Um ano sem tré­guas

Jornal de Angola - - OPINIÃO -

O ex-Pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va foi de­nun­ci­a­do na quar­ta­fei­ra pe­lo Ministério Pú­bli­co Fe­de­ral do Bra­sil co­mo o “co­man­dan­te má­xi­mo” da re­de de cor­rup­ção que en­vol­veu a Pe­tro­bras e ou­tras em­pre­sas es­ta­tais, um ac­to no­vo no ano di­fí­cil que o an­ti­go ope­rá­rio que com­ba­teu a fo­me e a po­bre­za no país en­fren­ta.

Os prin­ci­pais acon­te­ci­men­tos des­te ano, en­vol­ven­do o ex-Pre­si­den­te e lí­der his­tó­ri­co do Par­ti­do dos Tra­ba­lha­do­res (PT), e que es­tão a trans­for­mar a po­lí­ti­ca no Bra­sil, fo­ram os se­guin­tes:

4 de Mar­ço de 2016

– Lu­la é le­va­do do seu apar­ta­men­to em São Ber­nar­do do Cam­po pe­la Po­lí­cia Fe­de­ral pa­ra pres­tar de­poi­men­to, nu­ma de­pen­dên­cia do Ae­ro­por­to de Con­go­nhas, por de­ter­mi­na­ção do juiz Sér­gio Mo­ro. A ope­ra­ção ocor­reu um dia após o en­tão se­na­dor Del­cí­dio do Ama­ral re­ve­lar que o ex-Pre­si­den­te ha­via agi­do pa­ra evi­tar a de­la­ção pre­mi­a­da de Nes­tor Cer­ve­ró, ex-di­rec­tor da Pe­tro­bras. Lu­la, 70 anos, ne­ga as acu­sa­ções e pe­de aos seus apoi­an­tes que ocu­pem as ru­as.

10 de Mar­ço

– O Ministério Pú­bli­co de São Pau­lo de­nun­cia Lu­la por ocul­ta­ção de pa­tri­mó­nio no ca­so de um apar­ta­men­to trí­plex no Gu­a­ru­já, al­go que o ex-Pre­si­den­te ne­ga ca­te­go­ri­ca­men­te. Os pro­cu­ra­do­res con­si­de­ram que Lu­la “vi­o­lou a or­dem pú­bli­ca” ao ape­lar aos seus se­gui­do­res pa­ra saí­rem à rua contra uma “per­se­gui­ção ju­di­ci­al”.

14 de Mar­ço

– Uma juí­za de São Pau­lo, que de­ve­ria pro­nun­ci­ar-se so­bre um pe­di­do de pri­são pre­ven­ti­va contra Lu­la por su­pos­ta la­va­gem de di­nhei­ro, trans­fe­re o ca­so pa­ra o juiz Sér­gio Mo­ro, res­pon­sá­vel pe­la “Ope­ra­ção La­va Jac­to”, so­bre a re­de de cor­rup­ção na Pe­tro­bras.

15 de Mar­ço

– A jus­ti­ça di­vul­ga um de­poi­men­to de Del­cí­dio do Ama­ral, no qual o se­na­dor acu­sa o en­tão mi­nis­tro da Edu­ca­ção, Aloí­zio Mer­ca­dan­te, de ter ten­ta­do comprar o seu si­lên­cio pa­ra pro­te­ger o governo da Pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff. O se­na­dor for­mu­la tam­bém acu­sa­ções contra Lu­la, o ain­da vi­ce-pre­si­den­te Mi­chel Te­mer (PMDB-SP) e o lí­der da opo­si­ção Aé­cio Ne­ves (PSDB-MG).

16 de Mar­ço

– Lu­la é no­me­a­do che­fe da Ca­sa Ci­vil por Dil­ma, car­go que o li­vra da ame­a­ça de ser de­ti­do pe­lo juiz Sér­gio Mo­ro, de pri­mei­ra ins­tân­cia, já que os mi­nis­tros de Es­ta­do es­tão sob a al­ça­da do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF). Pou­co de­pois, o juiz Mo­ro di­vul­ga a gra­va­ção de uma con­ver­sa por te­le­fo­ne en­tre Lu­la e Dil­ma so­bre o en­vio do do­cu­men­to da no­me­a­ção pa­ra ser uti­li­za­do em ca­so de ne­ces­si­da­de.

17 de Mar­ço

– Lu­la to­ma pos­se co­mo mi­nis­tro, mas o juiz do Su­pre­mo Tri­bu­nal Gil­mar Men­des sus­pen­de a no­me­a­ção. O governo re­cor­re e Dil­ma de­nun­cia uma ma­no­bra de “gol­pis­tas”.

28 de Mar­ço

– Lu­la diz a cor­res­pon­den­tes es­tran­gei­ros em São Pau­lo que o juiz Mo­ro “é uma fi­gu­ra in­te­li­gen­te, com­pe­ten­te, mas, co­mo ser hu­ma­no, te­mo que a mos­ca do po­der te­nha ti­do efei­to ne­le”.

31 de Mar­ço

– O Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral as­su­me pro­vi­so­ri­a­men­te as in­ves­ti­ga­ções so­bre Lu­la, im­pon­do a pri­mei­ra der­ro­ta ao juiz Mo­ro.

7 de Abril

– O Pro­cu­ra­dor-Ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ro­dri­go Ja­not, re­co­men­da a anu­la­ção da no­me­a­ção de Lu­la co­mo mi­nis­tro, com ba­se na te­se de que se tra­ta de uma ma­no­bra pa­ra es­ca­par à Jus­ti­ça.

20 de Abril

– O ple­ná­rio do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral de­ci­de adi­ar a de­ci­são so­bre a no­me­a­ção de Lu­la, sem fi­xar uma no­va da­ta pa­ra o ca­so.

12 de Maio

– A Pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff, que de­nun­cia um “gol­pe de Es­ta­do” ins­ti­tu­ci­o­nal, é sus­pen­sa das su­as fun­ções pe­lo Se­na­do, e o governo pas­sa a ser di­ri­gi­do pe­lo vi­ce-pre­si­den­te, Mi­chel Te­mer.

26 de Agos­to

– A Po­lí­cia Fe­de­ral acu­sa Lu­la de be­ne­fi­ci­ar de su­bor­nos de em­pre­sas li­ga­das à Pe­tro­bras e en­via o expediente à Pro­cu­ra­do­ria.

31 de Agos­to

– O Se­na­do apro­va o “im­pe­a­ch­ment” de Dil­ma.

14 de Se­tem­bro

– O Ministério Pú­bli­co Fe­de­ral acu­sa Lu­la de ser o “co­man­dan­te má­xi­mo do es­que­ma de cor­rup­ção” li­ga­do à Pe­tro­bras.

REU­TERS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.