Ho­rós­co­po

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

Carneiro

O seu char­me e o po­der de se­du­ção são pos­tos à pro­va, po­rém pres­te aten­ção a to­das as si­tu­a­ções de du­a­li­da­de, pois po­dem ori­gi­nar al­guns con­fli­tos. Se es­tá de co­ra­ção dis­po­ní­vel po­de ini­ci­ar uma no­va re­la­ção, em­bo­ra sem fu­tu­ro.

Tou­ro

De­ve con­vi­ver o mais pos­sí­vel e ver al­guns ami­gos que já não vê há al­gum tem­po. Po­dem sur­gir des­ses con­ví­vi­os al­guns en­con­tros fu­ga­zes, apai­xo­nan­tes mas me­ra­men­te fí­si­cos. Não con­fun­da for­tes as atrac­ções fí­si­cas com sen­ti­men­tos.

Gémeos

A si­tu­a­ção fi­nan­cei­ra per­mi­te com­par­ti­lhar al­guns bons mo­men­tos com os ami­gos mais che­ga­dos. O en­tu­si­as­mo rei­na no seu quo­ti­di­a­no, a sua men­te es­tá vol­ta­da pa­ra o fu­tu­ro de for­ma mui­to aber­ta e po­si­ti­va. Os no­vos en­con­tros po­dem tra­zer al­guém que re­vo­lu­ci­o­na o seu dia-adia con­fe­rin­do uma no­va cor e ale­gria.

Ca­ran­gue­jo

Tem al­gu­ma ten­dên­cia pa­ra se en­vai­de­cer tan­to da sua pes­soa, dos seus per­ten­ces ou até mes­mo da pes­soa que par­ti­lha os seus di­as. Lem­bre que há Fim-de-Se­ma­na Não se­ja tão exi­gen­te con­si­go pró­prio nem com os que o ro­dei­am. Abra a sua men­te e pro­cu­re as ra­zões pe­las quais o seu par­cei­ro re­a­ge de for­ma di­fe­ren­te. Se fi­zer es­te exer­cí­cio sim­ples, po­de con­tar com um re­la­ci­o­na­men­to mais fir­me e tran­qui­lo.

Sa­gi­tá­rio

Abra o seu co­ra­ção, não te­nha re­ceio de amar. Ex­pres­se os seus sen­ti­men­tos e não dê mar­gem pa­ra dú­vi­das nem ou­vi­dos a ter­cei­ros mal in­ten­ci­o­na­dos. Se es­tá a aguar­dar o iní­cio de uma no­va re­la­ção, se­ja pa­ci­en­te e aguar­de me­lho­res di­as.

Ca­pri­cór­nio

Não dê ou­vi­dos às bo­cas do mun­do. As más­lín­guas por ve­zes jo­gam por ter­ra sen­ti­men­tos e re­la­ci­o­na­men­tos per­fei­tos. Se es­tá a ini­ci­ar uma re­la­ção o me­lhor é con­fi­ar na sua in­tui­ção. O tem­po di­ta que as su­as op­ções fo­ram as mais cor­rec­tas.

Aquá­rio

Sen­tir-se-á um pou­co des­gas­ta­do e sem gran­de ca­pa­ci­da­de de com­pre­en­são e to­le­rân­cia pa­ra com o ser ama­do. De­ve di­zer aqui­lo que sen­te no seu ín­ti­mo, ul­tra­pas­sar dú­vi­das e fa­zer as su­as op­ções.

Pei­xes

A cal­ma não abun­da e po­de re­flec­tir-se na sua vi­da amo­ro­sa. Ana­li­se os sen­ti­men­tos que nu­tre pe­lo seu par­cei­ro, se­ja ho­nes­to con­si­go pró­prio e de­fi­na aqui­lo que quer pa­ra a sua re­la­ção. Não in­sis­ta na­qui­lo que o in­co­mo­da.

JAIMAGENS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.