Exér­ci­to in­ten­si­fi­ca ope­ra­ções mi­li­ta­res

Ter­ro­ris­tas fo­ram mor­tos no nor­des­te da Ni­gé­ria nu­ma gran­de ofen­si­va

Jornal de Angola - - MUNDO -

Pe­lo me­nos qua­tro mem­bros do Bo­ko Ha­ram, que re­a­li­za­vam ata­ques es­po­rá­di­cos con­tra ci­vis no es­ta­do de Yo­be, Nor­des­te da Ni­gé­ria, fo­ram mor­tos pe­las For­ças Ar­ma­das.

Se­gun­do o por­ta-voz do Exér­ci­to ni­ge­ri­a­no, o co­ro­nel Sa­ni Ku­kashe­ka Us­man, a ope­ra­ção per­mi­tiu às for­ças re­cu­pe­rar vá­ri­as ar­mas e mu­ni­ções na pos­se dos ter­ro­ris­tas.

A ofen­si­va se­guiu-se à ob­ser­va­ção de ac­ti­vi­da­des ter­ro­ris­tas nas pro­xi­mi­da­des das al­dei­as de Jo­ro­ro e de Tom­ba­e­ji, on­de as tro­pas ni­ge­ri­a­nas lan­ça­ram uma ope­ra­ção de lim­pe­za na ma­dru­ga­da de 14 de Se­tem­bro de 2016.

Uma equi­pa de pa­tru­lha sur­pre­en­deu os ter­ro­ris­tas nos ar­re­do­res da al­deia de Ga­ji­re, ten­do mor­to, du­ran­te um confronto ar­ma­do, os qua­tro ter­ro­ris­tas.

No­vo ví­deo

O Bo­ko Ha­ram pu­bli­cou um no­vo ví­deo na quar­ta-fei­ra, sem a pre­sen­ça do seu co­man­dan­te Abu­ba­kar She­ka­ku, dan­do cré­di­to ao Exér­ci­to ni­ge­ri­a­no de que ele foi gra­ve­men­te fe­ri­do du­ran­te um bom­bar­de­a­men­to.

A gra­va­ção de 13 mi­nu­tos, co­lo­ca­da no Youtu­be, mos­tra um che­fe re­li­gi­o­so que di­ri­ge ora­ções pe­ran­te cen­te­nas de al­deãos ma­gros, in­cluin­do cri­an­ças, apre­sen­ta­dos co­mo apoi­an­tes dos ter­ro­ris­tas is­lâ­mi­cos.

Um su­pos­to co­man­dan­te, com um sa­bre nas mãos e cer­ca­do por ho­mens ar­ma­dos, con­du­ziu a mul­ti­dão, afir­man­do que ele re­pre­sen­ta a fac­ção de Abu­ba­kar She­ka­ku, mar­gi­na­li­za­da no iní­cio de Agos­to pe­lo “Es­ta­do Is­lâ­mi­co”, ao qu­al o Bo­ko Ha­ram ti­nha ju­ra­do fi­de­li­da­de em Mar­ço de 2015.

“Meus ir­mãos, ho­je nós ce­le­bra­mos [a fes­ta re­li­gi­o­sa] no ca­li­fa­do is­lâ­mi­co sob o con­tro­lo de Abu­ba­kar She­ka­ku, que Alá o pro­te­ge”, dis­se o su­pos­to co­man­dan­te nu­ma mos­qui­ta.

O Exér­ci­to ni­ge­ri­a­no anun­ci­ou a 23 de Agos­to que Abu­ba­kar She­ka­ku foi aba­ti­do, an­tes de re­con­si­de­rar, e as­se­gu­rou que foi fe­ri­do gra­ve­men­te no om­bro di­rei­to por um ata­que aé­reo que ma­tou vá­ri­os co­man­dan­tes do Bo­ko Ha­ram. O ho­mem que apa­re­ce no ví­deo vi­sou di­rec­ta­men­te o Go­ver­no de Muham­ma­du Buha­ri, pro­me­ten­do que o mo­vi­men­to ter­ro­ris­ta nun­ca se vai ren­der, ape­sar das ope­ra­ções mi­li­ta­res em cur­so no nor­des­te do país. “Nem ren­di­ção, nem ca­pi­tu­la­ção”, afir­mou.

O gru­po “Es­ta­do Is­lâ­mi­co” no­me­ou Abu Mo­sab Al Bar­na­oui, fi­lho do fun­da­dor do mo­vi­men­to Moham­med Yu­suf, co­mo no­vo co­man­dan­te do Bo­ko Ha­ram.

Não há provas de que o ví­deo foi fil­ma­do na flo­res­ta Sam­bi­sa, a zo­na recôn­di­ta da fac­ção de Abu­ba­kar She­ka­ku, na fron­tei­ra en­tre a Ni­gé­ria e os Ca­ma­rões.

Cri­a­do em 2009, o Bo­ko Ha­ram cau­sou 20 mil mor­tos e 2,6 mi­lhões de des­lo­ca­dos e vá­ri­os mi­lha­res de pes­so­as fo­ram se­ques­tra­das pe­lo gru­po. A si­tu­a­ção hu­ma­ni­tá­ria no es­ta­do de Bor­no é ca­tas­tró­fi­ca, on­de mais de 50 mil cri­an­ças es­tão em ris­co de mor­rer de fo­me até ao fi­nal do ano, se­gun­do da­dos pu­bli­ca­dos pe­la UNICEF.

AFP

Bo­ko Ha­ram exi­be no­vo ví­deo sem a pre­sen­ça do che­fe do gru­po que po­de es­tar fe­ri­do em es­ta­do gra­ve após um ata­que das For­ças Ar­ma­das

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.