De­fen­di­do o fim ime­di­a­to da im­pu­ni­da­de

Jornal de Angola - - POLÍTICA - KÁTIA RAMOS | e KAYILA SILVINA | Mban­za Con­go

O vi­ce-go­ver­na­dor de Luanda pa­ra o sec­tor eco­nó­mi­co e so­ci­al, Jo­sé Cer­quei­ra, de­fen­deu sex­ta­fei­ra a ur­gên­cia de se aca­bar com o sen­ti­men­to de im­pu­ni­da­de de fun­ci­o­ná­ri­os que en­tram nos es­que­mas de venda de ter­re­nos e co­me­ça­rem a ser res­pon­sa­bi­li­za­dos.

Jo­sé Cer­quei­ra dis­cur­sa­va na aber­tu­ra de um se­mi­ná­rio so­bre “Ges­tão vi­ra­da pa­ra o ci­da­dão, téc­ni­cas de aten­di­men­to na ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca”, no âm­bi­to do pro­gra­ma de va­lo­ri­za­ção do ser­vi­ço pú­bli­co, pro­mo­vi­do pe­lo Mi­nis­té­rio da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al.

O vi­ce-go­ver­na­dor re­al­çou a im­por­tân­cia do res­pei­to da pro­pri­e­da­de pri­va­da, su­bli­nhan­do que to­dos os di­as sur­gem no Go­ver­no Pro­vin­ci­al de Luanda de­nún­ci­as de vi­o­la­ções de di­rei­tos fun­diá­ri­os com acu­sa­ções de cum­pli­ci­da­des de fun­ci­o­ná­ri­os das ad­mi­nis­tra­ções.

Jo­sé Cer­quei­ra dis­se que a reu­nião tem co­mo ob­jec­ti­vo a in­di­ca­ção de mé­to­dos e ati­tu­des pa­ra me­lho­rar os ser­vi­ços de aten­di­men­to pú­bli­co, sen­do es­te um as­pec­to prin­ci­pal do re­la­ci­o­na­men­to en­tre o ci­da­dão e os fun­ci­o­ná­ri­os da ad­mi­nis­tra­ção. Jo­sé Cer­quei­ra ci­tou o pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, An­tó­nio Agos­ti­nho Ne­to, que di­zia que na vi­da co­mer­ci­al diz-se que o cli­en­te é rei, mas em ac­ti­vi­da­des ad­mi­nis­tra­ti­vas diz-se que o ci­da­dão é o rei, e mes­mo quan­do ele está equi­vo­ca­do, exi­ge e pro­tes­ta sem ra­zão, tem de ser cha­ma­do à cal­ma com bons mo­dos.

“Es­tas são as re­gras so­ci­ais e po­lí­ti­cas de um país, on­de o ci­da­dão sen­te que é aten­di­do nas ad­mi­nis­tra­ções e o Go­ver­no está em­pe­nha­do em re­sol­ver os pro­ble­mas do po­vo, que pas­sa em pri­mei­ro lu­gar pe­la im­par­ci­a­li­da­de”, fri­sou. Jo­sé Cer­quei­ra con­si­de­ra que a ce­le­ri­da­de na ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca é im­por­tan­te. “É um er­ro fa­zer de­mo­rar a de­ci­são de um pro­ces­so ad­mi­nis­tra­ti­vo so­men­te pa­ra cri­ar a im­pres­são que é di­fí­cil de se re­sol­ver”, sa­li­en­tou.

A an­te­ce­der a aber­tu­ra da reu­nião, o vi­ce-go­ver­na­dor de Luanda pro­ce­deu ao lan­ça­men­to de uma bro­chu­ra so­bre re­gras e téc­ni­cas de aten­di­men­to na ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca, uma pu­bli­ca­ção do Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al.

Hu­go Brás, pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da Es­co­la Na­ci­o­nal de Ad­mi­nis­tra­ção (ENAD), dis­se que o en­con­tro dá con­ti­nui­da­de ao pro­gra­ma de va­lo­ri­za­ção dos ser­vi­ços pú­bli­cos, pa­ra re­for­çar a ca­pa­ci­da­de téc­ni­ca dos fun­ci­o­ná­ri­os afec­tos às áre­as de aten­di­men­to, no sen­ti­do de ga­ran­tir gra­du­al­men­te a me­lho­ria dos ser­vi­ços e a sa­tis­fa­ção do ci­da­dão, uten­te e cli­en­te. Se­mi­ná­ri­os do gé­ne­ro, fri­sou, se­rão re­a­li­za­dos em to­dos os mu­ni­cí­pi­os de Luanda e pe­lo país.

Hu­go Brás dis­se ain­da que to­das as áre­as que te­nham fun­ci­o­ná­ri­os que exer­çam fun­ções nos ser­vi­ços de aten­di­men­to pú­bli­co se­rão be­ne­fi­ci­a­das com for­ma­ções sec­to­ri­ais nas áre­as da Edu­ca­ção, Saú­de e Jus­ti­ça. Nes­tes sec­to­res, dis­se, os prin­ci­pais pro­ble­mas são a fal­ta de ca­pa­ci­da­de téc­ni­ca do fun­ci­o­ná­rio que aten­de o uten­te, ges­tão do tem­po no aten­di­men­to, o en­ca­mi­nha­men­to das su­ges­tões nos ser­vi­ços, aco­lhi­men­to do cli­en­te, apre­sen­ta­ção pes­so­al e ou­tros.

O en­con­tro, que de­cor­reu no Cen­tro de For­ma­ção Pro­fis­si­o­nal do Ca­zen­ga, con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos e em­pre­sas li­ga­das ao aten­di­men­to pú­bli­co, às áre­as dos de­par­ta­men­tos mu­ni­ci­pais da saú­de, iden­ti­fi­ca­ção ci­vil e cri­mi­nal e no­tá­rio.

Ges­to­res de di­ver­sas ins­ti­tui­ções pú­bli­cas em Mban­za Con­go par­ti­ci­pa­ram sex­ta-fei­ra num se­mi­ná­rio so­bre a va­lo­ri­za­ção do ser­vi­ço pres­ta­do aos ci­da­dãos, nu­ma ini­ci­a­ti­va da Di­rec­ção Pro­vin­ci­al da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.