De­pu­ta­do ale­mão aju­da re­fu­gi­a­do

Jornal de Angola - - DESPORTO -

Di­e­ter Dehm, de 56 anos, é um po­lí­ti­co do Par­la­men­to ale­mão que, no fi­nal do mês de Agos­to, aju­dou um re­fu­gi­a­do ile­gal afri­ca­no a vi­a­jar de Itá­lia pa­ra a Ale­ma­nha. O trans­por­te do mi­gran­te foi fei­to na ba­ga­gei­ra do seu car­ro.

En­quan­to es­ta­va de fé­ri­as em La­go Mayor, Itá­lia, um ami­go per­gun­tou a Dehm se po­dia aju­dar um re­fu­gi­a­do, com me­nos de 20 anos e vin­do de um país em gu­er­ra. A mãe de­le ti­nha mor­ri­do e o pai es­ta­va na Ale­ma­nha. O ob­jec­ti­vo era ir ter com ele. O po­lí­ti­co não re­sis­tiu em aju­dar o jo­vem que, en­tre­tan­to, já es­tá reu­ni­do com o pai num lo­cal des­co­nhe­ci­do, den­tro da Ale­ma­nha.

“Tam­bém te­nho fi­lhos e nem con­si­go ima­gi­nar o quão do­lo­ro­so se­ria o meu fi­lho não po­der vir ver­me de­pois de per­der a mãe”, ex­pli­cou Dehm ao jor­nal “El Es­pañol”.

Se­gun­do o ale­mão, quan­do co­nhe­ceu o ra­paz es­te não dor­mia há mui­to tem­po. O can­sa­ço era tal que quan­do o le­vou pa­ra ca­sa ele dor­miu 20 ho­ras se­gui­das. De­pois de Di­e­ter Dehm dis­se que sen­tiu a ne­ces­si­da­de de jun­tar o fi­lho ór­fão de mãe ao pai uns di­as a cui­dar do jo­vem, o de­pu­ta­do de­ci­diu que es­ta­va na al­tu­ra de le­vá-lo pa­ra ir ter com o pai.

O jo­vem foi co­lo­ca­do na ma­la do car­ro e am­bos se­gui­ram em di­rec­ção à Ale­ma­nha.

A vi­a­gem “ile­gal” do po­lí­ti­co fi­cou co­nhe­ci­da de­vi­do às re­des so­ci­ais. “Um dos que es­ta­vam a aju­dar o re­fu­gi­a­do co­lo­cou um agra­de­ci­men­to no meu Fa­ce­bo­ok. O meu as­sis­ten­te que se ocu­pa da pá­gi­na — por­que eu não en­ten­do na­da dis­so — apa­gou-o de ime­di­a­to”, mas, no en­tan­to, um jor­na­lis­ta viu a pu­bli­ca­ção e fez uma cap­tu­ra de ecrã em que é pos­sí­vel ver o jo­vem com as per­nas de fo­ra da ba­ga­gei­ra do car­ro.

Em en­tre­vis­ta ao “El Es­pañol”, Dehm ex­pli­cou que não é um ac­ti­vis­ta e que o que fez foi um ac­to es­pon­tâ­neo de aju­da hu­ma­ni­tá­ria.

O trans­por­te ile­gal de pes­so­as pa­ra a Ale­ma­nha é ile­gal e pu­ni­do com uma mul­ta em di­nhei­ro. Mas, se­gun­do Dehm, já vá­ri­as pes­so­as fo­ram ter com ele pa­ra o fe­li­ci­tar pe­la sua co­ra­gem e ação.

O po­lí­ti­co é mui­to crí­ti­co à po­lí­ti­ca de aco­lhi­men­to do seu país: “A po­lí­ti­ca de re­fu­gi­a­dos do go­ver­no ale­mão é hi­pó­cri­ta. Por um la­do ten­ta ser hu­ma­na, por­que não co­lo­ca li­mi­tes à re­cep­ção de re­fu­gi­a­dos, mas por ou­tro sa­be que há li­mi­tes na ca­pa­ci­da­de de re­ce­ber” es­sas pes­so­as. O po­lí­ti­co re­fe­ria-se às ha­bi­ta­ções e às aju­das so­ci­ais.

DR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.