A ame­a­ça ter­ro­ris­ta na cor­ri­da à Casa Bran­ca

Jornal de Angola - - OPINIÃO - IVAN COURONNE |

O can­di­da­to re­pu­bli­ca­no à pre­si­dên­cia dos Estados Uni­dos, Do­nald Trump, apos­ta­va on­tem no me­do e na fir­me­za após o aten­ta­do em Ma­nhat­tan e a des­co­ber­ta no Es­ta­do vi­zi­nho de No­va Jer­sey de vá­ri­as bom­bas, en­quan­to Hil­lary Clin­ton pre­fe­ria in­sis­tir na sua ex­pe­ri­ên­cia pa­ra en­fren­tar o ter­ro­ris­mo.

A ame­a­ça ter­ro­ris­ta en­trou de for­ma es­tron­do­sa na cam­pa­nha da elei­ção pre­si­den­ci­al nor­te-ame­ri­ca­na, a 49 di­as da vo­ta­ção: um ar­te­fac­to ex­plo­si­vo pro­vo­cou 29 fe­ri­dos em Ma­nhat­tan (No­va Ior­que) na noi­te de sá­ba­do e ou­tro não ex­plo­diu. Em No­va Jer­sey fo­ram en­con­tra­das mais de meia dú­zia de bom­bas, en­tre elas uma que ex­plo­diu par­ci­al­men­te, mas que não fez ví­ti­mas.

O FBI de­te­ve um ci­da­dão ame­ri­ca­no nas­ci­do no Afe­ga­nis­tão em li­ga­ção com es­tes ata­ques. O ho­mem, iden­ti­fi­ca­do co­mo Ah­mad Khan Raha­mi, foi fe­ri­do du­ran­te a pri­são. Além dis­so, ou­tro ho­mem ar­ma­do com uma fa­ca fe­riu no sá­ba­do no­ve pes­so­as num cen­tro co­mer­ci­al de Min­ne­so­ta (nor­te), um ata­que rei­vin­di­ca­do pe­lo gru­po ex­tre­mis­ta Es­ta­do Is­lâ­mi­co (EI).

“Va­mos ter que ser mui­to du­ros”, re­a­giu Do­nald Trump no ca­nal Fox News na ma­nhã de on­tem. “Fo­mos fra­cos, o nos­so país foi fra­co. Dei­xá­mos de­ze­nas de mi­lha­res de pes­so­as en­trar.” O can­di­da­to re­pu­bli­ca­no fez do me­do da in­se­gu­ran­ça um pon­to for­te da sua cam­pa­nha elei­to­ral, jun­ta­men­te com o te­ma da imi­gra­ção clan­des­ti­na.

Os elei­to­res es­tão mui­to di­vi­di­dos so­bre qual dos dois can­di­da­tos se­rá o mais efi­caz em fa­ce de uma ame­a­ça ter­ro­ris­ta. Se­gun­do uma son­da­gem do ca­nal Fox News pu­bli­ca­da an­tes do fim de se­ma­na, 46 por cen­to dos elei­to­res con­fi­am mais em Hil­lary Clin­ton em ma­té­ria de ter­ro­ris­mo e se­gu­ran­ça na­ci­o­nal, con­tra os 45 por cen­to que pre­fe­rem Do­nald Trump.

Há me­ses, e so­bre­tu­do de­pois de um aten­ta­do con­tra uma dis­co­te­ca ho­mos­se­xu­al em Ju­nho em Or­lan­do, Do­nald Trump apre­sen­ta-se co­mo o ho­mem que vai pôr or­dem e pro­cu­ra im­pu­tar a res­pon­sa­bi­li­da­de da as­cen­são do gru­po Es­ta­do Is­lâ­mi­co à ges­tão de Ba­rack Oba­ma e da sua ex­se­cre­tá­ria de Es­ta­do Hil­lary Clin­ton. “Os ata­ques de sá­ba­do de­mons­tram o fra­cas­so da política de Oba­ma-Hil­lary Clin­ton, que não po­dem ga­ran­tir a nos­sa se­gu­ran­ça!”, es­cre­veu Trump na noi­te de do­min­go. “Co­mi­go os Estados Uni­dos vol­ta­rão a es­tar se­gu­ros!”, acres­cen­tou Trump.

O can­di­da­to re­pu­bli­ca­no de­fen­de um en­cer­ra­men­to co­lec­ti­vo das fron­tei­ras em fun­ção do país de ori­gem do imi­gran­te, pa­ra im­pe­dir a che­ga­da de po­ten­ci­ais ter­ro­ris­tas aos Estados Uni­dos. Por exem­plo, es­pe­ra de­ter a che­ga­da de re­fu­gi­a­dos sí­ri­os e de­nun­cia o pro­jec­to da sua ri­val de­mo­cra­ta de au­men­tar o seu nú­me­ro.

Em con­tras­te, Hil­lary Clin­ton des­ta­ca os seus 25 anos de ex­pe­ri­ên­cia política pa­ra en­fren­tar os de­sa­fi­os do ter­ro­ris­mo e as ame­a­ças à se­gu­ran­ça. Apos­tan­do na pru­dên­cia di­an­te dos im­pul­sos do seu ad­ver­sá­rio re­pu­bli­ca­no, a sua pri­mei­ra re­ac­ção foi apos­tar em man­ter o san­gue frio: “Sem­pre é mais sá­bio es­pe­rar pa­ra ter in­for­ma­ção an­tes de ti­rar qual­quer con­clu­são”, de­cla­rou Hil­lary na noi­te de sá­ba­do.

Nu­ma con­fe­rên­cia de im­pren­sa na ma­nhã on­tem, a ex-pri­mei­ra-da­ma e ex-se­cre­tá­ria de Es­ta­do dis­se que os Estados Uni­dos não se cur­va­rão di­an­te dos úl­ti­mos ata­ques e que ela tem com­pe­tên­ci­as pa­ra ser Co­man­dan­te-em-Che­fe. “Op­ta­mos por re­sol­ver (os pro­ble­mas), não pe­lo me­do”, dis­se Hil­lary, ao mes­mo tem­po que pe­diu pa­ra ape­lar “à for­ça da in­te­li­gên­cia” pa­ra con­tra­ba­lan­çar as po­ten­ci­ais ame­a­ças. “Já en­fren­tá­mos ame­a­ças an­tes”, re­fe­riu. “Não bai­xa­re­mos os bra­ços nem aban­do­na­re­mos os nos­sos va­lo­res”, acres­cen­tou. Hil­lary ad­ver­tiu tam­bém, co­mo já ha­via fei­to re­pe­ti­da­men­te, que a re­tó­ri­ca de Trump fa­vo­re­ce os ex­tre­mis­tas, “que pro­cu­ram fa­zer com que is­to se con­ver­ta nu­ma guer­ra con­tra o Is­lão”. A ame­a­ça ter­ro­ris­ta é “re­al, a nos­sa de­ter­mi­na­ção tam­bém”, de­cla­rou on­tem a can­di­da­ta de­mo­cra­ta à Casa Bran­ca, de­pois dos aten­ta­dos co­me­ti­dos no fim de se­ma­na em No­va Ior­que, No­va Jer­sey e Min­ne­so­ta. Is­so exi­ge es­for­ços re­no­va­dos no tra­ba­lho de in­te­li­gên­cia, afir­mou no en­con­tro com jor­na­lis­tas, du­ran­te o qual tam­bém re­cor­dou que ela é a úni­ca can­di­da­ta à pre­si­dên­cia que “es­te­ve as­so­ci­a­da a de­ci­sões di­fí­ceis”, des­ti­na­das a eli­mi­nar ter­ro­ris­tas.

A ex-che­fe da di­plo­ma­cia nor­te­a­me­ri­ca­na lem­bra fre­quen­te­men­te aos seus in­ter­lo­cu­to­res que ela es­ta­va na sa­la de cri­se com o Pre­si­den­te Ba­rack Oba­ma du­ran­te a ope­ra­ção se­cre­ta con­tra Osa­ma Bin La­den em 2011 e de­nun­cia o ca­rác­ter im­pul­si­vo do seu ri­val re­pu­bli­ca­no.

Clin­ton in­sis­tiu on­tem no seu “pla­no glo­bal con­tra a na­tu­re­za evo­lu­ti­va des­ta ame­a­ça”. Ao con­trá­rio de Do­nald Trump, que du­ran­te o fim de se­ma­na re­to­mou o ar­gu­men­to do me­do e do pul­so fir­me, acu­san­do a can­di­da­ta de­mo­cra­ta de “de­ma­go­ga”, ela pe­diu aos nor­te-ame­ri­ca­nos que não ce­dam di­an­te do me­do. “Prin­ci­pal­men­te, di­go aos ame­ri­ca­nos que per­ma­ne­çam vi­gi­lan­tes, não te­nham me­do. Con­fron­tá­mos ame­a­ças no pas­sa­do. Sei que en­fren­ta­re­mos es­te no­vo pe­ri­go com a mes­ma co­ra­gem e a mes­ma de­ci­são. Es­co­lhe­mos a de­ter­mi­na­ção, não o me­do”, afir­mou ela, in­sis­tin­do na ne­ces­si­da­de de “tra­ba­lhar es­trei­ta­men­te com os nos­sos ali­a­dos e par­cei­ros” na lu­ta an­ti­ter­ro­ris­ta.

De­pois de per­ma­ne­cer du­ran­te uma se­ma­na num dis­cre­to se­gun­do pla­no de­vi­do a uma pneu­mo­nia, Hil­lary era aguar­da­da on­tem pa­ra um co­mí­cio em Fi­la­dél­fia, on­de de­via pro­nun­ci­ar um dis­cur­so so­bre a ju­ven­tu­de. Trump, por sua vez, iria par­ti­ci­par num ac­to pú­bli­co na Fló­ri­da.

REUTERS

Hil­lary Clin­ton

REUTERS

Do­nald Trump

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.