Pa­lan­qui­nhas fa­zem cor­rec­ções

PRE­PA­RA­ÇÃO DA VI­A­GEM

Jornal de Angola - - DESPORTO - AN­TÓ­NIO CRIS­TÓ­VÃO |

A Se­lec­ção Na­ci­o­nal Sub-17 de Fu­te­bol re­a­li­za ho­je às 9h30, no es­tá­dio da Gló­ria, em Lu­an­da, mais uma ses­são de trei­no vi­ra­da pa­ra a cor­rec­ção dos mo­vi­men­tos ofen­si­vos e de­fen­si­vos, vi­san­do a dis­pu­ta do jo­go di­an­te da con­gé­ne­re das Ilhas Co­mo­res, sá­ba­do na ci­da­de de Mo­ro­ni.

A par­ti­da é re­fe­ren­te à se­gun­da “mão” da ter­cei­ra e úl­ti­ma eli­mi­na­tó­ria de apu­ra­men­to pa­ra a fa­se fi­nal da 12ª edi­ção da Ta­ça de Áfri­ca das Na­ções (CAN), a ter lu­gar no pró­xi­mo ano, em Ma­da­gás­car. No pri­mei­ro jo­go, dis­pu­ta­do no dia 10 de Se­tem­bro, a equi­pa na­ci­o­nal go­le­ou por 5-0, no es­tá­dio da Gló­ria.

De acor­do com o trei­na­dor dos Pa­lan­qui­nhas, Si­mão Lan­gui­nha, os jo­ga­do­res es­tão an­si­o­sos na dis­pu­ta do de­sa­fio, mas a equi­pa téc­ni­ca es­tá a con­tro­lar os ní­veis de in­qui­e­ta­ção do gru­po.

“Te­mos de ser um con­jun­to equi­li­bra­do, que sai­ba de­fen­der quan­do es­tá sem bo­la e ata­car bem com es­ti­ver em pos­se de­la. O gru­po tem o mo­ral al­to, mas es­ta­mos a con­tro­lar a an­si­e­da­de do gru­po”, dis­se o téc­ni­co Si­mão Lan­gui­nha. A equi­pa téc­ni­ca vol­ta a re­par­tir em dois gru­pos os jo­ga­do­res, pa­ra o en­saio dos pro­ces­sos de jo­go e a cor­rec­ção da efi­ci­ên­cia dos ele­men­tos do sec­tor ofen­si­vo.

A Se­lec­ção Na­ci­o­nal vol­ta a trei­nar ama­nhã e pos­si­vel­men­te na quin­ta-fei­ra, no pe­río­do da ma­nhã, no es­tá­dio da Gló­ria, já que à tar­de se­gue em voo fre­ta­do pa­ra a ci­da­de de Mo­ro­ni. On­tem o cor­po téc­ni­co re­cu­pe­rou os jo­ga­do­res do des­gas­te dos jo­gos de domingo, a con­tar pa­ra o Cam­pe­o­na­to Pro­vin­ci­al Sub-17 de fu­te­bol da I Di­vi­são de Lu­an­da, com exer­cí­ci­os de bai­xa in­ten­si­da­de.

“Pen­sá­mos que a eli­mi­na­tó­ria ain­da não es­tá de­ci­di­da. O ad­ver­sá­rio tem o seu va­lor. Te­mos de es­tar pre­pa­ra­dos pa­ra mar­car go­los fo­ra de ca­sa, por­que que­re­mos ga­nhar o jo­go e pas­sar a eli­mi­na­tó­ria”, des­ta­cou Si­mão Lan­gui­nha. No as­pec­to clí­ni­co, o téc­ni­co da equi­pa na­ci­o­nal es­tá sa­tis­fei­to com a in­te­gra­ção do la­te­ral Ca­pi­tão Jo­sé, que a se­ma­na pas­sa­da es­te­ve au­sen­te das ses­sões de trei­no, pa­ra re­cu­pe­rar de uma ma­ze­la na co­xa es­quer­da. “Tra­ba­lha­ram to­dos. Os jo­ga­do­res es­tão to­dos em con­di­ções de trei­nar e jo­gar. Eles trei­na­ram no li­mi­te das com­pe­tên­ci­as fí­si­cas”, dis­se o téc­ni­co.

A fa­se fi­nal do CAN dis­pu­ta-se en­tre os di­as 2 e 16 de Abril de 2017, em Ma­da­gás­car, com a par­ti­ci­pa­ção de oi­to se­lec­ções, re­par­ti­das em dois gru­pos de qu­a­tro ca­da.

O ex­tre­mo dos Los An­ge­les Clip­pers Paul Pi­er­ce anun­ci­ou on­tem que vai ter­mi­nar a car­rei­ra no fi­nal da pró­xi­ma tem­po­ra­da, de­pois de qua­se du­as dé­ca­das a ac­tu­ar na NBA.

O jo­ga­dor, que fes­te­ja o seu 39º ani­ver­sá­rio no pró­xi­mo mês, pre­pa­ra-se pa­ra cum­prir a 19ª épo­ca na NBA, a se­gun­da nos Clip­pers, nu­ma car­rei­ra em que se des­ta­ca a con­quis­ta do tí­tu­lo em 2008, na al­tu­ra ao ser­vi­ço dos Bos­ton Cel­tics.

“É des­ta. É a mi­nha úl­ti­ma tem­po­ra­da. Es­tá na al­tu­ra de me afas­tar do bas­que­te­bol. É uma de­ci­são di­fí­cil, mas o mais im­por­tan­te é es­tar em paz co­mi­go pró­prio. Ain­da te­nho mais uma tem­po­ra­da e mais uma opor­tu­ni­da­de pa­ra vol­tar a ser cam­peão”, afir­mou Pau­lo Pi­er­ce aos jor­na­lis­tas.

De­pois de ter da­do nas vis­tas na Uni­ver­si­da­de de Kan­sas, Pi­er­ce che­gou à NBA em 1998, ten­do si­do re­cru­ta­do pe­los Bos­ton Cel­tics, em­ble­ma que re­pre­sen­tou du­ran­te 15 épo­cas, até 2014.

Com Ray Al­len e Ke­vin Gar­nett, o ex­tre­mo for­mou o cha­ma­do "big th­ree” que ven­ceu o cam­pe­o­na­to em 2008 e foi mes­mo con­si­de­ra­do o me­lhor jo­ga­dor da fi­nal (MVP) fren­te aos Los An­ge­les La­kers.

An­tes que in­gres­sar nos Clip­pers, Pi­er­ce che­gou a ves­tir as ca­mi­so­las dos Bro­o­klyn Nets e dos Washing­ton Wi­zards.

O jo­ga­dor de 38 anos, que é o se­gun­do me­lhor mar­ca­dor da his­tó­ria dos Cel­tics, foi 10 ve­zes es­co­lhi­do pa­ra o jo­go “All-Star”.

Adeus de Gar­nett

O ve­te­ra­no Ke­vin Gar­nett con­fir­mou as no­tí­ci­as que da­vam o seu aban­do­no e anun­ci­ou na sex­ta-fei­ra que, após 21 anos co­mo pro­fis­si­o­nal, vai ter­mi­nar a car­rei­ra na NBA. Gar­nett, 40 anos, foi con­si­de­ra­do um dos me­lho­res de­fen­so­res de sem­pre da NBA e tam­bém se­rá re­cor­da­do pe­las per­ma­nen­tes pro­vo­ca­ções aos ad­ver­sá­ri­os den­tro de cam­po.

Ape­sar de ain­da lhe fal­tar uma tem­po­ra­da pa­ra ter­mi­nar o con­tra­to com os Min­ne­so­ta Tim­berwol­ves, aos quais re­gres­sou de­pois de ter ac­tu­a­do pe­los Bos­ton Cel­tics e pe­los Bro­o­klyn Nets, Gar­nett anun­ci­ou em ví­deo a sua re­ti­ra­da.

Gar­nett foi se­lec­ci­o­na­do pe­los Tim­berwol­ves di­rec­ta­men­te da es­co­la se­cun­dá­ria em 1995, ten­do re­pre­sen­ta­do es­ta equi­pa du­ran­te 12 tem­po­ra­das, até que em Ju­lho de 2007 foi trans­fe­ri­do pa­ra os Bos­ton Cel­tics, equi­pa com a qual con­quis­tou lo­go no seu ano de es­treia o tí­tu­lo da NBA, o úni­co que ga­nhou.

En­tre 2013 e 2015, Gar­nett ain­da ac­tu­ou pe­los Nets, an­tes de re­gres­sar a Min­ne­so­ta. Es­te bas­que­te­bo­lis­ta ve­te­ra­no con­clui a car­rei­ra com uma mé­dia de 17,8 pon­tos, 10 res­sal­tos e 3,7 as­sis­tên­ci­as por jo­go, em 1.462 par­ti­das que dis­pu­tou co­mo pro­fis­si­o­nal, o que o co­lo­ca co­mo o quin­to de to­dos os tem­pos.

JO­SÉ SO­A­RES

Si­mão Lan­gui­nha pe­de con­cen­tra­ção aos seus pu­pi­los no en­saio do pró­xi­mo jo­go

REU­TERS

Ex­tre­mo de­ci­de pôr ter­mo à car­rei­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.