Uni­da­des sa­ni­tá­ri­as es­pe­ci­ais cons­truí­das na re­gião

PRO­GRA­MA DE COM­BA­TE À MA­LÁ­RIA NO CU­AN­DO CU­BAN­GO Téc­ni­cos da Saú­de apos­tam na eli­mi­na­ção dos prin­ci­pais fo­cos de reprodução de mosquitos

Jornal de Angola - - PROVÍNCIAS - CAR­LOS PAU­LI­NO |

A pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go vai con­tar, nos pró­xi­mos dois anos, com três uni­da­des sa­ni­tá­ri­as es­pe­cí­fi­cas pa­ra o com­ba­te à ma­lá­ria, ao lon­go da fron­tei­ra en­tre es­ta re­gião do su­des­te de An­go­la e a Na­mí­bia, anun­ci­ou, em Me­non­gue, o che­fe de de­par­ta­men­to pro­vin­ci­al da Saú­de Pú­bli­ca e Con­tro­lo de En­de­mi­as.

Nti­ma Man­dawe­le dis­se que nes­te mo­men­to uma equi­pa téc­ni­ca do Mi­nis­té­rio da Saú­de es­tá a tra­ba­lhar nos mu­ni­cí­pi­os de Cu­an­gar, Ca­lai e Di­ri­co, que par­ti­lham com a Na­mí­bia uma fron­tei­ra ter­res­tre e flu­vi­al de 700 qui­ló­me­tros.

O res­pon­sá­vel pro­vin­ci­al da Saú­de ex­pli­cou que a mis­são con­sis­te es­sen­ci­al­men­te na iden­ti­fi­ca­ção dos prin­ci­pais fo­cos de reprodução do mos­qui­to trans­mis­sor do pa­lu­dis­mo, nú­me­ro de mor­tes e pes­so­as in­fec­ta­das nos anos an­te­ri­o­res até à da­ta pre­sen­te, da­dos que ser­vi­rão de li­nha de ori­en­ta­ção pa­ra a ins­ta­la­ção das uni­da­des sa­ni­tá­ri­as, no qua­dro do pro­jec­to de­no­mi­na­do Eli­mi­na­ção 8 (E8), que tem co­mo ob­jec­ti­vo aca­bar com a ma­lá­ria no con­ti­nen­te afri­ca­no.

Ex­pli­cou que o E8 é uma ini­ci­a­ti­va re­gi­o­nal en­tre oi­to paí­ses afri­ca­nos, de­sig­na­da­men­te Áfri­ca do Sul, An­go­la, Botswa­na, Mo­çam­bi­que, Na­mí­bia, Su­a­zi­lân­dia, Zâm­bia e Zim­babwe, que tem co­mo ob­jec­ti­vo fun­da­men­tal o com­ba­te cer­ra­do até à er­ra­di­ca­ção do pa­lu­dis­mo nes­tes es­pa­ços.

Nti­ma Man­dawe­le dis­se que no ca­so con­cre­to de An­go­la foi es­co­lhi­da a fron­tei­ra com a Na­mí­bia e a Zâm­bia, ao lon­go da qual se­rão cons­truí­das se­te uni­da­des sa­ni­tá­ri­as, sen­do três pre­vis­tas no Cu­an­do Cu­ban­go e qua­tro ou­tras em ter­ri­tó­rio do Cu­ne­ne e Mo­xi­co, e que, de­pen­den­do dos re­sul­ta­dos al­can­ça­dos, o pro­jec­to po­de­rá evo­luir pa­ra ou­tras pro­vín­ci­as fron­tei­ri­ças.

Re­al­çou que cons­ti­tui um ele­men­to cha­ve da es­tra­té­gia do E8 o me­lho­ra­men­to no aces­so aos ser­vi­ços de saú­de, iden­ti­fi­ca­ção e ges­tão de ca­sos de ma­lá­ria nas zo­nas fron­tei­ri­ças, tes­ta­gem e tra­ta­men­to ade­qua­do da do­en­ça, atra­vés da cri­a­ção de no­vas uni­da­des sa­ni­tá­ri­as de re­fe­rên­cia ou es­pe­cí­fi­cas. “É ne­ces­sá­ria a re­a­li­za­ção pré­via de uma ava­li­a­ção pa­ra se ob­ter in­for­ma­ções con­cre­tas so­bre os lo­cais ide­ais pa­ra a co­lo­ca­ção das no­vas uni­da­des sa­ni­tá­ri­as nos pos­tos fron­tei­ri­ços ou ao lon­go da fron­tei­ra co­mum en­tre An­go­la e a Na­mí­bia”, dis­se.

Es­ta ava­li­a­ção, acres­cen­tou, pre­vê tam­bém a uti­li­za­ção de mé­to­dos qua­li­ta­ti­vos co­mo re­co­lha de in­for­ma­ções e in­te­rac­ção com as co­mu­ni­da­des, pro­gra­mas que con­tem­plem en­tre­vis­tas, dis­cus­sões em gru­pos fo­cais, ques­ti­o­ná­ri­os ao pes­so­al de saú­de, agen­tes co­mu­ni­tá­ri­os, au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais, efec­ti­vos do Ser­vi­ço de Mi­gra­ção e Es­tran­gei­ros (SME) e res­pon­sá­veis de or­ga­ni­za­ções não-go­ver­na­men­tais (ONG).

Su­bli­nhou que as in­fra-es­tru­tu­ras hos­pi­ta­la­res a se­rem cons­truí­das vão ser fi­nan­ci­a­das a par­tir de uma sub­ven­ção con­ce­di­da pe­lo Fun­do Glo­bal pa­ra o com­ba­te à si­da, tu­ber­cu­lo­se e ma­lá­ria.

Re­du­ção de ca­sos

O che­fe de de­par­ta­men­to pro­vin­ci­al da Saú­de Pú­bli­ca e Con­tro­lo de En­de­mi­as sa­li­en­tou que nos úl­ti­mos tem­pos a pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go tem re­gis­ta­do uma di­mi­nui­ção con­si­de­rá­vel de ca­sos de ma­lá­ria, fru­to do re­for­ço das cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção à po­pu­la­ção so­bre o com­ba­te da do­en­ça.

Du­ran­te o ano de 2015, acres­cen­tou, o de­par­ta­men­to pro­vin­ci­al da Saú­de Pú­bli­ca e Con­tro­lo de En­de­mi­as re­gis­tou a ní­vel da pro­vín­cia 55.486 ca­sos con­fir­ma­dos de ma­lá­ria, que pro­vo­ca­ram a mor­te de 203 pes­so­as. Com­pa­ra­ti­va­men­te ao ano de 2014, hou­ve uma re­du­ção de 108.789 ca­sos e 72 óbi­tos.

Nti­ma Man­dawe­le anun­ci­ou que, pa­ra re­du­zir ain­da mais os ca­sos de ma­lá­ria na re­gião, as au­to­ri­da­des sa­ni­tá­ri­as vão dar iní­cio, nos pró­xi­mos di­as, a uma in­ten­sa cam­pa­nha de sen­si­bi­li­za­ção por­ta-a-por­ta, de­no­mi­na­da “In­for­ma­ção, edu­ca­ção e co­mu­ni­ca­ção” (IEC), so­bre­tu­do nas zo­nas su­bur­ba­nas e ru­rais.

MARIA AUGUSTA

Po­pu­la­ção lo­cal é acon­se­lha­da a pro­cu­rar as uni­da­des sa­ni­tá­ri­as lo­go após os pri­mei­ros sin­to­mas da do­en­ça e a evi­tar a au­to­me­di­ca­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.