Son­da­gem atri­bui vi­tó­ria a Hillary Clin­ton

DEBATE EN­TRE CAN­DI­DA­TOS À CA­SA BRAN­CA

Jornal de Angola - - MUNDO -

A can­di­da­ta de­mo­cra­ta à Ca­sa Bran­ca, Hillary Clin­ton, ven­ceu, on­tem, o pri­mei­ro debate con­tra o ri­val re­pu­bli­ca­no nas elei­ções pre­si­den­ci­ais de No­vem­bro, o Do­nald Trump, de acor­do com 62 por cen­to dos in­qui­ri­dos nu­ma son­da­gem da te­le­vi­são nor­te­a­me­ri­ca­na CNN.

En­tre os in­qui­ri­dos, 41 por cen­to se iden­ti­fi­ca­ram com os de­mo­cra­tas e 26 por cen­to com os re­pu­bli­ca­nos. Os res­tan­tes dis­se­ram não ter fi­li­a­ção po­lí­ti­ca.

Pa­ra 27 por cen­to dos 521 in­qui­ri­dos, Do­nald Trump ven­ceu o debate re­a­li­za­do na Uni­ver­si­da­de de Hofs­tra (No­va Ior­que), na se­gun­da-fei­ra à noi­te na ho­ra lo­cal, ma­dru­ga­da de ter­ça-fei­ra em An­go­la.

Pa­ra o pro­fes­sor de Ci­ên­cia Po­lí­ti­ca na Uni­ver­si­da­de Nothern Iowa, Jus­tin Hol­mes, os can­di­da­tos ti­nham di­fe­ren­tes ta­re­fas e de­sa­fi­os.

“Hillary Clin­ton pre­ci­sa­va de en­con­trar uma ma­nei­ra de fa­zer fren­te a um opo­nen­te im­pre­vi­sí­vel e com­pen­sar a sua re­cen­te qu­e­da nas pes­qui­sas. Do­nald Trump ne­ces­si­ta­va de uma ima­gem pre­si­den­ci­al. Acre­di­to que, em ge­ral, Hillary Clin­ton foi só­li­da, em­bo­ra não ins­pi­ra­do­ra. Do­nald Trump, no en­tan­to, foi um de­sas­tre ab­so­lu­to”, afir­mou à Agên­cia de no­tí­ci­as Efe

Arthur Lu­pia, pro­fes­sor de Ci­ên­cia Po­lí­ti­ca na Uni­ver­si­da­de de Mi­chi­gan, que dis­se que as ex­pec­ta­ti­vas so­bre o mag­na­ta eram mui­to bai­xas, pe­ran­te uma can­di­da­ta com uma lon­ga tra­jec­tó­ria po­lí­ti­ca e mui­ta ex­pe­ri­ên­cia, e, que em cer­tos mo­men­tos do debate, Do­nald Trump sou­be co­nec­tar com a au­di­ên­cia.

“Um dos pon­tos mais efi­ca­zes foi quan­do se per­gun­tou por que al­guém que ti­nha es­ta­do na po­lí­ti­ca tan­to tem­po não ti­nha po­di­do re­sol­ver os prin­ci­pais pro­ble­mas da eco­no­mia e da po­lí­ti­ca ex­ter­na”, em que o mul­ti­mi­li­o­ná­rio acer­tou, ape­lan­do aos in­de­ci­sos e aos mo­de­ra­dos nes­se sen­ti­do, mas va­ci­lou nas ex­pli­ca­ções so­bre a fal­ta de cla­re­za das su­as con­tas com a Re­cei­ta Fe­de­ral.

Pa­ra Aa­ron Kall, di­rec­tor de de­ba­tes na Uni­ver­si­da­de de Mi­chi­gan, a vi­tó­ria foi pa­ra Hillary Clin­ton, mas aper­ta­da. “Hillary Clin­ton fe­chou com uma im­pres­si­o­nan­te ba­te­ria de ata­ques con­tra Do­nald Trump e ob­te­ve a vi­tó­ria num acir­ra­do debate”, dis­se à agên­cia de no­tí­ci­as Efe.

Debate acir­ra­do

A eco­no­mia es­te­ve no cen­tro do debate en­tre Do­nald Trump e Hillary Clin­ton, com o mag­na­ta re­pu­bli­ca­no a cri­ti­car a fu­ga de em­pre­sas pa­ra fo­ra dos EUA e a de­mo­cra­ta a acu­sá-lo de be­ne­fi­ci­ar da cri­se imo­bi­liá­ria.

Os can­di­da­tos à pre­si­dên­cia dos EUA tam­bém abor­da­ram te­mas co­mo ra­cis­mo, em­pre­go, ter­ro­ris­mo e so­ne­ga­ção fis­cal e tro­ca­ram in­sul­tos e acu­sa­ções num aca­lo­ra­do pri­mei­ro debate pre­si­den­ci­al.

Hillary Clin­ton acu­sou o ri­val de ra­cis­mo, se­xis­mo e so­ne­ga­ção de im­pos­tos, dei­xan­do-o di­ver­sas ve­zes na de­fen­si­va e, se­gun­do a CNN, ele­van­do as pro­ba­bi­li­da­des de che­gar à Ca­sa Bran­ca com um bom de­sem­pe­nho no debate, de­pois de ver os seus nú­me­ros caí­rem nas pes­qui­sas elei­to­rais.

Do­nald Trump dis­se que os lon­gos anos de Hillary Clin­ton na po­lí­ti­ca trou­xe­ram pou­cos re­sul­ta­dos. “Ela tem ex­pe­ri­ên­cia, mas é má ex­pe­ri­ên­cia”, afir­mou e acres­cen­tou que fal­ta à an­ti­ga pri­mei­ra da­ma “a re­sis­tên­cia ne­ces­sá­ria pa­ra co­man­dar o país.”

“As­sim que ele vi­a­jar pa­ra 112 paí­ses e ne­go­ci­ar um acor­do de paz, um ces­sar-fo­go, a li­ber­ta­ção de dis­si­den­tes ou até mes­mo pas­sar 11 ho­ras de­pon­do di­an­te de um co­mi­té par­la­men­tar, aí ele vai po­der fa­lar so­bre re­sis­tên­cia”, con­tra ata­cou Hillary Clin­ton.

Hillary Clin­ton acu­sou Do­nald Trump de pro­pa­gar uma "men­ti­ra ra­cis­ta", ao su­ge­rir que o Pre­si­den­te Ba­rack Oba­ma, o pri­mei­ro afro­a­me­ri­ca­no na Ca­sa Bran­ca, não nas­ceu nos EUA, de “ter um lon­go his­tó­ri­co de com­por­ta­men­to ra­cis­ta” e de des­res­pei­tar as mu­lhe­res.

Tam­bém su­ge­riu que o re­pu­bli­ca­no Do­nald Trump evi­ta di­vul­gar as su­as de­cla­ra­ções fis­cais, “pa­ra não mos­trar aos americanos que não pa­ga qua­se na­da em im­pos­tos ou que não é tão abas­ta­do quan­to diz.”

“Is­so me faz es­per­to. Te­nho mui­to di­nhei­ro”, ri­pos­tou Trump, acres­cen­tan­do ser che­ga­da a ho­ra “de o país ser co­man­da­do por al­guém que en­ten­de de di­nhei­ro” e que di­vul­ga as de­cla­ra­ções de im­pos­to quan­do a de­mo­cra­ta “di­vul­gar os seus 33 mil e-mails que fo­ram apa­ga­dos.”

Num ra­ro mo­men­to no debate, os dois can­di­da­tos pa­re­ce­ram con­cor­dar num pon­to: im­pe­dir que pes­so­as na lis­ta de vi­gi­lân­cia ter­ro­ris­ta com­prem ar­mas. A pro­pos­ta é mui­to cri­ti­ca­da pe­la As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal de Ar­mas, uma das prin­ci­pais apoi­an­tes do can­di­da­to re­pu­bli­ca­no.

O se­gun­do debate acon­te­ce no dia 9 de Ou­tu­bro e vai in­cluir per­gun­tas de elei­to­res e o ter­cei­ro acon­te­ce em 19 de Ou­tu­bro.

Fes­ta da de­mo­cra­cia

A ex­pec­ta­ti­va ge­ra­da pe­lo debate foi es­pe­ci­al­men­te sen­ti­da na ca­pi­tal do país, Washing­ton DC, on­de a po­lí­ti­ca é a fon­te de em­pre­go de uma gran­de par­te da po­pu­la­ção.

Ho­ras an­tes do debate, já se vi­am fi­las pa­ra en­trar nos ba­res po­lí­ti­cos da ca­pi­tal e na re­gião do Ca­pi­tó­lio, e pa­re­cia mais um sá­ba­do do que uma se­gun­da-fei­ra.

Um dos ba­res fa­vo­ri­tos dos jo­vens que tra­ba­lham no Con­gres­so cha­mou a aten­ção com dois imi­ta­do­res de Do­nald Trump e Hillary Clin­ton, com quem to­do o mun­do que­ria ti­rar uma fo­to­gra­fia.

No la­do opos­to da ci­da­de, jo­vens aglo­me­ra­vam-se num dos ba­res que ser­viu du­ran­te o debate, uma be­bi­da es­pe­ci­al de ca­da can­di­da­to à Pre­si­dên­cia dos EUA.

AFP

Do­nald Trump e Hillary Clin­ton pro­ta­go­ni­za­ram on­tem um aca­lo­ra­do debate em Washing­ton

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.