Hillary e Trump têm o pri­mei­ro debate

Jornal de Angola - - OPINIÃO - FAUSTINO HEN­RI­QUE |

Nu­ma al­tu­ra em que o pro­fes­sor de His­tó­ria Al­lan Li­cht­man, que prog­nos­ti­cou cor­rec­ta­men­te o ven­ce­dor de to­das as elei­ções pre­si­den­ci­ais ame­ri­ca­nas des­de 1984, apon­ta Do­nald Trump co­mo fa­vo­ri­to, co­me­ça ho­je, por vol­ta das du­as ho­ras (ma­dru­ga­da de terça-feira, ho­ra de An­go­la) o debate en­tre o can­di­da­to re­pu­bli­ca­no e Hillary Clin­ton, can­di­da­ta de­mo­cra­ta. Es­tá a ser mui­to aguar­da­do aten­den­doa o po­ten­ci­al que o debate tem, en­tre ou­tros fins, dos elei­to­res acom­pa­nha­rem de per­to o que pen­sam os can­di­da­tos em ma­té­ria de po­lí­ti­ca do­més­ti­ca e ex­ter­na, de mu­dar a ten­dên­cia dos elei­to­res não tra­di­ci­o­nais e in­de­ci­sos.

To­das as gran­des ca­dei­as de te­le­vi­são co­mo a CNN, C-SPAN, ABC, CBS, FOX News, NBC, vão pas­sar em di­rec­to, acom­pa­nha­das por vá­ri­as pla­ta­for­mas de dis­tri­bui­ção ví­deo/ áu­dio do debate em tem­po real. Tra­ta-se do pri­mei­ro fren­te-a-fren­te en­tre dois can­di­da­tos às pre­si­den­ci­ais ame­ri­ca­nas, di­fe­ren­te e no­vo em tu­do, afi­nal nun­ca du­as fi­gu­ras de se­xo opos­to con­cor­re­ram pa­ra o re­fe­ri­do pos­to. E a jul­gar pe­lo ex­ces­so de re­tó­ri­ca, al­gu­ma tro­ca de in­sul­to à mis­tu­ra, tu­do in­di­ca que o debate vai aque­cer do iní­cio ao fim, quer so­bre te­mas do­més­ti­cos, quer so­bre ques­tões li­ga­das à po­lí­ti­ca ex­ter­na. Não há dú­vi­das de que o mo­de­ra­dor, um ex­pe­ri­men­ta­do jor­na­lis­ta, não vai ter ta­re­fa fá­cil so­bre­tu­do aten­den­do à in­con­ti­nên­cia ver­bal de Do­nald Trump, fa­mo­so pe­la for­ma im­pre­vi­sí­vel co­mo fa­la de tu­do um pou­co.

A sa­ga vo­lun­ta­ri­o­sa de Hillary Clin­ton, uma mu­lher co­ra­jo­sa que pa­re­ce se­guir em fren­te na mis­são que an­seia em tor­nar-se na pri­mei­ra mu­lher a di­ri­gir os Es­ta­dos Uni­dos, vai ser tes­ta­da nes­te pri­mei­ro de três de­ba­tes.

O pri­mei­ro debate, que tem lu­gar na uni­ver­si­da­de de Hofs­tra, No­va Ior­que, é di­vi­di­do em seis seg­men­tos de tem­po de apro­xi­ma­da­men­te 15 mi­nu­tos ca­da so­bre os prin­ci­pais te­mas a se­rem se­lec­ci­o­na­dos pe­lo mo­de­ra­dor, Les­ter Holt, do pro­gra­ma no­ti­ci­o­so Nigh­tly News da ca­deia NBC, anun­ci­a­do com uma se­ma­na de an­te­ce­dên­cia.

O mo­de­ra­dor abre ca­da seg­men­to com uma per­gun­ta e ca­da can­di­da­to tem dois mi­nu­tos pa­ra res­pon­der. Em se­gui­da, ca­da can­di­da­to vai ter a opor­tu­ni­da­de de res­pon­der as per­gun­tas for­mu­la­das pe­lo opo­nen­te, acom­pa­nha­do da in­ter­ven­ção do mo­de­ra­dor pa­ra uma dis­cus­são mais pro­fun­da de ca­da te­ma.

Es­tá tu­do em aber­to pa­ra am­bos os can­di­da­tos, es­pe­ran­do-se que ca­da um re­no­ve ou se afas­te das po­si­ções e re­cri­mi­na­ções con­tra o opo­nen­te, com a di­fe­ren­ça de que des­ta vez as pa­la­vras pos­sam ser di­tas di­rec­ta­men­te. Pa­ra os apoi­an­tes de Trump, es­te vai pre­ci­sar de pri­vi­le­gi­ar as pro­pos­tas po­si­ti­vas e evi­tar ba­ter na te­cla­das acu­sa­ções con­tra Hillary Clin­ton. É pre­fe­rí­vel que o can­di­da­to re­pu­bli­ca­no se con­cen­tre mais na­qui­lo que vai ser a sua agen­da pa­ra li­dar com ques­tões co­mo a se­gu­ran­ça na­ci­o­nal, a imi­gra­ção, a eco­no­mia e cui­da­dos com a in­fân­cia e mu­lhe­res pa­ra dar uma ima­gem po­si­ti­va de si e da sua cam­pa­nha a ní­vel na­ci­o­nal. Tem de pro­cu­rar ser equi­li­bra­do na abor­da­gem da vi­o­lên­cia po­li­ci­al con­tra as mi­no­ri­as e, se for ne­ces­sá­rio pas­sar ata­que, con­cen­trar-se no ca­so de Bengha­zi, pa­pel da Fun­da­ção Clin­ton e ou­tras fra­que­zas da ex se­cre­tá­ria de Es­ta­do.

Hillary Clin­ton e os de­mo­cra­tas ba­se­a­ram até aqui a sua cam­pa­nha em di­a­bo­li­zar Do­nald Trump, apon­tan­do-o co­mo pe­ri­go­so, im­pre­vi­sí­vel, ra­cis­ta, is­la­mó­fo­bo, de­ma­go­go, ma­chis­ta com ale­ga­da fal­ta de tem­pe­ra­men­to e jul­ga­men­to pa­ra os gran­des de­sa­fi­os que o país en­fren­ta in­ter­na e ex­ter­na­men­te.

Os apoi­an­tes de Hillary Clin­ton de­fen­dem que a ex pri­mei­ra-da­ma de­via ser me­nos pre­ven­ti­va e pas­sas­se a de­fi­nir a agen­da de tro­ca de pa­la­vras com Do­nald Trump, evi­tan­do sem­pre que pos­sí­vel fa­zer mes­mo pa­pel que o can­di­da­to re­pu­bli­ca­no. Além dis­so, de­ve pre­pa­rar­se pa­ra even­tu­ais ata­ques ou re­fe­rên­ci­as ao ma­ri­do e ex Pre­si­den­te, Bill Clin­ton.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.