Cu­an­za Sul ven­ce o tí­tu­lo

OITAVA EDI­ÇÃO DOS “SÁBADOS ACADÉMICOS”

Jornal de Angola - - PARTADA - FULA MAR­TINS |

A pro­vín­cia do Cu­an­za Sul foi a gran­de ven­ce­do­ra da 8ª edi­ção do con­cur­so “Sábados Académicos”. Com 25 pon­tos ca­da uma, Ca­bin­da e Bié fi­ca­ram nos res­tan­tes lu­ga­res do pó­dio com o jú­ri a ter que re­cor­rer ao me­ca­nis­mo de de­sem­pa­te pa­ra de­ci­dir. Na ce­ri­mó­nia de en­cer­ra­men­to do con­cur­so, que é uma ini­ci­a­ti­va da JMPLA, o se­cre­tá­rio pa­ra Po­lí­ti­ca So­ci­al e Eco­nó­mi­ca do par­ti­do no po­der, Ma­nu­el Nu­nes Jú­ni­or, dis­se que o MPLA apos­ta ca­da vez mais nu­ma ju­ven­tu­de ins­truí­da e ca­paz de cor­res­pon­der aos de­sa­fi­os do de­sen­vol­vi­men­to só­cio-eco­nó­mi­co de An­go­la. O di­ri­gen­te part­dá­rio re­fe­riu que os an­go­la­nos vi­vem ho­je nu­ma so­ci­e­da­de mais aber­ta do pon­to de vis­ta po­lí­ti­co, eco­nó­mi­co e so­ci­al, e com mais opor­tu­ni­da­des pa­ra to­dos. “Nas so­ci­e­da­des fe­cha­das as pes­so­as não con­se­guem pros­pe­rar, por­que não con­se­guem ga­ran­tir um cres­ci­men­to sus­ten­ta­do da sua eco­no­mia por mui­to tem­po”, de­fen­deu re­fe­rin­do dois fac­to­res de im­por­tân­cia es­tra­té­gi­ca in­tro­du­zi­dos pe­lo MPLA pa­ra o au­men­to da com­pe­ti­ti­vi­da­de glo­bal de An­go­la: “a com­pe­ti­ção po­lí­ti­ca e a com­pe­ti­ção eco­nó­mi­ca”.

A pro­vín­cia do Cu­an­za Sul foi a gran­de ven­ce­do­ra da 8ª edi­ção do con­cur­so “Sábados Académicos”. Na ce­ri­mó­nia de en­cer­ra­men­to do con­cur­so, que é uma ini­ci­a­ti­va da JMPLA, o se­cre­tá­rio pa­ra Po­lí­ti­ca So­ci­al e Eco­nó­mi­ca do par­ti­do no po­der, Ma­nu­el Nu­nes Jú­ni­or, dis­se que o MPLA apos­ta ca­da vez mais nu­ma ju­ven­tu­de ins­truí­da e ca­paz de cor­res­pon­der aos de­sa­fi­os do de­sen­vol­vi­men­to só­cio-eco­nó­mi­co de An­go­la.

Ma­nu­el Nu­nes Jú­ni­or afir­mou que os an­go­la­nos vi­vem ho­je nu­ma so­ci­e­da­de mais aber­ta do pon­to de vis­ta po­lí­ti­co, eco­nó­mi­co e so­ci­al, e com mais opor­tu­ni­da­des pa­ra to­dos. “Nas so­ci­e­da­des fe­cha­das as pes­so­as não con­se­guem pros­pe­rar, por­que não con­se­guem ga­ran­tir um cres­ci­men­to sus­ten­ta­do da sua eco­no­mia por mui­to tem­po”, de­fen­deu o di­ri­gen­te do MPLA, an­tes de su­bli­nhar que o par­ti­do mai­o­ri­tá­rio in­tro­du­ziu dois fac­to­res de im­por­tân­cia es­tra­té­gi­ca pa­ra o au­men­to da com­pe­ti­ti­vi­da­de glo­bal de An­go­la: a “com­pe­ti­ção po­lí­ti­ca, com o ad­ven­to do sis­te­ma mul­ti­par­ti­dá­rio, e a com­pe­ti­ção eco­nó­mi­ca, com a adop­ção da eco­no­mia so­ci­al de mer­ca­do”.

Ma­nu­el Nu­nes Jú­ni­or afir­mou que, com o mul­ti­par­ti­da­ris­mo e com a eco­no­mia de mer­ca­do, es­tão a ser cri­a­das as con­di­ções pa­ra que ca­da ci­da­dão an­go­la­no en­con­tre na so­ci­e­da­de um es­pa­ço de opor­tu­ni­da­des em que pos­sa evi­den­ci­ar o seu talento e mé­ri­to e pros­pe­rar em qual­quer do­mí­nio da vi­da sem qual­quer des­cri­mi­na­ção.

O MPLA quer os an­go­la­nos na pri­mei­ra li­nha das ca­dei­as de for­ma­ção de ri­que­za. “Por es­sa ra­zão, es­ta­mos a tra­ba­lhar pa­ra que a ju­ven­tu­de se­ja ca­da vez mais ins­truí­da”, dis­se, acres­cen­tan­do que a cons­tru­ção da na­ção an­go­la­na de­ve de­sen­vol­ver-se na ba­se da an­go­la­ni­da­de, e ja­mais na ba­se ét­ni­ca, pe­lo que se im­põe ao jo­vens as­su­mi­rem um pa­pel ac­ti­vo na cons­tru­ção da an­go­la­ni­da­de.

Ma­nu­el Nu­nes Jú­ni­or sau­dou a ini­ci­a­ti­va da JMPLA, de in­cen­ti­var a de­di­ca­ção ao es­tu­do e pro­mo­ver o in­ter­câm­bio so­ci­al e cul­tu­ral en­tre os es­tu­dan­tes an­go­la­nos. O po­lí­ti­co afir­mou que se de­ve en­ca­rar a edu­ca­ção co­mo veí­cu­lo que per­mi­te a for­ma­ção in­te­gral do ci­da­dão na­ci­o­nal, ca­paz de con­tri­buir pa­ra as trans­for­ma­ções so­ci­ais, cul­tu­rais, ci­en­tí­fi­cas e tec­no­ló­gi­cas que ga­ran­tam a paz, o pro­gres­so, o de­sen­vol­vi­men­to, o re­for­ço da de­mo­cra­cia e a sã con­vi­vên­cia en­tre os an­go­la­nos.

Va­lo­ri­zou a for­ma­ção in­te­gral dos jo­vens na pers­pec­ti­va de me­lhor con­tri­buí­rem pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to do país e pa­ra o bem-es­tar do po­vo an­go­la­no. O es­tu­do e a ca­pa­ci­ta­ção pro­fis­si­o­nal dos jo­vens, dis­se o po­lí­ti­co e pro­fes­sor uni­ver­si­tá­rio, cons­ti­tu­em a via pa­ra ga­ran­tir o em­pre­go, pois per­mi­te ad­qui­rir as com­pe­tên­ci­as téc­ni­cas, es­tra­té­gi­cas e com­por­ta­men­tais co­mo con­di­ções ne­ces­sá­ri­as pa­ra triun­far na vi­da, co­lo­can­do sem­pre as ca­pa­ci­da­des ao ser­vi­ço do pró­xi­mo, do de­sen­vol­vi­men­to e da pá­tria.

Ma­nu­el Nu­nes Jú­ni­or con­si­de­rou po­si­ti­va a ini­ci­a­ti­va que vi­sa igual­men­te in­cul­car des­de ce­do nos jo­vens es­tu­dan­tes o va­lor do ri­gor, da dis­ci­pli­na, da ino­va­ção, da con­cor­rên­cia e da pro­du­ti­vi­da­de.

Con­vi­da­do à ce­ri­mó­nia, o mi­nis­tro da Edu­ca­ção, Pin­da Si­mão des­ta­cou a im­por­tân­cia do pro­jec­to “Sábados Académicos” pa­ra a ju­ven­tu­de es­tu­dan­til, por cons­ti­tuir um es­pa­ço pa­ra a pro­mo­ção do co­nhe­ci­men­to, in­cen­ti­vo aos alu­nos pa­ra de­sen­vol­ve­rem o es­pí­ri­to de in­ves­ti­ga­ção, além de pro­mo­ver va­lo­res pa­ra a ci­da­da­nia no seio da ju­ven­tu­de. Pin­da Si­mão afir­mou que com o pro­gra­ma “Sábados Académicos”, a JMPLA faz jus à pa­la­vra de ordem “Paz e pa­tri­o­tis­mo ru­mo a um fu­tu­ro me­lhor” e jun­ta-se ao es­for­ço do Exe­cu­ti­vo pa­ra uma “re­vo­lu­ção qua­li­ta­ti­va” na edu­ca­ção.

Os con­cur­sos académicos, acres­cen­tou o mi­nis­tro, cons­ti­tu­em mais­va­li­as pa­ra me­dir o sis­te­ma de edu­ca­ção e per­mi­tem o en­vol­vi­men­to ca­da vez mai­or da ju­ven­tu­de nas ac­ti­vi­da­des de for­ma­ção aca­dé­mi­ca, téc­ni­ca e pro­fis­si­o­nal. “Es­se é o ca­mi­nho pa­ra a for­ma­ção de téc­ni­cos e qua­dros ca­pa­zes de dar con­ti­nui­da­de a to­do pro­ces­so ini­ci­a­do des­de os pri­mór­di­os da in­de­pen­dên­cia, dis­se, pa­ra acres­cen­tar: “é con­sa­bi­do que vi­ve­mos na era do co­nhe­ci­men­to e o sa­ber faz-se com a qua­li­da­de dos re­cur­sos hu­ma­nos, a mai­or ri­que­za de um país”.

De­di­ca­ção aos es­tu­dos

Os es­tu­dan­tes, nu­ma men­sa­gem li­da por Jus­ti­na Lu­pi­to, elo­gi­a­ram o tra­ba­lho do Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos pa­ra a me­lho­ria da qua­li­da­de do sis­te­ma de edu­ca­ção e do en­si­no no país e rei­te­ra­ram a von­ta­de de con­ti­nu­ar a de­di­car-se aos es­tu­dos. Já os pro­fes­so­res des­ta­ca­ram o pro­gra­ma, co­mo uma gran­de opor­tu­ni­da­de pa­ra com­pro­var os pi­la­res da edu­ca­ção dos jo­vens.

Jun­ta­men­te com os en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção com­pro­me­te­ram-se em tu­do fa­zer pa­ra a ma­te­ri­a­li­za­ção dos ob­jec­ti­vos do pro­gra­ma e de­se­ja­ram aos es­tu­dan­tes êxi­tos no de­sem­pe­nho in­te­lec­tu­al, pri­man­do pe­la cul­tu­ra de paz, amor ao pró­xi­mo, so­li­da­ri­e­da­de e res­pei­to pe­las di­fe­ren­ças. Dos pro­fes­so­res fi­cou o com­pro­mis­so de me­lho­rar a qua­li­da­de do en­si­no e dos es­tu­dan­tes.

VIGAS DA PURIFICAÇÃO

Es­tu­dan­tes an­go­la­nos evi­den­ci­a­ram to­dos os seus vas­tos co­nhe­ci­men­tos em mais uma edi­ção dos “Sábados Académicos”

PAU­LO MULAZA

Di­ri­gen­te do MPLA des­ta­ca a im­por­tân­cia do pro­gra­ma “Sábados Académicos”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.