cia do Uban­gi Nor­te. Es­ta­mos à es­pe­ra do in­ven­tá­rio da Co­mis­são Elei­to­ral, pa­ra que, pe­lo me­nos, te­nha­mos uma ava­li­a­ção cla­ra da si­tu­a­ção nas ou­tras pro­vín­ci­as”, in­for­mou An­dré Ki­om­ba, o vi­ce-Pre­si­den­te da Co­mis­são Afri­ca­na In­de­pen­den­te de Ob­ser­va­ção Elei­to­ral (CA­SE).

A opo­si­ção acu­sa o Governo con­go­lês de “não fa­zer o ne­ces­sá­rio pa­ra ga­ran­tir que a Cons­ti­tui­ção se­ja cum­pri­da” e acu­sa o ac­tu­al Che­fe de Es­ta­do, Jo­seph Ka­bi­la, de pre­ten­der per­ma­ne­cer no po­der e dis­pu­tar um ter­cei­ro man­da­to, ape­sar do li­mi­te cons­ti­tu­ci­o­nal de dois.

Acor­do es­te­ve em ris­co

A ca­deia de te­le­vi­são pú­bli­ca do Rei­no Uni­do, BBC, no­ti­ci­ou na noi­te de quin­ta-fei­ra que o mi­nis­tro con­go­lês da Jus­ti­ça anun­ci­ou que os ne­go­ci­a­do­res do “Diá­lo­go Na­ci­o­nal” che­ga­ram a acor­do pa­ra que as elei­ções pre­si­den­ci­ais, le­gis­la­ti­vas e pro­vin­ci­ais se­jam re­a­li­za­das em si­mul­tâ­neo e pa­ra cri­ar um governo in­te­ri­no com mem­bros da opo­si­ção pa­ra pre­pa­rar o pro­ces­so elei­to­ral.

O acor­do acon­te­ce de­pois de uma par­te da opo­si­ção que par­ti­ci­pa nas ne­go­ci­a­ções ter aban­do­na­do na se­gun­da-fei­ra as ne­go­ci­a­ções, por con­si­de­ra­rem, na al­tu­ra, que es­tas ca­mi­nha­vam pa­ra “um be­co sem saí­da”.

O pac­to es­te­ve ame­a­ça­do por­que a “Mai­o­ria Pre­si­den­ci­al”, que apoia Jo­seph Ka­bi­la, de­fen­dia que se re­a­li­zas­sem pri­mei­ro as elei­ções le­gis­la­ti­vas e pre­si­den­ci­ais e só de­pois as pre­si­den­ci­ais, ao passo que a Co­mis­são Elei­to­ral Na­ci­o­nal In­de­pen­den­te (CENI) de­fen­dia a re­a­li­za­ção das elei­ções pre­si­den­ci­ais an­tes dos de­mais es­cru­tí­ni­os.

O “Diá­lo­go Na­ci­o­nal” foi pro­mo­vi­do pe­la União Afri­ca­na com o ob­jec­ti­vo de evi­tar uma cri­se po­lí­ti­ca no fim do man­da­to do Che­fe de Es­ta­do, no fi­nal do ano.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go vi­ve um pe­río­do de ten­são de­vi­do ao adi­a­men­to das elei­ções pre­si­den­ci­ais pre­vis­tas pa­ra No­vem­bro

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.